Medida tenta aumentar a popularidade dos modelos no país.

Os carros elétricos e híbridos vão sendo cada vez apontados como os modelos do futuro, mas não são todos os países que têm investido nestes modelos, no Brasil por exemplo, estes projetos caminham a passos curtos. Mas a partir de novembro, os carros elétricos e híbridos terão o valor do IPI reduzido, o que já é um importante incentivo. Atualmente, a alíquota varia de 7% a 25%, mas a partir de novembro ficará entre 7% e 20%, tudo irá depender do quanto é eficiente o veículo e também de seu peso.

A notícia de que carros elétricos e híbridos pagarão menos Imposto sobre Produtos Industrializados animou um pouco o mercado e também os consumidores interessados em adquirir um destes modelos. A medida foi publicada nesta sexta-feira (06), no Diário Oficial e quem estava pensando em comprar um carro desse por agora, deverá esperar até o final do ano para ver se consegue adquirir um com menor preço.

A redução do IPI para este tipo de veículo vinha sendo aguardada desde o início deste ano, quando o Governo fez tal promessa, pois é um projeto que faz parte do "novo regime automotivo", conhecido por Rota 2030 Mobilidade e Logística. Atualmente, enquanto um carro elétrico paga 25% de IPI, o mesmo imposto para veículos híbridos fica entre 7% e 25%. Em novembro estas alíquotas sofrerão alterações, assim como os critérios utilizados, pois será levado em consideração o peso e também a eficiência energética do carro.

Confira como ficou definido as novas faixas do IPI:

Para os carros híbridos que têm eficiência energética menor ou igual a 1,10 MJ/Km, a porcentagem é a seguinte:

  • 9% para peso de até 1.400 quilos.
  • 10% para peso que varia entre 1.401 a 1.700 quilos.
  • 11% será para os carros com peso superior a 1.701 quilos.

Para os veículos que tenham eficiência energética que vai de 1,11 MJ/km e 1,68 MJ/km

  • 12% para aqueles que pesam no máximo 1.400 quilos.
  • 13% para os que tiverem peso entre 1.401 a 1.700 quilos.
  • 15% se for maior que 1.701 quilos.

Quando o híbrido oferecer eficiência energética superior a 1,68 MJ/km:

  • 17% se for peso de até 1.400 quilos.
  • 19% quando o peso ficar entre 1.401 e 1700 quilos.
  • 20% no caso do peso ficar acima de 1.701 quilos.

Para os elétricos, cuja eficiência energética fica abaixo ou igual a 0,66 MJ/km

  • 7% para peso de no máximo 1.400 quilos.
  • 8%¨para peso que varia de 1.401 a 1.700 quilos.
  • 9% se o peso ficar acima de 1.701 quilos.

Elétricos que contam com eficiência energética entre 0,67 MJ/km e 1,35 MJ/km:

  • 10% se for peso de no máximo 1.400 quilos.
  • 12% se o peso ficar entre 1.401 a 1.700 quilos.
  • 14% no caso do peso ser acima de 1.701 quilos.

Elétricos cuja eficiência energética ultrapasse 1,35 MJ/km:

  • 14% para peso de até 1.400 quilos.
  • 16% para peso que fica entre 1.401 a 1.700 quilos.
  • 18% para quando o peso for acima de 1.701 quilos.

Vale ressaltar ainda que os híbridos de motor a combustão flex, ou seja, aqueles que podem ser abastecidos tanto com gasolina como também etanol, receberão dois pontos percentuais de redução no IPI, de forma que o imposto para eles fiquem de 7% a 18%, o problema é que até hoje o Brasil não tem nenhum veículo que oferece esta tecnologia. A Toyota começo a testar um Prius flex, mas o projeto ainda não foi confirmado, não tendo a menor perspectiva de quando este modelo chegará ao mercado nacional.

Com estas reduções no IPI, o preço dos carros híbridos e elétricos começarão a cair a partir de novembro e isto poderá aumentar a procura, que fará crescer a produção e o preço cai ainda mais à medida que o veículo vai se popularizando e isto trará grandes benefícios para o país.

Por Russel


Novo modelo híbrido tem autonomia de cerca de 90 Km quando carregado completamente. Ele começará a ser vendido nos Estados Unidos pelo valor sugerido de US$ 33.995.

Segundo alguns rumores, a nova geração de automóveis da Chevrolet Volt terá uma autonomia 40% maior que a anterior. Maiores dados ainda não foram divulgados, mas especula-se que o veículo em formato híbrido tem autonomia de cerca de 90 Km quando carregado completamente.

Os novos modelos da segunda geração do Volt começarão a ser vendidos em breve nos Estados Unidos e o preço sugerido é a partir de US$ 33.995, o que equivale a R$ 117,4 mil.

A marca ainda mantém alguns mistérios quanto aos detalhes técnicos do novo modelo, para manter as suspeitas para o período de vendas. Alguns rumores indicam que o modelo, quando em modo unicamente elétrico terá uma autonomia bem maior, passando dos atuais 67,5 Km de autonomia para 85,3 Km sem a necessidade de uma nova recarga. O avanço na autonomia foi de cerca de 40%.

A Volkswagen, quando apresentou, no começo deste ano, o novo Volt no Salão de Detroit informou que a autonomia no modelo seria de 80,5 Km com a carga completa da bateria. O modelo, porém, superou as expectativas da montadora.

Segundo uma pesquisa realizada pela montadora, os proprietários do modelo atual do Volt rodam 80% do tempo usando unicamente energia elétrica. O modelo tem ainda um motor que funciona a combustão e que ajuda a recarregar temporariamente as baterias, em situações em que não é possível recarregá-lo imediatamente na rede elétrica. Esse motor também ajuda a impulsionar o veículo e acaba o classificando como híbrido, e não somente como elétrico, como o seu concorrente, o Nissan Leaf.

Talvez o futuro dos carros seja utilizar-se completamente da energia elétrica para sua movimentação. A eletricidade, além de ser um recurso renovável, não agride a natureza com resíduos poluentes e é bem mais barata do que os atuais combustíveis fósseis.

Mas o Volt está na transição entre o futuro e o presente, pois os desenvolvedores sabem que a energia elétrica ainda não é o principal meio de alimentação dos veículos atuais. Uma característica híbrida é mais uma jogada bastante inteligente da Volkswagen para ter seu espaço garantido no mercado.

Por Patrícia Generoso

Novo Chevrolet Volt

Novo Chevrolet Volt

Novo Chevrolet Volt

Fotos: Divulgação


Donos de carros híbridos e elétricos estão substituindo estes modelos por modelos não ecológicos, como SUVs, por exemplo.

Segundo verificação feita pela Edmunds.com, os veículos híbridos e elétricos estão deixando de ter a credibilidade de seus donos e estão sendo substituídos por modelos não ecológicos, onde pode-se citar as SUVs, mas tendo maior economia, uma vez que fazem o consumo somente de gasolina, recentemente com preço menor no território norte-americano.

De acordo com a análise, 22% dos consumidores que substituíram os híbridos e elétricos este ano adquiriram um SUV. Esta quantidade equivale a uma ampliação de 18,8% em comparação a 2014, e é quase duas vezes a parcela de 11,9% resultada há somente três anos. Ao todo, apenas 45% das substituições de modelos híbridos e elétricos foram realizadas por outro veículo que tenha o consumo de combustível alternativo, em oposição a pouco superior a 60% resultado em 2012.

O site Edmunds.com também verificou que, com o valor médio da gasolina de US$ 4,67/galão no mês de outubro de 2012, teria um tempo de apenas cinco anos para que a distinção de custo entre o Toyota Camry LE Hybrid, de US$ 24.460, e o Toyota Camry LE, de US$ 24.460, fosse retirada, considerando a economia de dinheiro resultada com o abastecimento do veículo. Atualmente, com o valor da gasolina a US$ 2,27/galão, haveria mais que o dobro do prazo (10,5 anos) de forma que o valor dos dois veículos fosse igualado.

A análise foi realizada em uma situação adequada, em que as comercializações globais de modelos alternativos, ou também "green cars", permanecem em cair. A venda de elétricos e híbridos tiveram somente 2,7% das comercializações completas de modelos novos no trimestre pioneiro deste ano, onde 3,3% foram obtidos no período idêntico no último ano. A parte de comercialização de SUVs, entretanto, ampliou de 31,8% no primeiro trimestre do último ano para 34,2% no primeiro trimestre deste ano. Os modelos elétricos são mais eficazes na transformação de energia em quilômetros rodados.

Por Felipe Couto de Oliveira

Carros híbridos e elétricos

Foto: Divulgação


A montadora de veículos automotores austríaca Magna Steyr anunciou em primeira mão que irá apresentar no Salão de Genebra, na Suíça, na próxima semana o seu mais novo veículo desportivo híbrido o qual foi batizado com o nome de Mila Plus.

Nessa versão o veículo terá apenas dois lugares e pesar 1.520 kg e para carregar toda essa carga o motor que irá propulsioná-lo será um motor movido a gasolina de três cilindros que trabalha em conjunto com dois blocos elétricos que ficam distribuídos entre os eixos do veículo.

Apesar de os dados técnicos do veículo ainda não terem sido divulgados de forma oficial, o fabricante de Graz divulgou apenas uma informação preliminar, a fim de saciar um pouco da curiosidade dos amantes de veículos e dos especialistas do ramo automobilístico, essa informação foi que o veículo será capaz de acelerar de 0a 110 km/h na impressionante marcar de apenas 4,9 segundos quando o condutor utilizá-lo no modo híbrido e quando o condutor utilizá-lo em uma aceleração no modo totalmente elétrico este mesmo veículo precisará  de 3,6 segundo para atingir a velocidade de 80 km/h.

Outro dado importante que foi divulgado foi com relação à autonomia, haja vista que no modo híbrido este veículo conseguirá percorrer 500 km e no seu modo integramente elétrico, por meio do uso de suas baterias de íons de lítio, ele terá uma autonomia para percorrer uma distância de até 75 km.

Este veículo foi projetado de modo que a sua rigidez fosse aumentada, esse fenômeno ocorreu devido ao fato de o veículo possuir uma moldura em alumínio que integra as suas baterias, uma tecnologia que é uma tendência mundial e ecologicamente correta, a qual foi utilizada pela Magna Steyr na fabricação desse carro é a tecnologia que permite com que todos os componentes do chassi, bem como todos os materiais utilizados no interior do veículo poder ser integralmente reciclados. Assim com todas essas novidades, a empresa anunciou que este surpreendente veículo deverá ir para a linha de produção dentro de dois ou três anos.

Por Adriano Oliveira

Magna Steyr Mila Plus

Magna Steyr Mila Plus

Magna Steyr Mila Plus

Fotos: Divulgação





CONTINUE NAVEGANDO: