Modelo Bolt poderá ser lançado no Brasil em 2018, segundo a montadora.

O Bolt, um carro elétrico da Chevrolet, foi anunciado no salão do automóvel em 2016. O foco do stand da marca, no evento, foi na eficiência energética. O vice-presidente da GM Brasil, Marcos Munhoz, disse que o papel do Bolt no evento, era mostrar ao consumidor brasileiro a liderança da marca da eletrificação dos carros. A primeira vez que a Chevrolet apresentou o Monovolume Bolt foi no Salão do Automóvel em Detroit, no mesmo ano.

Apesar de no Brasil os carros elétricos não serem populares, especula-se a chegada do Bolt no país em 2018. Até pouco tempo, a marca não havia se pronunciado a respeito da chegada de um elétrico ao Brasil e nem sobre o modelo do carro. Mesmo com a marca não confirmando as suspeitas, muitos acreditam que o monovolume seria o carro lançado. Além disso, os executivos da marca vinham dando pistas de que essa seria uma possibilidade real.

O portal Uol informou que em outubro deste ano, durante o Congresso Autodata Perspectivas 2018, Carlos Zarlenga, presidente da General Motors do Mercosul, garantiu que a marca será líder de vendas de carros elétricos também. Segundo ele, se já são líderes em vendas no Mercosul, sendo o Onix o campeão de vendas da empresa, a marca também tem que liderar a eletrificação. Informou ainda que a GM tem a meta de lançar 20 carros elétricos no mundo no período de 5 anos.

Recentemente, veio a confirmação de que um elétrico será vendido no Brasil. Carlos Zarlena, em uma entrevista que concedeu ao Estadão, informou que a ideia desse lançamento é realizar um teste em relação a receptividade dos brasileiros para com o carro elétrico e que pretendem apostar na eletrificação para impulsionar o futuro da indústria. Mesmo o carro elétrico não sendo popular no Brasil, ele acredita nas possibilidades do veículo no país. Apesar de confirmada a informação, o modelo do carro ainda não foi anunciado, mas as suspeitas continuam sendo no Bolt.

Carlos Zarlenga não deixou claro como será a estratégia para introduzir o carro por aqui, porém como além do lançamento do veículo, a GM também lançará no país o Maven, um serviço de aluguel de carros, ele diz que a locação dos elétricos pode ser uma forma de aproximar o público do produto. O serviço Maven poderá ser utilizado através de um aplicativo e segundo ele o lançamento do elétrico e do serviço de locação poderá ser introduzido na mesma época, o que facilitaria a colocação do veículo no mercado.

Atualmente, o carro já é vendido nos EUA, custa em média 37.500 mil dólares e lembra bastante o Honda Fit, o Meriva, o Equinox e o Cruze.

O design do carro é parecido com o que a marca já vem fazendo e conforme mencionado acima, possui semelhanças com outros veículos da Chevrolet, já conhecidos aqui no Brasil.

O motor do veículo possui mais de 200 cv e 36,7 kgfm de torque, que faz com que o veículo chegue de 0 a 96 km/h no período de apenas 7 segundos. Tem um conjunto de baterias 60kW, que foram fornecidas pela empresa sul – coreana, LG. O carro tem entre – eixos de praticamente 2,60 metros. E pode chegar até 383 KM/h. O Bolt vem ainda com o sistema internet 4G e roteador Wi-Fi, OnStar e central multimídia MyLink que vem com uma tela de 10,2 polegadas e é compatível com AndroidAuto e com CarPlay.

Por Rosângela Rodrigues

Chevrolet Bolt


Mini pretende lançar entrar no mercado de carros elétricos e lançar um modelo em 2019. Já para 2021 confirmou o lançamento de um mais um SUV.

A Mini está apostando nos automóveis elétricos e tem seu 2º crossover previsto para ser lançado em 2021.

A marca já havia ingressado no mercado de SUVs com o modelo de lançamento Countryman, porém agora ela quer expandir as opções e se prepara também para se inserir no mercado dos carros elétricos.

Em 2019 será inserido no mercado o Mini Cooper Elétrico, um carro compacto e que tem zero emissões. Já para 2021 a empresa vai aproveitar o sucesso de vendas que foi o Coutryman e confirmou o lançamento de um mais um SUV, e de acordo com o site Auto Express o modelo irá unir esses dois mercados, o de SUVs e o dos elétricos.

O modelo será menor do que o SUV já fabricado. No salão de Los Angeles, um membro da diretoria da BMW, Peter Schwarzenbauer, informou ao site Auto Express que a empresa não apostará em um modelo maior. O maior carro da marca continuará sendo o Countryman e não serão desenvolvidos carros de sete lugares ou algo nesse sentido. Segundo Peter Schwarzenbauer, um modelo maior não se encaixaria no perfil da Mini. Por outro lado, ele mostrou interesse quando perguntaram para ele a respeito da possibilidade da marca desenvolver um carro menor. Peter Schwarzenbauer disse que carros mais compactos seria uma opção e que um SUV urbano de tamanho menor seria um segmento interessante, porém informou que até agora nada foi decido a respeito do assunto, mas que da mesma forma que a Mini não vai lançar um carro maior, também não pretende desenvolver um carro menor do que o modelo já existente no mercado, o hatchback com 3 portas, pois seria em termos econômicos inviável para a marca.

O novo modelo provavelmente terá mais ou menor um pouco mais do que quatro metros e contará com um design tradicional. Seu desenho deverá ser parecido em alguns aspectos com o modelo Mini Eletric Concept, além disso, seu design deverá acompanhar esse aprimoramento da identidade da marca. O modelo terá no Nissan Juke e no Volkswagen T-Cross, com os quais pode ser comparado, seus maiores rivais no mercado europeu. A plataforma utilizada no carro, será a mesma que vai ser usada no mini cooper elétrico que terá lançamento em 2019, mas terá uma base chamada FAAR. A nova base será equivalente à tração dianteira da CLAR que é modificada para ser utilizada em carros elétricos. Uma estrutura específica para atender os carros que são movidos por energia.

Várias marcas vêm buscando criar modelos de carros que tenham tração traseira, inclusive a própria BMW i3 é conhecida por possuir tração nas duas rodas de trás, mas provavelmente a versão simples do irmão mais novo do Countryman que será lançado em 2021, terá tração dianteira ao invés de ser traseira. Espera se que a bateria do carro seja moldada junto ao assoalho e que um ou dois motores sejam inseridos cada motor em um eixo.

A marca ainda não confirmou se o modelo de crossover que será elétrico e mais compacto que o anterior, chegará ao Brasil, porém temos visto que diversas marcas vêm anunciado o lançamento de seus carros elétricos no país, com essa onda de lançamentos confirmados, pode ser que a marca confirme o lançamento do modelo aqui também. Vale lembrar que o modelo Countryman é feito no município de Araquari, em Santa Catarina.

Por Rosângela Rodrigues

Carro elétrico da Mini


Montadora quer reduzir o uso de matéria prima que exija quantidades crescentes de carbono.

Seguindo uma tendência global crescente com a preservação do planeta, a montadora sueca Volvo anunciou no início deste mês de julho que deverá implementar uma mudança radical na fabricação de seus motores para seus carros.

A empresa declarou na última quarta-feira, dia 5 de julho, que a partir de 2019 deverá investir pesado na fabricação de modelos de automóveis com motores elétricos. A disposição inicial da fabricante é que todos os seus modelos possam sair equipados com motores totalmente movidos a eletricidade.

Mesmo que isto não seja possível a partir de 2019, logo num primeiro momento, a empresa anunciou que pretende também investir num tipo de motor que seja no formato de uma estrutura propulsora única, acoplada a um sistema de combustão, o que já vem sendo utilizado, em pequena escala, nos modelos classificados como híbridos.

De acordo com o próprio presidente mundial da marca, Hakan Samuelson, a empresa faz questão de anunciar que está amplamente comprometida com a preservação do planeta e a intenção da empresa é investir pesado em um modelo de fabricação que possa contribuir cada vez menos para a emissão de dióxido de carbono para atmosfera.

A Volvo, através das declarações de seu presidente e com o anúncio da fabricação dos novos tipos de motores, pretende cada vez mais reduzir o uso de matéria prima que exijam quantidades crescentes de carbono.

A médio e longo prazos, o compromisso da fábrica de automóveis assumido com os milhares de consumidores espalhados por diversas partes do mundo é dar a sua parcela de contribuição para que as cidades possam viver com um ar cada vez mais limpo e que não deixem de desfrutar dos avanços tecnológicos trazidos pela indústria automobilística.

Em parceria com a chinesa Geely, a empresa planeja o lançamento de cinco versões diferentes de carros elétricos entre 2019 e 2021 , sendo que três deverão ser lançados com a logomarca da empresa e dois pela Polestar, sua marca subsidiária de modelos de alto desempenho.

A intenção da Volvo é a fabricação total de novos modelos que, além de híbridos com baixa utilização de combustão, possam ser totalmente elétricos e que permitam ao consumidor abastecer o seu carro somente ligando-o na tomada.

Emmanoel Gomes


Nova geração da Kombi será elétrica e altamente moderna.

Depois de 4 anos de aposentadoria, a icônica Kombi vai voltar. Quem confirma a notícia é a própria marca dona do modelo Volkswagen. O modelo atendeu bastante consumidores durante os seus 63 anos de comercialização no mercado, agora ela volta de cara nova. O automóvel terá uma nova geração e será no formato de um carro elétrico, tudo de acordo com o conceito ID Buzz Concept, que foi evidência no Salão de Detroit, nos Estados Unidos no início deste ano.

Quem anunciou a novidade foi o próprio chefe da montadora alemã, Herbert Diess, que deu entrevista a um site inglês de veículos. A “Antiga Dama” dos amantes de Van terá uma linha sofisticada que a marca está projetando. É a linha de elétricos e híbridos que a Volkswagen quer ter em sua plataforma e disposto no mercado a partir de 2020, com o inédito conceito MEB. Para os apreciadores de carros antigos, a novidade não para por aí. A releitura do Fusca também foi destaque da marca no Salão de Paris em 2016, que também foi apresentado com o conceito ID Concept.

A plataforma da marca para carros elétricos já vai começar na nova versão da Kombi. Além do design mais esportivo, o modelo atual terá dois motores elétricos que juntos, um em cada eixo, farão 374 cv. Além disso, a capacidade do carro será insonhável para uma Van: levar o automóvel de 0 km/h a 100 km/h em incríveis 5 segundos. A velocidade máxima da Kombi vai ser de 160 km/h.

Atualmente os carros elétricos não tem uma boa autonomia. A recarga das baterias acontece de forma rápida, em 30 minutos de uso e elas já exigem recarga. Contudo, a autonomia da Kombi será de impressionar: serão 434 km de independência de recarga. O estilo do novo modelo também já entrega no primeiro momento que é um carro elétrico. O design do conceito ID Buzz Concept é similar nos automóveis. As linhas do carro são em um formato quadrado e os faróis e lanternas em led.

Tudo no carro será da mais alta modernidade. As medidas para o transporte de passageiros com bastante conforto (4,9 m de comprimento, 1,96 m de altura, 3,3 m entre-eixos). A nova Kombi vai dispensar motoristas, a condução será autônoma, com monitoramento por radares, câmeras e sensores. O carro também não terá maçanetas para entrar, basta o usuário colocar a mão em um sensor que a porta irá se abrir.

Por dentro, tudo é bem clean. Qualquer precisão para acionar o carro será com sensor para as mãos. A Kombi estará já pronta para andar de forma automática, mas caso algum condutor queira dirigi-la, basta desabilitar o modo autônomo.

Por Carolina Costa

Volkswagen Kombi elétrica

Volkswagen Kombi elétrica


Novo modelo será movido exclusivamente a eletricidade e tem previsão para começar a ser produzido em 2018.

A renomada e famosa empresa fabricante de veículos automotores Audi anunciou na última quarta-feira, dia 19 de agosto, que está nos seus planos iniciar a produção de um veículo SUV movido exclusivamente à eletricidade, sendo que a previsão para o início da produção desse veículo será a partir o ano de 2018.

A base deste primeiro modelo, exclusivamente elétrico da Audi que será produzido em grande escala irá estrear no Salão de Frankfurt, evento este que ocorrerá no mês de setembro.

Segundo o que diz as primeiras notícias dadas pela montadora a respeito deste veículo, ele será projetado para ter uma autonomia para rodar por aproximadamente 500 quilômetros com apenas uma carga de bateria, esta bateria irá trabalhar na alimentação de três motores elétricos, sendo que um ficará posicionado no eixo dianteiro e os outros dois posicionados no eixo traseiro, posicionamento que fará com que este carro tenha um efeito semelhante aos carros que têm tração integral.

O conceito deste veículo foi batizado com o nome de Audi e-tron quatro. Ele foi concebido por meio de uma plataforma modular e desde o princípio como um carro elétrico.

O tamanho desse veículo ficará entre os modelos da marca já conhecidos o Q5 e o Q7, porém com uma espécie de caída projetada no teto na parte de trás, a parte interior será semelhante a de um cupê e o veículo terá a capacidade de apenas 4 pessoas.

O quesito tecnologia será uma atração a parte e como não poderia ser diferente a Audi irá apostar alto neste quesito, uma vez que na cabine deste carro serão colocadas várias telas digitais já com tecnologia OLED, a qual é uma evolução do conhecido LED desenvolvida através de material orgânico.

Para que essa excelente autonomia seja alcançada, a Audi aposta todas as suas fichas na eficiência aerodinâmica deste carro, por meio de algumas soluções que vão desde elementos móveis na parte frontal até o fechamento completo da parte de baixo deste veículo.

O coeficiente aerodinâmico, unidade que faz a mensuração da resistência do veículo ao ar e que quanto mais baixo o valor medido melhor é para o veículo, do e-tron quattro, após ter sido mensurado, é de 0,25, valor este que para um SUV é considerado incomum e fica similar aos valores mensurados nos modelos mais esportivos.

Por Adriano Oliveira

Audi e-tron quattro concept

Audi e-tron quattro concept

Fotos: Divulgação


Modelo elétrico da montadora recém-inaugurada deverá chegar ao mercado em 2017.

O futuro nos promete uma geração de carros cada vez mais ecologicamente corretos. Com o crescimento de usuários, a preocupação com o meio ambiente é uma das prioridades do setor automotivo para o futuro.  

Como as exigências para o futuro são bem claras, os pioneiros nessa tecnologia terão chances maiores de ter uma boa fatia no mercado e esse cenário favorece o aparecimento de novas montadoras. 

A marca recém-nascida Faraday Future aposta nessa nova fatia de mercado e em suas expectativas. A montadora norte-americana revelou um Teaser de seu primeiro modelo de automóvel, e já tem projeções bem otimistas sobre o futuro. 

A empresa, no entanto, não revelou grandes detalhes sobre o seu modelo pioneiro. O que foi revelado é que o carro estreante deve chegar ao mercado no ano de 2017 e será movido totalmente a energia elétrica o que fará com que tenha zero emissões poluentes. O modelo também será totalmente conectado e poderá ser personalizado.

A Faraday Future está bem otimista com relação ao seu futuro dentre as outras concorrentes e acredita estar pronta para ser uma liderança da indústria automotiva do futuro. Essa animação tem um motivo forte, já que a empresa recrutou um time de profissionais de primeira linha, considerados como os melhores do mercado no quesito inovação e tecnologia. Nomes como Nick Sampson, antigo líder da equipe desenvolvedora do Tesla Model S, Richard Kim que foi um dos responsáveis pelo conceito i8 e i3 da montadora BMW e Silva Hiti, que foi um dos projetistas do Chevrolet Volt são alguns que abrilhantam o time renomado da Faraday Future.

Resta-nos esperar o que o futuro nos proporcionará. Será que uma montadora completamente desconhecida do público conseguirá bater as vendas de outras já renomadas no mercado? Quais serão as inovações que a Faraday Future nos trará além do seu modelo elétrico? Será que somente essa inovação terá um destaque e uma aceitação alta no mercado? Só o futuro poderá nos responder.

Por Patrícia Generoso

Teaser da Faraday Future

Foto: Divulgação





CONTINUE NAVEGANDO: