Empresa desmente boato de que estaria suspendendo seus serviços no RJ.

Nos últimos dias, uma notícia vinculada pela imprensa nacional, sobretudo pelos meios de comunicação do Rio de Janeiro, pegou muitas pessoas de surpresa. Segundo os textos veiculados nos veículos de comunicação, a Tokio Marine teria encerrado suas atividades no setor de vendas de seguro para a cidade do Rio de Janeiro.

Considerada uma das principais organizações neste segmento de mercado, a Tokio Marine, por meio de sua assessoria de imprensa, tratou de negar este fato e disse que os seus serviços, que são conhecidos há tanto anos por diferentes indivíduos, estão sendo realizado da mesma forma de sempre.

Considerado um dos maiores grupos de seguradores dos mais diferentes veículos que atuam em todo o território mundial, a história da Tokio Marine começa no Japão, pois foi no país asiático que os primeiros passos para a criação da entidade foram dados há mais de 130 anos atrás.

Em mais de um século desde a sua criação, a Tokio Marine está presente por meio de suas sedes em mais de 30 países em diferentes continentes. Com mais de 25 mil funcionários, a empresa de origem japonesa atua oferecendo diferentes tipos de seguros para meios de transporte, sobretudo, para carros. A empresa está no Brasil há alguns anos e hoje figura na lista das principais seguradoras do país. Uma prova disso é que ela já foi premiada em diferentes oportunidades pelos serviços prestados a sociedade brasileira.

A entidade atua praticamente em todos os estados do território nacional oferecendo as melhores condições para que os donos de carros tenham todo o suporte necessário caso aconteça algo com o veículo que está em seu nome. Esse tipo de serviço é de extrema importância para qualquer pessoa que tenha um carro hoje em dia. Visto que qualquer um está sujeito a um tipo de imprevisibilidade.

Falando especificamente das últimas notícias que envolviam o nome da Tokio Marine. Muitos portais de comunicação informaram que a empresa estava suspendendo suas atividades na cidade do Rio de Janeiro. A capital carioca vem sofrendo nos últimos anos com alto índice de violência. Infelizmente, a população está sujeita a assaltos, roubos e tantos outros atos de violência. E nos últimos meses, se viu um tipo específico de crime ocorrer com uma freqüência maior, justamente o roubo de carros, caminhões e outros tipos de veículos automobilísticos. Visto que neste tipo de infração os ladrões usam o veículo para diferentes finalidades, desde usá-los de fato como meio de transporte, vender as peças do carro ou outras finalidades. Devido a isso, surgiu essas informações que a Tokio Marine estaria suspendo o seu serviço de seguro na cidade do Rio de Janeiro.

Como dito acima neste texto, a empresa asiática negou essas informações e confirmou que o seu serviço está disponível tanto para a capital carioca quanto para qualquer outra cidade brasileira. A empresa vai além e ainda reitera que nos últimos anos, uma cidade que tem apresentado um bom número de negócios fechados entre a seguradora e os clientes é justamente o Rio de Janeiro. Prova disso, que graças aos a essa informação a Tokio Marine está entre as três principais empresas de seguro da cidade. Visto que nos últimos anos, o número de veículos adquiridos pelas pessoas no Brasil se tornou muito maior graças às facilidades apresentadas pelas concessionárias para que as pessoas consigam realizar o sonho do carro próprio. Consequentemente, isso faz com as empresas de seguro tenham um número maior de clientes.

Se você possui um automóvel no seu nome e quer conhecer um pouco mais sobre os trabalhos que a Tokio Marine tem a oferecer, acesse agora mesmo o endereço eletrônico da empresa, através di seguinte link: http://www.tokiomarine.com.br/. A empresa sempre tem as melhores opções para oferecer aos seus clientes. Você não vai se arrepender de escolher o grupo asiático. Boa sorte!

Isabela Castro.


Atualização:

A Tokio Marine entrou em contato com nossa redação e ressaltou que a informação de que parou de vender seguros de carros no Rio de Janeiro é inverídica. A seguradora continua comercializando seus produtos no estado.

Confira o comunicado da empresa na íntegra.

A violência fez com que as seguradoras suspendessem por tempo indeterminado a venda de seguros de carros na cidade do Rio de Janeiro.

A violência no Rio de Janeiro atingiu um patamar tão elevado que as seguradoras se viram obrigadas a suspender a venda de seguro de carro, deixando muitos consumidores desesperados e não há previsão de quando isto irá mudar. Muitos contratos de seguros de carga precisaram ser renegociados, pois as empresas alegam que estão tendo um prejuízo muito grande e já avisaram que não vão aceitar novas apólices, mas só para o Rio de Janeiro, para o restante do país tudo continua como era antes.

Outra mudança que está sendo feita pelas seguradoras é em relação aos seguros de carros. Mapfre e BNP Paribas Cardif já encaminharam um aviso a todos os corretores de seguros, informando que todos os veículos que são do Rio de Janeiro não estão mais elegíveis para contar com um seguro de automóveis. A notícia caiu como uma bomba, tanto para os corretores como também para os proprietários.

No aviso de uma das seguradoras diz que até os veículos do Rio que já têm seguro, serão cancelados, a não ser aqueles que contam com renovação automática, pois nestes casos não há o que fazer. Os corretores estão sendo orientados a recusarem a renovação dos seguros de veículos para a ‘cidade maravilhosa’.

O motivo alegado pelas seguradoras é que as taxas de sinistralidade está altíssima e será preciso conter isto de alguma forma. A Ituran, empresa que atua na área de monitoramento de veículos, também tomou uma decisão drástica e agora só vai atender os motoristas do Uber, mas isto também vale só para o Rio de Janeiro, em São Paulo, por exemplo, a empresa segue atendendo normalmente, sem nenhuma alteração.

As seguradoras estão fazendo questão de ressaltar que tal decisão é temporária, entretanto, nenhuma estipulou um prazo para esta nova decisão chegar ao fim. A BNP Paribas Cardif disse apenas que as coisas vão normalizar assim que a violência no estado melhorar, ou seja, colocou a responsabilidade no governo, alegando que agora não depende mais da empresa e sim, das autoridades competentes. O que as seguradoras estão querendo mostrar é que elas são vítimas da situação, assim como a população como um todo e da mesma forma que as pessoas procuram se proteger, estas empresas também precisam agir para conseguirem encontrar uma forma de se manter no mercado, pois alegam que do jeito que está, elas fecharão as portas em pouco tempo.

E será que compensa fazer um seguro nas empresas que não estão com esta restrição? Isto vai depender muito, pois no Rio são roubados 150 carros todos os dias e o preço do seguro disparou. Em setembro de 2016 o valor para o seguro de um determinado veículo era de R$ 2.200,00. Hoje, este mesmo veículo tem o seguro no valor de R$ 5.200,00 e a tendência é que o preço aumente ainda mais. O aumento passa dos 130% e assusta os proprietários de veículos, principalmente aqueles que utilizam o automóvel todos os dias e sabem que ficar sem seguro é muito arriscado.

O ISP – Instituto de Segurança Pública, divulgou recentemente um relatório informando que só neste ano foram mais de 45 mil veículos roubados, ou seja, a cada dez minutos tem um carro sendo roubado, um número alarmante.

E a crise na segurança faz com que as seguradoras tomem decisões que afetam diretamente o segurado. Só que desta vez, o problema é muito mais preocupante, pois em alguns casos, nem se quiser pagar caro o proprietário consegue um seguro para o seu veículo. Diante deste cenário, cada seguradora vai adotando novas estratégias, mas chegou a um ponto que não há saída, a não ser suspender novos contratos, por tempo indeterminado. Não resta nada a ser feito pela população, a não ser esperar e torcer para que as coisas melhorem.

Por Russel

Seguro carro


Confira aqui quais foram os carros mais roubados em SP 2017.

Com as facilidades impostas pelo Governo Federal e pelo crescimento econômico do país, hoje qualquer pessoa que possua renda fixa pode adquirir um bem, como um carro. Entretanto, ao comprar um objeto com um custo tão elevado, infelizmente, corre-se o risco dele ser roubado. E em uma reportagem realizada pelo portal iCarros, foi feito uma lista em que aparecem os modelos de carros mais roubados até o mês de agosto de 2017. Conheça agora os automóveis que estão presentes na lista.

Esses carros entraram na lista pois são os que tiveram mais de 10.000 unidades fabricadas. A lista foi construída através dos dados divulgados pela Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo. Só neste ano, mais de 100.000 veículos foram roubados na cidade de São Paulo e os motoristas que tinham contrato com uma seguradora de carros tiveram que acionar o serviço para rever o prejuízo. Na lista feita pelo iCarros, estão os seguintes veículos:

  • Kia Picanto.
  • Toyota Etios
  • Honda CR-V
  • Nissan March
  • Renault Clio
  • Chevrolet Corsa (acima de 1.0)
  • Nissan Tiida
  • Renault Fluence
  • Nissan Sentra
  • Honda Fit
  • Chevrolet Corsa
  • Hyundai Azera
  • Chevrolet Spin
  • Volkswagen Polo
  • Mitsubishi Pajero
  • Hyundai Tucson
  • Nissan Versa
  • Volkswagen up!
  • Ford Ka
  • Ford Ka (acima de 1.0)
  • Toyota Corolla
  • Peugeot 207
  • Hyundai Santa Fe
  • Chevrolet Astra
  • Renault Duster
  • Citroën Aircross
  • Renault Logan
  • Ford Focus
  • Fiat Doblò
  • Chevrolet Prisma
  • Chevrolet Meriva
  • Chevrolet Cobalt
  • Citroën C3
  • Citroën Xsara
  • Renault Sandero
  • Volkswagen CrossFox
  • Chevrolet Cruze
  • Chevrolet Vectra
  • Renault Mégane
  • Ford Fiesta 1.0
  • Fiat Uno Vivace
  • Hyundai i30 / ix35
  • Ford Fiesta (acima de 1.0)
  • Chevrolet S10
  • Ford EcoSport
  • Chevrolet Zafira
  • Toyota Hilux
  • Volkswagen Kombi
  • Volkswagen Jetta
  • Peugeot 206
  • Kia Sportage
  • Volkswagen Fox 1.0
  • Chevrolet Montana
  • Ford Fusion
  • Volkswagen Spacefox
  • Chevrolet Onix
  • Volkswagen Parati (acima de 1.0)
  • Honda Civic
  • Chevrolet Captiva
  • Fiat Uno 1.0
  • Fiat Punto
  • Fiat Uno (acima de 1.0)
  • Kia Cerato
  • Volkswagen Gol 1.0
  • Fiat Linea
  • Citroën C4
  • Ford Ranger
  • Fiat Fiorino
  • Volkswagen Golf
  • Fiat Grand Siena
  • Fiat Palio 1.0
  • Volkswagen Gol (acima de 1.0)
  • Fiat Idea
  • Peugeot 208
  • Volkswagen Fox (acima de 1.0)
  • Nissan Frontier
  • Fiat Palio (acima de 1.0)
  • Hyundai HR
  • Volkswagen Saveiro
  • Fiat Weekend
  • Fiat Strada
  • Peugeot 307
  • Volkswagen Voyage
  • Volkswagen Amarok
  • Fiat Siena 1.0
  • Fiat Siena (acima de 1.0)
  • Hyundai HB20
  • Chevrolet Celta 1.0

Esses foram os carros mais roubados na maior cidade do Brasil, em São Paulo. Se você possui um exemplar de um desses veículos e reside em São Paulo, redobre seus cuidados. Evite estacionar e andar em áreas perigosas, ruas desertas e sem policiamento. Também evite rodar com o carro em horários que a rua estiver mais deserta. Se tiver condições, inclua itens de segurança a mais em seu veículo, como: bloqueadores, rastreadores, travas para volantes e para os pedais, câmera de ré, alarmes, câmeras traseiras, trava elétrica, dentre outros itens. Ainda existem outras dicas para evitar o roubo de veículos, mas a dica é sempre preste atenção enquanto estiver dirigindo. E claro, não reaja a um assalto, sua vida é mais importante que um bem material. Lembre-se de fazer um contrato de seguros para qualquer eventualidade, isso é muito importante e em qualquer sinal de perigo acione a Polícia. Boa sorte!

Isabela Castro.


Saiba quanto custa o seguro dos SUVs mais vendidos do mercado.

Não podemos negar que, quem é dono de um veículo novo ou seminovo, obrigatoriamente precisa fazer um seguro para o mesmo. Geralmente, seguros tem um custo fixo anual e dependendo do modelo, ano de fabricação e marca do veículo, o preço pago pode ser bem salgado no final das contas. É claro que antes de mais nada é necessário fazer uma pesquisa de preço no mercado e colocar na ponta do lápis qual tipo de seguro que mais atende as necessidades do proprietário para não se pagar caro demais por um serviço.

Outra dica bacana é sempre exigir a apólice da seguradora e ler tudo antes de assiná-la, pois nesse documento consta todos os serviços contratados pelo dono do carro e todas as coberturas referentes ao seguro.

Se você pretende adquirir um SUV mas ainda não se decidiu qual modelo será, esse artigo vai te mostrar qual o preço médio de seguro total dos cinco SUVs mais vendidos do Brasil. É melhor preparar o bolso, pois não é nada barato esse serviço, pelo menos em terras brasileiras.

Foi feito uma pesquisa que tomou como base o seguinte perfil do usuário (para todos os carros pesquisados): homem, 35 anos, casado, sem filhos, residente na cidade de São Paulo, que tem garagem em casa e no trabalho e que está contratando o serviço de seguro pela primeira vez.

O Honda HR-V é um dos mais vendidos e o preço médio do seguro para esse modelo japonês ficou por volta de R$ 7.233,00. O preço mais alto e o mais baixo ficaram em R$ 7.550,00 e R$ 7.029,00, respectivamente.

A segunda simulação foi feita com o americano JEEP Renegade, que obteve o valor médio do seguro na casa dos R$ 7.560,00, com valor mais alto de R$ 9.017,00 e menor valor de R$ 5.850,00.

O terceiro carro analisado pertence também a JEEP, que é modelo Compass, com o preço médio do seguro de R$ 12.900,00, com o valor mais alto de R$ 17.500,00 e o menor valor de R$ 10.150,00.

O quarto SUV pesquisado foi o sul coreano Hyundai Creta e o preço médio ficou em torno de R$ 5.850,00, com valor mais alto de R$ 6.700,00 e menor valor de R$ 4.900,00.

O último carro analisado é o japonês Nissan Kicks, com valor médio do seguro de R$ 6.650,00, com maior valor de R$ 8.060,00 e menor valor de R$ 6.600,00.

Vale a pena pesquisar muito, principalmente se o pagamento for à vista.

Rodrigo Souza de Jesus


No 1° semestre de 2015 os valores dos seguros de carros ficaram 11% mais caros se comparados com o ano de 2014.

Os valores de seguros de carros estão mais caros no primeiro semestre de 2015, segundo reportagem do “Car Sale”. O aumento chega a 11%, se comparado aos dados do ano de 2014. De acordo com os números divulgados, o Chevrolet Cobalt teve 46% de aumento e possui valor médio de seguro em torno de R$ 2.155, lembrando que o valor anterior até janeiro era de R$ 1.480. 

Ainda segundo a reportagem, o Fiat Uno teve apenas 1% de aumento, chegando de R$ 1.681 a R$ 1.698. Já o Volkswagen Fox teve queda de 16%, de R$ 1.891 a R$ 1.586.

Como os valores de seguros são calculados?

Vale destacar que os valores de seguros de automóveis, de forma geral, variam conforme o endereço de residência do motorista.  Por exemplo, regiões com alto índice de criminalidade tendem a possuir coberturas de seguros com preços mais altos, se comparados a locais com menores índices, quanto aos quesitos roubo, furto, etc.

Os valores estipulados para os seguros também levam em consideração o perfil do motorista (quantidade de infrações, etc.). Outras questões são avaliadas como idade (os mais jovens tendem a pagar mais), experiência no volante e marca (carros mais populares e visados têm seguros mais caros).

Produção de veículos cai 16,9%:

De acordo com informações publicadas no site oficial da Fenabrave, de janeiro a agosto o Brasil teve queda na produção de veículos, cerca de 16,9% de carros a menos produzidos, quando o índice é comparado aos números de 2014.  Em agosto, por exemplo, o país produziu 216,5 mil carros, o que significa uma redução de cerca de 18,2% na produção de automóveis.

Por Letícia Veloso

Seguro de carros

Foto: Divulgação





CONTINUE NAVEGANDO: