Veja aqui todo os principais benefícios e problemas nos carros a Gás.

A alta nos preços dos combustíveis automotivos, como a gasolina e o Diesel, e a crise econômica que assola o país, trouxeram uma velha discussão à tona: Quais os benefícios e malefícios dos combustíveis alternativos? Vale à pena investir na flexibilização do veículo? O que o consumidor precisa saber antes de trocar completamente a forma de abastecer e utilizar outro combustível.

Conhecido por ter um preço menor nas bombas dos postos de abastecimento, o GNV é o queridinho de muitos condutores. Presente em nosso país desde o ano de 2000, o Gás Natural Veicular ganhou defensores e até divulgadores do produto.

Entre os que defendem e os que criticam, sempre há os consumidores indecisos. Aqueles que pensam em instalar o kit gás no veículo, mas sentem receio ou precisam de mais informação.

Para responder às perguntas propostas anteriormente, vamos esclarecer alguns prós e contras do veículo a gás. Fique atento e se livre das principais dúvidas a respeito do assunto.

Pontos negativos do automóvel a gás

Maior pressão no cabeçote.

O cabeçote é o componente que equivale a quase metade de todo o motor. Como o gás aumenta significativamente a pressão interna no cabeçote, as chances dessa peça trincar são muito maiores do que as de um carro movido à gasolina ou álcool, por exemplo.

Diminuição da vida útil da vela automotiva

A parte elétrica do carro movido a gás é mais exigida do que em automóveis não convertidos. Dessa forma o desgaste na vela e cabos de vela são maiores, diminuindo a durabilidade destes componentes, podendo a vida útil ser reduzida à metade em alguns casos.

Possível travamento das válvulas do motor

O Gás Natural Veicular é um combustível seco. Essa propriedade substancial pode fazer com que as válvulas do motor ressequem e travem por conta da ausência de lubrificação.

Outros problemas

Há uma série de outros problemas frequentemente encontrados em carros convertidos para GNV, entre eles: aumento do consumo de água no radiador; menor duração da bateria; perda parcial ou total do espaço no bagageiro e menor durabilidade do motor de partida e do alternador

Pontos Positivos do uso do gás

Menos contaminação do meio ambiente

Carros a gás liberam menos resíduos poluentes no meio ambiente. Por isso, esse tipo de combustível é uma forma mais limpa e sustentável do que a gasolina e o álcool.

Maior durabilidade do escapamento.

O contato com a água pode fazer com que o escapamento estrague por causa da ferrugem. Como o GNV é um combustível seco, a vida útil do escapamento tende a ser maior.

Diminuição da troca de óleo

Outros combustíveis contaminam o óleo do motor mais rapidamente, fazendo com que ele fique mais sujo, aumentando a frequência de troca dessa substância. Como o gás não possui as mesmas propriedades contaminantes, o óleo do motor suja menos e dura mais.

Mais economia no bolso

Os carros a gás podem ser até 60% mais econômico do que os carros movidos a outros tipos de combustíveis. Essa é, talvez, a vantagem mais esperada por quem opta pelo GNV. No entanto, o consumidor precisa avaliar as condições do veículo antes de instalar o Gás Natural Veicular.

Outras considerações

O investimento pode chegar ao valor de R$ 2.000, dependendo do tamanho do cilindro, mas a compensação dos custos com a instalação pode demorar de quatro a trinta meses para chegar.

Além disso, é imprescindível que o consumidor escolha empresas de confiança para fazer a instalação. O manuseio inadequado dos cilindros de gás e a falta de manutenção podem causar acidentes gravíssimos e/ou danificar os componentes do carro.

Por Nanny Cunha.


Nova funcionalidade é disponibilizada a pedidos dos usuários.

A partir de agora é possível descobrir em qual posto de gasolina há combustível disponível usando o Waze. O aplicativo de localização pede que os usuários cadastrem se há ou não disponibilidade da álcool, gasolina ou diesel nos postos disponíveis no mapa da plataforma.

Para alertar sobre a novidade, os mais de 9 milhões de usuários receberam um alerta da empresa. “Ajude sua comunidade a achar combustível”, diz a mensagem no Waze.

A iniciativa se deu após a greve dos caminhoneiros, que deixou a maior parte do país sem combustível no último dias.

Os postos que ainda contavam com gasolina ou álcool tinha filas quilométricas. Quem conseguiu, abasteceu o tanque todo, mas muitos já estão sem nada nos carros.

Em algumas cidades, na esperança de chegar algum caminhão com combustível no posto, muitos donos de veículos acabaram dormindo nas filas.

Com essa facilidade do aplicativo Waze, os usuários mesmo irão atualizar os dados, em um sistema colaborativo. Por exemplo, se hoje um posto está sem nenhum combustível, um motorista vai e marca ele na plataforma. No dia seguinte, se outra pessoa passa pelo posto e vê que ele está abastecido, lança um alerta de que lá é possível adquirir combustível.

A ferramenta já oferecia, desde janeiro de 2018, a oportunidade de o motorista encontrar o posto de gasolina mais próximo de onde estava. No app é possível encontrar os valores dos postos e a distância de cada um deles.

Entenda a greve dos caminhoneiros e a falta de combustível

A alta constante do diesel e a falta de resposta do governo fez com que os caminhoneiros parassem e, consequentemente, o Brasil parasse. Com o transporte de cargas feitos, em sua maioria, pelas estradas, o trabalho deste profissional é essencial para que alimentos, insumos agrícolas, combustíveis e outros itens, sejam deslocados pelo país.

Boa parte dos que fazem esse transporte trabalha como autônomo e a constante alta do combustível vinha tornando o trabalho impraticável. Desde outubro de 2017 os caminhoneiros estão tentando contato com o Governo Temer, sem resultados.

Depois de muita tentativa, eles decidiram parar. O movimento de greve foi organizado por aplicativos e começou no dia 21 de maio. Os caminhoneiros pararam ,fecharam estradas e só permitiam que medicamentos, cargas vivas, carros de passeio e materiais hospitalares passassem.

Todos os caminhões, incluindo os que transportam combustíveis para aeroportos e postos de gasolina, ficaram parados. A greve seguiu sem que o governo se pronunciasse. Pouco a pouco, os materiais pararam de chegar na cidade e os postos foram esvaziando.

Apenas no dia 24 de maio, o governo fez uma reunião e tentou acordo, mas só conversou com alguns sindicados, deixando a Associação de Caminhoneiros, que representava os que estavam parados, fora do acordo. O resultado foi a continuação da greve.

O combustível acabou na maioria dos postos, em vários aeroportos e alguns caminhões estão sendo escoltados para que cheguem com combustível para carros públicos e aeroportos.

A greve dos caminhoneiros entra em seu oitavo dia. Dentre as diversas reivindicações da classe estão a extinção da cobrança de pedágios para eixos erguidos, revisão na política de preços dos combustíveis da Petrobras, redução do peso de tributos sobre o óleo diesel e, consequente, a diminuição do preço.

As negociações continuam. Embora algumas estradas tenham sido liberadas e o governo tenha cedido em vários item de reivindicações, os trabalhadores ainda seguem em greve em todo o Brasil.

Com isso, mesmo com o trânsito livre, a falta de combustível faz com que o movimento nas estradas seja baixo. Nas cidades, além de etanol, diesel e gasolina, a população sente a falta de alimentos perecíveis, gás de cozinha, entre outros.

Por Milena Godoy


Saiba aqui como saber qual tipo de combustível é mais vantajoso para seu carro.

A Petrobras vem escolhendo não baratear e facilitar quando o assunto é o valor da gasolina e do diesel no Brasil, a um bom tempo, para ser exato, desde 2009, apesar do petróleo seguir perdendo preço nos mercados fora do Brasil.

Esta decisão vem sendo criticada e bombardeada a um bom tempo, levando em consideração que os mercados do exterior, onde há a maior concorrência (como nos Estados Unidos, por exemplo) os valores costumam ser repensados e reajustados levando em consideração as variações nos preços.

A gasolina excedeu a marca de RS$3,00 em todos os postos de abastecimento em todo o país desde o ano passado (2017), e só vem aumentando de forma assustadora desde então, deixando muita gente de cabelo em pé. Mas antes de te mostrarmos o que vale a pena pra você, vamos entender porque ela subiu? O preço da gasolina é, e sempre foi, dependente pelo aumento do dólar e do petróleo. É como se os preços aplicados pela indústria da Petrobras fosse uma parte do preço pago pelo consumidor nos postos.

O números indicam que a partir do ano de 2013, foram, no total, quatro reajustes de aumento. O valor subiu aproximadamente 6,6% no primeiro mês de 2013; 4% no mês 11 de 2013; 3% no mês 11 de 2014 e 6% no mês nove de 2015.

Com esse aumento drástico e que anda deixando muita gente de cabelo em pé, começamos a refletir e repensar: O que mais vale, gasolina ou álcool?

Te ajudaremos nesse desafio de escolher entre um e outro, e te ensinaremos como calcular o que vale mais a pena para você no momento atual em que estamos.

A primeira coisa que deve ser levada em consideração, é a localização onde você resida, ou seja, os valores podem ser alterados dependendo da região onde você mora. Agora que você já sabe isso, vamos lá começar as contas.

Um economista uma vez ensinou a fazer uma conta, na qual você saberá se valerá mais a pena colocar gasolina ou álcool no seu carro, de uma forma bem simples e simplificada, porém, que precisará usar da matemática e uma calculadora.

Para os carros considerados Flex é necessário ter muita calma ao escolher que forma de abastecer. A mais notável diferença de valor e vantagens entre ambos os combustíveis está tanto no preço, quanto desempenho do combustível. Para que o álcool seja uma escolha melhor para você do que a gasolina, o valor do litro consistirá em custar até 70% do litro da gasolina.

Se deseja fazer esse cálculo de forma simples e rápida, pode acessar aqui e colocar os preços nas lacunas, de acordo com os que você vê na sua cidade. Isto te ajudará a ver qual dos dois compensa mais.

Mas, se você quiser fazer a conta que citamos no parágrafo acima, sem precisar que seja pela internet ou qualquer site, explicaremos para você como fazer e assim ficará mais fácil. É bem fácil e simples: consiste apenas em pegar o valor do litro do álcool e dividir pelo valor do litro da gasolina. Se o resultado que você obteve for inferior que 0,7 será mais viável você optar pelo álcool.

Porém, se for acima de 0,7 a melhor opção para você escolher é a gasolina.

Um exemplo para que você entenda bem: se o álcool tiver custando 1,80 e a gasolina estiver custando 2,80, o resultado que obtivemos é de 0,6, ou seja, valor menor que 0,7. Assim o melhor para você seria abastecer com álcool ao invés da gasolina.

Assim, coloque no papel: Preço da gasolina na sua cidade X 0,70 = preço máximo em que o alcool pode chegar.

Gabriel Pierini


Combistível deve ganhar acréscimo de 40% de Etanol em sua composição até 2020.

Nos últimos dias, jornais de todo país veicularam a informação de que o atual governador da república, Michel Temer, tem o interesse de assinar um decreto que pretende, até o ano de 2030, aumentar a proporção de etanol, em até 40%, na mistura de gasolina.

A notícia tem sido recebida por economistas, ambientalistas e cidadãos em geral, de forma bastante controversa e polêmica. Isso porque, se a medida for realmente levada até o fim e, dessa forma, executada, haverá um conflito de interesses muito intenso.

Para quem não sabe, o etanol, nos últimos anos tem sido uma opção de escolha muito utilizada entre os condutores de diversos veículos. O motivo parece óbvio, tendo em vista que é necessário somente levar em consideração o cenário econômico atual que o Brasil está inserido.

Quem faz o uso de veículos motorizados diariamente, sente no bolso os agravantes da instabilidade econômica do país, já que, a gasolina, por ser um derivado do petróleo, sofre bastante com as variações do mercado. Sendo assim, parece que o litro de gasolina sobe cada vez mais e deve continuar subindo ao longo dos meses. Por outro lado, o preço do etanol ainda se mantém constante e não sofre com as mesmas variações da gasolina, uma vez que é um biocombustível que tem origem na cana-de- açúcar.

Desse modo, de imediato, é necessário levar em consideração que o presidente Michel Temer sofre uma pressão internacional para diminuir o número de gases estufa. Vamos entender o contexto histórico: no ano de 2015 aconteceu a Conferência de Paris, que fez com que o Brasil tomasse alguma posição em relação à emissão de gases poluentes à atmosfera. Em Paris, vários países de diversas partes do planeta discutiram a importância de adotar ações sustentáveis que fossem viáveis, ou seja, estabeleceram metas que avaliaram serem capazes de conseguir cumprir, sendo a redução de gases estufa emitidos para o ambiente, uma das metas mais importantes e também mais difíceis de ser cumpridas, especialmente para o Brasil, um país essencialmente dependente de recursos combustíveis.

Os gases estufas vão para atmosfera e lá retêm a radiação do Sol , o que, por consequência, acaba causando o aquecimento do planeta Terra, que é chamado de Aquecimento Global. Embora esse assunto tenha sido bastante discutido nos últimos anos, as pessoas e principalmente as autoridades e empresas preferem ignorar o fato de que as consequências desse mal afetam a toda a vida na Terra, isto é, aos animais, natureza e coloca até mesmo a vida humana em risco.

Dessa maneira, se por um lado, o aumento do etanol a mistura de gasolina com certeza é algo positivo para o ambiente e claro, o bem estar dos cidadãos. Por outro lado, os especialistas tentam mostrar as desvantagens e os impactos que essa ação pode trazer para as pessoas que precisam consumir grande quantidade de combustíveis. Isso porque o Brasil ainda não possui uma grande área de plantação de cana-de-açúcar. Dessa forma, a matéria-prima que temos atualmente é suficiente apenas para abastecer as necessidades do mercado interno e exportar o excedente, que é um produto também muito importante nos índices de exportação.

De qualquer forma, esse aumento do etanol que está previsto não deve acontecer de uma hora para outra, isto é, essa elevação nos índices do etanol devem ocorrer até 2030. De qualquer forma, parece que esse é o momento adequado para se planejar e discutir a execução de medidas, com o intuito de que nos próximos anos, a escassez de plantações de cana-de-açúcar sejam suficientes para que tanto o mercado interno, que utiliza o produto para a produção de açúcar, bem como outros produtos, tenha a capacidade de abastecer os pontos de todo o país com o etanol. Mas é claro que contudo, isso aconteça sem que haja o término das exportações, que, no fim das contas, também é muito importante para manter a estabilidade da economia brasileira.

Ana Paula Oliveira Coimbra


Diesel sintético foi produzido a partir da mistura de água, gás carbônico e eletricidade.

A empresa de automóveis alemã Audi surpreendeu o mundo na última terça-feira, 21, com uma nova invenção: a produção de diesel sintético a partir da mistura de água (H2O), gás carbônico (CO2) e eletricidade. A produção do combustível renovável foi realizada na cidade de Dresden, na Alemanha.

O e-diesel, como é chamada a criação, foi produzido, experimentalmente, através de um processo químico chamado de eletrólise. Dessa forma, primeiramente, a água é transformada em vapor em uma temperatura superior a 800ºC e, é neste momento em que as moléculas são quebradas através da eletrólise. Após, ocorre uma reação entre o gás carbônico e o hidrogênio dentro de um reator de temperatura e pressão altíssimas, que resulta no hidrocarboneto “blue crude”, ou, em linguagem popular, um combustível refinado do petróleo, conforme citado em uma matéria no site Auto Esporte.

Na terça-feira foram produzidos cerca de cinco litros do e-diesel, que foram utilizados no abastecimento do carro da Ministra de Educação e Pesquisa do país alemão, Johanna Wanka.

Segundo a empresa alemã, o objetivo é produzir, dentro de três meses, cerca de três mil litros do novo combustível, que tem eficiência de 70% e utiliza somente energia renovável. Ainda, uma facilidade do produto é que ele pode ser usado de duas formas distintas: como combustível único ou, ainda, pode ser adicionado ao diesel comum.

Caso seja possível usar o gás carbônico para produção do e-diesel, o meio ambiente sofrerá menos com a poluição da fumaça produzida pelos carros e será um grande avanço no mundo automobilístico.

A Audi:

Para quem não conhece, a Audi é uma equipe membro da Volkswagen, e nasceu no ano de 1969. É uma empresa totalmente voltada para a fabricação de carros de luxo, justamente para não ter concorrência com os modelos populares produzidos pela Volks.

Aqui no Brasil os veículos da marca podem ser encontrados em cerca de 30 lojas, distribuídas por todo o país.

Por Andréa Corneli Ortis

Diesel ecológico





CONTINUE NAVEGANDO: