Confira as vantagens e desvantagens de vender o carro de maneira particular, ou negociar e entregá-lo em uma loja.

Uma das grandes paixões das pessoas ao redor do mundo são os veículos automobilísticos e com o brasileiro isso não é diferente. Nos últimos anos, a venda de carros em todo o território nacional se tornou maior ainda. Visto que hoje as montadoras de veículos facilitaram a venda para que as pessoas consigam atingir o objetivo de ter um veículo no próprio nome. Devido a essa paixão, os indivíduos sempre querem contar com carros melhores, mais modernos e que tragam mais satisfação aos seus donos e na hora de se desfazer do automóvel antigo, fica sempre aquela dúvida: qual a melhor maneira para realizar a venda? Devo negociá-lo de forma particular diretamente com outra pessoa ou então devo entregar para uma loja especializada? Se você está passando por está situação, conheça agora as vantagens e desvantagens de cada tipo de negócio. Quem sabe, após a leitura deste texto a sua decisão se torne mais clara.

Negócio particular venda direta para outra pessoa:

Vantagem: obviamente o grande benefício neste tipo de negociação que quem dá as coordenadas é o dono do veículo. Você faz a sua proposta para a pessoa interessada, mostrado qual o preço você deseja, como você gostaria de receber o pagamento. Além disso, hoje em dia, você tem diferentes canais de comunicação para divulgar o seu veículo, como: as suas próprias redes sociais, classificados de revistas e jornais, endereços eletrônicos especializados na compra e venda de veículos. Você vai poder ouvir diferentes pessoas e tipos de negócios e ao fim escolher o que mais lhe interessar. E também recebe o pagamento de forma integral.

Desvantagem: a desvantagem aqui é que o processo da venda do carro se torne mais lento. Visto que você vai ter que tomar todas as decisões sozinho e não vai contar com nenhum tipo de suporte para entender todos os pontos na hora da venda. Além disso, dependo do que você pedir, a busca pelo comprador ideal se torna um pouco mais difícil. Por exemplo, não são muitas as pessoas que possuem uma boa quantia de dinheiro e que possa realizar o pagamento à vista. E realizado um negócio sozinho, sem o suporte de uma empresa, em caso de algum problema pedir ajuda judicial se torna um pouco mais difícil. Pois, em uma questão como essa cabe muito a interpretação da situação de cada lado.

Negociar com uma loja especializada em carros:

Vantagem: o primeiro ponto que se deve falar neste caso é que só uma concessionária costuma aceitar diferentes propostas de negociações, o que torna o processo sem si mais fácil. Visto que você vai poder, por exemplo, usar o seu veículo como entrada para adquirir um novo automóvel, prática muito comum e que a maioria das concessionárias aceita como forma de negócio. O restante do valor, muitas vezes, é financiado ou são feitos outros acordos entre a loja e o motorista. Caso você não consiga encontrar um vendedor, qualquer concessionária acaba adquirindo um carro nos dias atuais. Pois, elas precisam contar com um arsenal repleto de diferentes modelos. A grande vantagem aqui é a praticidade do negócio. Obviamente, você precisa consultar diferentes concessionárias e pedir diversas avaliações para poder escolher o negócio que mais lhe seja vantajoso.

Desvantagem: o problema neste tipo de negociação é justamente a avaliação que a concessionária vai realizar. Pois, muitas vezes essas empresas tendem a baixar em uma porcentagem considerável o valor dos carros antigos. Já que essas lojas realizam uma série de avaliações sobre o carro e costumam achar diferentes pontos sobre o uso as condições que o automóvel se encontra. Dessa maneira, muitas vezes o carro tende a ser taxado com um preço injusto. Mesmo tendo tabelas disponíveis para a consulta para negociações de carros, como a Fipe, qualquer empresa visa ao lucro e com uma concessionária isso não é diferente.

A grande verdade aqui é que o primeiro ponto é ter calma e avaliar a sua situação, pois, ela é diferente de alguém da sua família ou amigo que também passou pelo momento de comercializar o antigo carro.

A dica é: procure pelos dois casos e avalie as propostas que receber. Só assim você vai poder fazer uma comparação e decidir o que é melhor para você.

Por Isabela Castro

Vender carro


As 3 primeiras posições do ranking dos modelos de picapes pequenas mais vendidas no 1º semestre de 2017 foram da Fiat, Volkswagen e Chevrolet.

As picapes pequenas há décadas fazem parte da vida de muitos brasileiros. Afinal, ela atende bem as necessidades daqueles que precisam de sua caçamba para fins de trabalho (dentro e fora da cidade) e até mesmo de lazer.

No primeiro semestre de 2017, as fabricantes que mais venderam modelos da categoria foram a Fiat, Volkswagen e Chevrolet.

Veja a seguir o ranking com os principais modelos:

3° Lugar – Chevrolet Montana

Foram vendidas 6.323 unidades do Chevrolet Montana no primeiro semestre de 2017. O modelo, mesmo figurando entre um dos mais comprados da categoria, teve número de vendas bastante inferior, se comparado com o de seus concorrentes.

O automóvel é um dos mais econômicos no segmento, prometendo alta eficiência energética. A linha 2018 já está disponível no mercado e é oferecida em duas versões, sendo ambas de duas portas, com motor Flex 1.4.

Maior eficiência energética

· Montana LS 1.4 EconoFlex – a partir de R$47.390.

· Montana Sport (com computador de bordo) – a partir de R$57.590.

Chevrolet Montana 2017

2° Lugar – Volkswagen Saveiro

Com 20.017 unidades vendidas no primeiro semestre de 2017, a Volkswagen Saveiro é a segunda picape pequena preferida dos brasileiros. A linha 2018 possui sete configurações com motor flex 1.6, visando atender os segmentos comercial e esportivo. O destaque fica por conta do fato de todos esses modelos terem freio a disco nas quatro rodas.

Veja a seguir todas as suas versões oferecidas e respectivos preços:

· Robust Cabine Simples (CS) 8V – a partir de R$46.530

· Robust Cabine Dupla (CD) 8V – a partir de R$57.890.

· Trendline Cabine Simples (CS) 8V – a partir de R$57.340.

· Trendline Cabine Dupla (CD) 8V – a partir de R$65.950.

· Highline Cabine Dupla (CD) 8V– a partir de R$67.560.

· Cross Cabine Estendida (CE) 16V – a partir de R$74.520.

· Cross Cabine Dupla (CD) 16V – a partir de R$77.470.

Volkswagen Saveiro 2017

1° Lugar – Fiat Strada

O modelo líder no segmento é o Fiat Strada, com 24.025 unidades vendidas. A linha 2017 oferece oito opções de automóveis, visando atender tanto o consumidor comum quanto o segmento comercial. Eles possuem motores flex 1.4 ou 1.8. Além disso, há alternativa de câmbio automático ou manual.

Confira os modelos e preços da linha Fiat Strada 2017:

· Working 1.4 (2 portas) – a partir de R$48.450.

· Working Plus 1.4 (2 portas) – a partir de R$50.550.

· Hard Working 1.4 (2 portas) – a partir de R$54.750.

· Hard Working Cabine Estendida 1.4 (2 portas) – a partir de R$59.050.

· Hard Working Cabine Dupla 1.4 (3 portas) – a partir de R$66.520.

· Adventure Cabine Estendida 1.8 16V (2 portas) – a partir de R$68.620.

· Adventure Cabine Dupla 1.8 16V (3 portas) – a partir de R$75.710.

· Adventure Cabine Dupla Dualogic 1.8 16V (3 portas) – a partir de R$80.340.

Fiat Strada 2017

Fotos: Divulgação

Para obter mais informações e realizar comparativo de todos os modelos citados no ranking acima, basta acessar os sites de suas respectivas montadoras no Brasil: Chevrolet (www.chevrolet.com.br/picapes/montana/versoes.html), Volkswagen (www.vw.com.br/pt/carros/saveiro.html) e Fiat (www.fiat.com.br/carros/nova-strada/monte-seu-carro.html).

Por Camilla Silva


Os hatches médios mais vendidos no primeiro semestre de 2017 foram o Chevrolet Cruze Sport 6, Volkswagen Golf, Ford Focus, Fiat Punto e Peugeot 308.

Antes queridinhos do público, os hatches médios ao longo dos anos estão perdendo espaço para outras categorias no mercado nacional. Isso tem acontecido devido ao surgimento de outros veículos bem equipados, com preços menores e/ou mais renovados.

No primeiro semestre de 2017, esse tipo de automóvel esteve longe de ser líder de vendas. Nesse quesito, dispararam em sua frente os modelos hatch pequenos, automóveis de entrada e SUVs.

Veja o ranking dos cinco modelos mais vendidos na categoria hatch médio no período:

5° Lugar – Peugeot 308

O automóvel da montadora francesa teve 578 unidades vendidas no período. O veículo possui motor Turbo THP Flex, com potência de 173CV e torque máximo de 24,5kgf. Seu câmbio é do tipo automático com opção ECO, que, segundo a fabricante, oferece até 7% de economia de combustível.

Preço de venda: a partir de R$90.590.

Peugeot 308 2017

4° Lugar – Fiat Punto

Com 1.680 unidades vendidas, o Fiat Punto apresenta motor flex e versões 1.4 (Attractive), 1.6 (Essence) e 1.8 (Blackmotion). A linha 2017 manteve aparência semelhante à de versões anteriores, porém com pacotes de equipamentos mais completos.

Preços de venda: iniciais de R$53.510, R$59.410 e R$65.670.

Fiat Punto 2017

3° Lugar – Ford Focus

Entre os primeiros colocados do ranking está o Ford Focus, com 2.115 unidades vendidas no país. O veículo é oferecido nas versões Hatch SE 1.6, Hatch SE Plus 1.6, Hatch SE Plus 2.0, Hatch Titanium PowerShift 2.0 e Hatch Titanium Plus PowerShift 2.0. A linha 2017 também não surgiu com grandes mudanças em seu design, porém apresenta o sistema multimídia Sync 3, que disponibiliza tela touchscreen e conectividade com smartphones.

Preços de venda: preços iniciais de R$83.490, R$91.990, R$101.290 e R$107.390.

Ford Focus 2017

2° Lugar – Volkswagen Golf

O segundo hatch médio mais vendido no primeiro semestre de 2017 é o Volkswagen Golf, com 2.461 unidades. A linha de automóveis é comercializada nas versões Comfortline 1.0 TSI, Comfortline 1.6, Highline 1.4 e Golf GTI 2.0. Com exceção deste último modelo, todas as versões apresentam motor Flex, garantindo maior economia para seus usuários.

Preços de venda: iniciais de R$77.247, R$78.130, R$101.350 e R$131.457.

VW Golf 2017

1° Lugar – Chevrolet Cruze Sport 6

O modelo líder na categoria é o Chevrolet Cruze Sport6, com 3.222 unidades vendidas. O automóvel é vendido nas versões LT e LTZ, sendo ambos com motor Flex 1.4. A linha destaca-se por seu conforto e Tecnologia MyLink.

Preços de venda: a partir de R$91.890 e R$103.990.

A Chevrolet não se destacou somente no segmento de vendas de hatchs médios. Afinal, a montadora também aparece como líder em outras categorias: hatch pequeno, sedan pequeno, sedan compacto, SW Grande, Grancab e Sports.

Chevrolet Cruze Sport6 2017

Fotos: Divulgação

Por Camilla Silva


Confira aqui os principais detalhes que podem diminuir o preço do seu carro para troca ou venda.

A tabela FIPE é uma das principais balizadoras ao considerar o preço de um veículo, porém, no momento da avaliação de revendedoras de veículos, muitos clientes “tomam” um verdadeiro susto quando percebem que ele está sendo avaliado com valor muito menor do que o constante na tabela.

Como não bastasse, algumas revendas, sem de forma alguma generalizar, inflacionam o valor de seus veículos, o que por fim prejudica de qualquer forma o cliente.

Quando a venda acontece de forma particular é perfeitamente possível “tabelar” o veículo pela FIPE, considerando é claro, alguns preceitos básicos de conservação na média.

Conforme indicado pela AutoAvaliar, através de seu diretor Daniel Nino, alguns itens em detrimento de outros são bem mais importantes e observados pelos avaliadores.

A AutoAvaliar, em parceria com 1,7 mil concessionárias, além de 20 mil lojistas de veículos multimarcas no Brasil, utilizou um aplicativo de cotação e avaliação criado pela própria AutoAvaliar, o qual indicou os 10 itens mais importantes, os quais as lojas ou concessionárias irão considerar no momento de comprar / receber um carro usado.

Itens mais considerados

Abaixo uma lista com os 10 principais itens elencados segundo a AutoAvaliar, dispostos por ordem decrescente de importância:

  1. Real Potencial de Revenda: Existem veículos com aceitação mais rápida no mercado, enquanto outros tendem a ficar mais tempo nos estoques. Considera-se que veículo parado em estoque, a rigor gera custo, principalmente em casos de muita desvalorização.

  2. Fora de Linha: Quase que instantaneamente os veículos que saem de linha, ou tem seu modelo muito “mudado”, passam a ter queda acentuada em seu valor prático de revenda.

  3. Seguro: Da mesma forma com que os clientes ficam atentos ao valor do seguro, os lojistas também, pois normalmente veículos com valor mais alto de seguro demoram mais para que a venda aconteça.

  4. Veículo de Fumante: Mal cheiro no interior do veículo, sobretudo de cigarro, é um mal presságio para a venda. Quando o proprietário é fumante e costuma fumar no interior do veículo é normal que o cheiro permaneça algum tempo, mesmo com limpezas específicas e etc.

  5. Desgaste dos Pneus: Pneus muito gastos ou defeituosos podem revelar outra questão interessante, pois podem indicar, além de “descaso”, também a certeza de que o novo proprietário deverá desembolsar um valor, muitas vezes alto, antes de fazer a vistoria.

  6. Pintura: Antes de levar um veículo para análise, seja em lojas ou particular, é importante fazer uma revisão na pintura, pois pequenos arranhões, marcas, manchas e etc podem fazer boa diferença no valor venal. Se for o caso, provavelmente será bem mais barato fazer os reparos do que arcar com a diferença na hora da venda.

  7. Quilometragem: Embora não sendo uma questão de extrema importância, tendo em vista as condições de rodagem e cuidados, a quilometragem quando alta sempre indicará menor conservação.

  8. Único Dono(a): E também boa procedência, são fatores levados em consideração ao avaliar. Podem denotar mais cuidado, mesmo que não seja algo tão indispensável à uma boa avaliação.

  9. Lataria: Muito semelhante ao item 6 (pintura), os cuidados com a lataria com relação a amassados e imperfeições, antes de levar para avaliação, podem constituir em um melhor valor.

  10. Bancos e Parte Interna: Não menos importante do que a parte externa do veículo, a interna deve estar sem “rasgos”, limpa e não gasta em demasia. Uma boa conservação ou renovação é importante. Se os bancos forem de couro, uma hidratação prévia é aconselhável.

Saiba mais acessando https://b2b.autoavaliar.com.br/.

Por Silvano Andriotti


Confira aqui a lista com os 10 carros mais vendidos no Brasil no mês de abril de 2017.

Que o brasileiro é apaixonado por carros isso não é segredo para ninguém, não é? Contudo, a intensa crise que atingiu a economia brasileira também chegou às concessionárias e pode ser refletido nas vendas que registraram uma queda em relação ao ano de 2016.

Segundo uma pesquisa realizada pela Fenabrave, as concessionárias do Brasil no mês de abril venderam o total de 152.383 veículos. De acordo com a pesquisa, esse número representa uma diminuição de 3,25% das vendas se comparado ao mês de abril de 2016.

Contudo, apesar dessa queda a pesquisa revela, o mês de abril foi bem melhor que o mês de março, que obteve uma redução na venda de automóveis e comerciais leves de 17,11%, em comparação ao mês de março de 2016.

Em um levantamento geral de vendas de automóveis no ano de 2017 verificou-se o emplacamento de 612.167 unidades, enquanto que o mesmo período do ano passado representa uma venda de 622.534 unidades, o que aponta a diminuição de 1,67% nas vendas.

As vendas diminuíram, mas não pararam. Neste artigo você saberá os 10 automóveis preferidos pelos brasileiros na hora de comprar um zero quilômetro.

Na lista dos 10 mais vendidos do último mês de abril encontram-se modelos de entrada, modelos intermediários, SUV’s e Picapes.

Confira os 10 carros mais comprados pelos brasileiros:

  • 10º Lugar: Em décimo lugar de vendas no Brasil está o Fiat Toro. Somente no mês de abril foram emplacados o equivalente a 14.709 unidades.
  • 9º Lugar: Foram vendidos somente no último mês de abril o total de 14.753 unidados do Honda-HR-V.
  • 8º Lugar: Para o oitavo lugar mais um Fiat aparece, sendo ele o Fiat Strada, cujo número de veículos emplacados é de 15.391.
  • 7º Lugar: Nesta posição temos o modelo Prisma, da fabricante Chevrolet, que teve 17.776 veículos emplacados em abril.
  • 6º Lugar: Quase no meio da lista encontramos o Corolla da Toyota, que no mês de abril teve 17.905 unidades emplacadas.
  • 5º Lugar: Agora sim, no meio da lista dos 10 mais vendidos, está o Renault Sandero, que no mês de abril teve o total de 21.082 modelos emplacados.
  • 4º Lugar: Nesta colocação temos VW Gol, que vendeu em abril o total de 21.462 unidades.
  • 3º Lugar: Compondo o topo dos 10 mais de abril temos o popular Ford Ka, que operou a venda de 27.514 veículos.
  • 2º Lugar: O quase preferido dos brasileiros, ocupando a segunda posição, é o Hyundai HB20. No mês de abril foram emplacados o total de 32.454 unidades.
  • 1º Lugar: O automóvel mais vendido do mês de abril foi o Chevrolet Onix, cujo número de emplacados foi de 53.313.

Sirlene Montes


O Chevrolet Ônix foi o modelo mais vendido em fevereiro de 2017.

Desde o início de 2017, o curto mês de fevereiro teve seu encerramento acompanhado de uma queda no mercado automobilístico de veículos novos em relação ao mês anterior. Essa redução nas vendas também foi sentida no mesmo período do ano passado, em comparação a fevereiro de 2016, as vendas caíram em quase 7%, segundo a Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores).

Aumento nas vendas em 2017:

A projeção é que os números sejam maiores nos próximos meses e que ultrapassem os mais de 130.000 veículos vendidos em fevereiro. Espera-se para 2017 um avanço no comércio de automóveis, em torno de 2% a taxa de crescimento deste setor deve subir. Neste dia 08 de março de 2017, a Fenabrave liberou a lista dos 50 carros mais vendidos no mês de fevereiro 2017.

Os cinco modelos mais vendidos em fevereiro:

Dos modelos mais vendidos em fevereiro, o destaque é o Ônix da Chevrolet, que tem recebido bastante atenção dos consumidores desde o ano passado e continua sendo o mais comercializado atualmente com quase 12.000 vendidos em fevereiro. O HB20 da Hyundai ficou em segundo lugar, com queda de 16,93% em relação a 2016, com apenas 6.521 vendas. O terceiro lugar é do Ford Ka, que ultrapassou vários modelos populares favoritos do público, como o Gol da
Volkswagen
que ficou em 4º neste último mês.

O Ford Ka vendeu 1.201 veículos deste modelo a mais do que Volkswagen Gol, porém, a porcentagem de crescimento das vendas do Gol foram bem superiores. A variação foi de 18,02% em relação ao ano anterior, o equivalente a 697 carros a mais do que em 2016. Para o Ford Ka, o aumento foi de apenas 3,89%, que são mais 216 veículos na contagem total do modelo.

Diversidade de montadoras no Top 10:

Nas posições consecutivas, também estão montadoras não tão populares no Brasil, como a Renault, Honda e Toyota. O Sandero da Renault 4.181 veículos neste mês de fevereiro, seguido pelo HR-V da Honda, que vendeu 3.594 carros. O Corolla da Toyota chegou próximo a este valor e teve 3.469 automóveis vendidos, redução de 30,58% em relação a 2016.

A Fiat só apareceu a partir do 10º lugar da lista, com o modelo Palio e na sequência em 11º colocação o Fiat Mobi que vendeu 3.049 veículos neste mês que se encerrou. O crescimento nas vendas de modelos mais modernos e arrojados é visível, o que proporcionou melhores colocações para montadoras mais recentes no país. Os próximos meses devem esclarecer se a preferência do público continuará neste segmento ou se haverão mudanças no padrão de vendas de automóveis no Brasil.

Por Fabiana da Rosa

Chevrolet Onix 2017

Hyundai HB20 2017

Ford Ka 2017

Fotos: Divulgação


Pesquisa foi feita pela Focus2Move e mostra que o modelo teve 1,33 milhão de emplacamentos em todo o mundo.

O Toyota Corolla saiu na frente dos carros mais vendidos no mundo em 2015. O modelo conseguiu uma marca nunca atingida, 1,33 milhão de emplacamentos no ano decorrente. Os dados foram fornecidos pela consultoria Focus2Move.

O Volkswagen Golf obteve o segundo lugar, com liderança na Europa emplacando 1,04 milhão de veículos no mundo, seguido de perto pelas picapes Ford F-Series, elas lideraram as vendas nos Estados Unidos durante muitos anos, com 920 mil.

O Corolla alcançou uma alta de 4,7% nas vendas, comparando-se a 2014, segundo informações transmitidas pela Focus2Move. O mercado dos Estados Unidos lidera o ranking de emplacamentos, 363,3 mil, seguidos da China (com 300,6 mil) e do Japão (com 109 mil).

Já no Golf, o aumento foi de 8,4% nas vendas mundiais, os mercados que mais compraram foi o alemão, chinês, britânico e o americano, dando uma disparada nos emplacamentos do modelo em 2015, 94%.

Por cinco anos consecutivos o Ford Focus vinha na vice liderança da lista de consultoria, mas em 2015 sofreu uma queda de 19,4% em suas vendas. A Hyundai Elantra também teve uma baixa nos emplacamentos, acompanharam essa queda a Toyota Camry e o Honda CR-V, isso em comparação aos dez primeiros colocados do ranking.

Lista dos 10 carros mais vendidos em 2015:

  1. Toyota Corolla (1.339.024)
  2. Volkswagen Golf (1.041.279)
  3. Ford Series (920.172)
  4. Ford Focus (826.221)
  5. Toyota Camry (754.154)
  6. Hyundai Elantra (746.924)
  7. Volkswagen Polo (698.182)
  8. Honda CR-V (696.594)
  9. Chevrolet Silverado (669.683)
  10. Toyota RAV4 (664.382)

Um carro que chamou atenção ao aparecer na lista em 11º lugar foi a Wuling Hongguang. Importado da China, ele é pouco conhecido em outros mercados. A produção da minivan é feita pela SAIC-GM-Wuling. Na India ela é conhecida como Chevrolet Enjoy.

Por Ruth Galvão


Houve um enfraquecimento do mercado automobilístico chinês entre outubro e novembro no Brasil.

O mercado automobilístico tem sido muito influenciado por marcas estrangeiras, e por esse motivo, há uma certa concorrência, inclusive em países da América Latina. No Brasil, por exemplo, houve um enfraquecimento do mercado automobilístico chinês entre outubro e novembro, com quedas nas vendas e consequentemente nas produções. De acordo com uma associação responsável pelo setor, a queda da demanda aconteceu devido às mudanças climáticas, e pela espera de promoções dos consumidores por causa do final de ano.

Lang Xuehong, vice-secretária geral da Associação de Concessionárias de Automóveis da China, disse ter sido feita uma pesquisa mensal com diversas concessionárias automobilísticas que vendem marcas chinesas de veículos, e o resultado foi que os estoques aumentaram nos últimos meses deste ano devido à demanda estar mais escassa.

Com o final deste ano de 2015, as concessionárias esperam que esta demanda melhore a partir do mês de dezembro. O mercado de automóveis chinês é considerado um dos maiores do mundo, e a maioria das marcas foram criadas para a melhoria da economia do país. Porém, recentemente tem desacelerado nas vendas, principalmente no Brasil, mesmo o Governo tendo cortado impostos sobre veículos motorizados, com motores de até 1,6 litros em outubro. Houve uma melhoria, mas não muito significativa, durante este reajuste.

Os pesquisadores do setor pretendem se esforçar para definir qual foi o impacto maior responsável pela queda, e para esperar fontes oficiais que forneçam dados das vendas do mês de novembro pela Caam (Associação Chinesa de Fabricantes de Automóveis) até a próxima semana.

As vendas automobilísticas cresceram 1,5% no geral de janeiro a outubro em comparação ao ano anterior. Xiao Zhengsan, secretário geral que faz parte da Associação de Concessionárias disse em uma entrevista que espera que o mercado de veículos possa expandir com rapidez em 2016, e com taxas maiores do que em 2015, estando de acordo com as especulações dos analistas de que as vendas vão aumentar 5% no próximo ano.

Por Daniela Almeida da Silva

Carros chineses

Foto: Divulgação


Neste ano a queda registrada é de 56%, tendo o Ford Fusion em 1º lugar no ranking de vendas, seguido do Hyundai Azera e do Kia Optima.

Como é de conhecimento geral, a crise econômica vivida pelo país neste ano de 2015 está assolando vários setores do comércio nacional e, como não poderia ser diferente, um dos setores que mais vem sofrendo com este cenário em que o país se encontra é o automobilístico.

É nessa perspectiva que os veículos classificados como sedans de grande porte, segundo os dados da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (FENABRAVE), registraram uma queda nas vendas de lastimáveis 56% em relação ao ano de 2014, sendo que nem mesmo o líder da categoria, o Ford Fusion, conseguiu escapar desse momento difícil, haja vista que no mês de novembro de 2015 apenas 454 unidades do veículo foram emplacadas, com este número de vendas o modelo está amargando um decréscimo de mais 53% nas vendas. O único dado estatístico que pode animar a Ford com relação a este seguimento é o fato de que com o total de veículos emplacados mencionados acima, o modelo conseguiu garantir um percentual de 82% de participação neste mercado, percentual este que foi o maior obtido dentre todos os demais segmentos.

Apesar de ter obtido um recuo nas vendas um pouco menor de 42,7% nas vendas, o Hyundai Azera conseguiu se manter na vice-liderança nos meses anteriores, sendo que foram comercializadas apenas 59 unidades, número este que representa o pior resultado deste veículo sul-coreano desde o mês de agosto. A boa novidade para a Hyundai é que, mesmo diante desse cenário ruim, o Azera conseguiu uma redução na desvantagem em relação ao Fusion para menos de 400 unidades.

Já a terceira posição deste segmento ficou com o Kia Optima, o qual teve apenas 11 unidades comercializadas, seguido pelo Honda Accord que conseguiu registrar o dobro de vendas no mês de outubro e subiu para a quarta colocação desse ranking.

O Chrysler modelo 300C e o Subaru Legacy ficaram dividindo a quinta colocação com a venda de apenas sete veículos cada.

A expectativa das montadoras é que este setor volte a se aquecer, contudo o consumidor está buscando cada vez mais a economia em todos os âmbitos. Logo, o momento é de muita cautela para os fabricantes de veículos deste segmento.

Por Adriano Oliveira

Ford Fusion

Foto: Divulgação


Modelos clássicos como Mercedes-Benz 60 AMG Limited (1994) e 630 Kompressor (1929) estão à venda em espaço criado no site da montadora.

Para os apaixonados por carros clássicos uma grande novidade, a marca Mercedes-Benz criou um espaço em seu endereço eletrônico destinado às vendas dos seus modelos mais clássicos em versões restauradas.

São verdadeiras relíquias automobilísticas como os modelos Mercedes-Benz 60 AMG Limited do ano de 1994 e o 630 Kompressor, um superclássico de 1929, sendo até hoje é um dos mais famosos entre as marcas automobilísticas.

A empresa alemã, que até hoje é referência em carros e coletivos, está tão empolgada com a nova ideia que inclusive treinou e colocou disponível no site e nas suas grandes lojas, vendedores especialistas nos modelos clássicos, para melhor atendimento dos seus clientes colecionadores, que muitas vezes têm maior conhecimento das máquinas do que simples vendedores da área.

Vale lembrar que a empresa alemã já contava com um super museu voltado para seus modelos clássicos e a história da marca, o "Mercedes-Benz Museum" que fica localizado em Sttuttgart, na Alemanha.

Para facilitar a organização no site, os modelos são encontrados em uma categorização ordenada em 3 tipos: os da linha "Premium" que correspondem às máquinas com pouca quilometragem utilizada e características bastante fiéis ao modelo clássico, focado na originalidade; os modelos "Collector" com o diferencial na mecânica reforçada; e os modelos "Drivers" que são carros também originais, mas que podem precisar de algum tipo de reparação .

Aos interessados em saber os valores, no site a marca alemã disponibilizou apenas o valor de alguns dos modelos  da categoria Premim  que variam de R$ 800 mil a R$ 3,5 milhões. Para conhecer os valores de outros modelos é necessário ir a uma loja da Mercedes-Benz para consulta.

Para ter acesso a mais detalhes, acesse ao site oficial da empresa através do endereço eletrônico:  alltime-stars.com.

Por Priscilla Fontes

Modelos clássicos da Mercedes-Benz

Foto: Divulgação


No acumulado do ano, o Fiat Palio segue como líder de vendas, mas se o Chevrolet Onix continuar com sua média de vendas nos últimos meses deste ano, ele poderá ser o grande líder de vendas do ano de 2015.

Com o fechamento do mês de outubro, os números da FENABRAVE apontam que o modelo hatch Onix da montadora americana Chevrolet segue como líder de vendas com um total 11.131 unidades vendidas.

No acumulado do ano de 2015 o Fiat Palio continua como líder de vendas, mas caso o Onix continue com a mesma média de vendas dos últimos meses para o mês de novembro fica bem provável que se torne líder de vendas do ano de 2015.

No mês de outubro, o Palio vendeu apenas 8.123 unidades ficando apenas com o terceiro lugar, atrás do Hyundai HB20 com 9.748 unidades vendidas.

Em 2015 o Palio mantêm a liderança das vendas com um total de 100.215 unidades vendidas. Em segundo lugar já aparece o Chevrolet Onix com 98.857 unidades e em terceiro aparece o HB20 com 88.620 unidades.

Para o mês de outubro, os dez veículos mais vendidos são: Chevrolet Onix com 11.131 unidades, Hyundai HB20 com 9.748 unidades, Fiat Palio com 8.123 unidades, Volkswagen Gol com 6.581 unidades, Chevrolet Prisma com 6.279 unidades, Fiat Strada com 6.052 unidades, Ford Ka com 5.880 unidades, Volkswagen Fox/Crossfox com 5.676 unidades, Toyota Corolla com 5.632 unidades e em décimo lugar aparece o Jeep Renegade com 5.623 unidades vendidas.

Já para o acumulado dos dez primeiros meses do ano, os dez veículos mais vendidos são: Fiat Palio com 100.215 unidades, Chevrolet Onix com 98.857 unidades, Hyundai HB20 com 88.620 unidades, Fiat Strada com 85.509 unidades, Ford Ka com 75.446 unidades, Volkswagen Gol com 69.828 unidades, Volkswagen Fox/Crossfox com 68.256 unidades, Fiat Uno 68.011 unidades, Renault Sandero com 63.585 unidades e fechando a lista aparece o Chevrolet Prisma com 56.115 unidades vendidas.

Outros veículos que merecem destaque nessa lista são: Chevrolet Prisma pelo crescente número de mais de 1.500 unidades vendidas em relação ao mês de outubro e o Jeep Renegade que está superando seu concorrente direto e então sensação, o Honda HR-V. 

Por Jean Fretta Pereira

Chevrolet Onix

Foto: Divulgação


A montadora é líder de vendas no segmento premium tanto em âmbito nacional quanto mundial. No Brasil, foram 1.893 unidades vendidas em setembro deste ano.

A Mercedes-Benz anunciou que lidera as vendas no segmento premium tanto em âmbito nacional quanto mundial.

No Brasil, a montadora alemã fechou o mês de setembro com um total de 1.893 unidades vendidas. Seguida pela Audi com 1.433 unidades que ficou em segundo lugar e a BMW, em terceiro lugar, com 1.100 veículos comercializados. Na Mercedes-Benz, o destaque é para o Classe C com um total de 839 unidades vendidas. Do crossover Q3 foram contabilizados 735 carros para a montadora Audi.

A procura pelos modelos compactos foi o que ajudou a empresa alemã a alcançar os excelentes resultados atuais.

Na Europa, foi comercializado um total de 593.716 carros nos nove primeiros meses do ano de 2015. Esses números indicam um crescimento de 11,1% ao mesmo período do ano anterior. Apenas na Alemanha, foram vendidos em torno de 1/3 desse montante.

No âmbito mundial, a Mercedes-Benz comercializou um total de 477.999 unidades apenas entre os meses de julho e setembro deste ano. Essa marca foi considerada como um recorde de vendas de toda a história da empresa, com um aumento de 16,1% nas vendas no respectivo período.

Contabilizando desde o início do ano, em termos globais foram comercializados 1.376.424 automóveis. Um aumento de 15,2% em referência ao ano passado. Segundo Ola Källenius, administrador da Daimler e responsável pela linha de carros da Mercedes-Benz, os novos modelos GLC e GLE registraram um sucesso de vendas em todo o mundo.

Com todo esse sucesso de vendas, deixa a empresa cada vez mais otimista para iniciar as operações na cidade de Iracemápolis, no estado de São Paulo, a partir do ano de 2016. A fábrica do Brasil será o quinto local de produção do modelo Classe C, atualmente já produzido na Alemanha, na África do Sul, nos Estados Unidos e na China.

Por Jean Fretta Pereira

Mercedes-Benz Classe C

Foto: Divulgação


Com a crise econômica afetando todos os setores do País, as vendas de carros usados aumentaram 7,24% no início de 2015 e as vendas de carros novos recuaram impressionantes 214,2%.

As boas vendas de carros usados no início de 2015 se devem ao fato da migração dos consumidores que não estão optando pelos novos modelos.

A crise no mercado automotivo é reflexo da crise econômica na qual está vivendo o Brasil. No entanto, o mercado de carros usados já está mostrando vigor desde o ano passado, quando as vendas dos veículos novos estavam em baixa.   

Se comparado os meses de janeiro a maio deste ano com o mesmo período de 2013 e 2014, as vendas de carros seminovos cresceram 7,2%. Já as vendas de carros novos obtiveram uma queda assustadora de 214,2%. Ao comparar os cinco primeiros meses do ano passado, as vendas de seminovos subiram 1,7%, enquanto a de novos obteve uma queda de 20%.   

De acordo com a Associação dos Revendedores de Carros Usados, a Fenauto, o ritmo de vendas está se mantendo em alta. No mês de maio, foram vendidas 825.295 unidades de veículos seminovos, contra 793.784 no mês de abril. Estes números representam um aumento de 4%. Foram vendidos 3.950.156 unidades de carros e comerciais leves no acumulado de janeiro a maio. No mesmo período de 2014, foram vendidos 3.895.232.   

O Volkswagen Gol segue como o carro líder de unidades vendidas com 439.926. Os carros Uno e Palio da Fiat aparecem em seguida com 261.224 e 240.289 unidades vendidas, respectivamente.   

Segundo o presidente da Fenauto, Ilídio dos Santos, os números do mês de maio demonstram um movimento de acomodação em níveis positivos. Santos se mostra otimista com o mercado de seminovos, acreditando que um comprador munido de informações sobre as condições oferecidas pelo mercado de usados pode realizar um ótimo negócio. Para ele, o seminovo consegue oferecer uma ótima relação de custo benefício, agradando quem deseja obter um veículo em boas condições por um bom preço que esteja dentro de seu orçamento.

Por William Nascimento

Comprar carro usado

Fotos: Divulgação


Fiat Palio lidera as vendas, seguido do Hyundai HB20 e do Ford Ka.

Mesmo com o mês de maio demonstrando uma leve melhora na economia brasileira, ainda não podemos nos considerar fora da crise, o constante baixo volume de vendas de carros é uma prova disso, porém, a leve melhora na economia pode ser um incentivo para as vendas nos próximos meses. Com a venda de carros não é diferente, confira aqui os carros mais vendidos do mês de maio.

1 – Novo Fiat Palio:

Liderando as vendas durante praticamente o ano todo, o Fiat Palio continua sendo o carro mais vendido do Brasil no mês de maio, com 10.470 unidades vendidas. O preço acessível combinado com a qualidade e a confiança dos clientes, com certeza, o ajudaram a atingir mais uma vez o primeiro lugar entre os mais vendidos.

Fiat Palio

2 – Hyundai HB20:

O carro que é relativamente novo no mercado brasileiro parece que chegou para ficar, a maior prova disso é o aumento em suas vendas que o fizeram alcançar o segundo lugar no mês de maio, foram 8.849 unidades vendidas no país.

Hyundai HB20 2015

3 – Ford Ka:

Lançado em agosto do ano passado, o novo modelo de entrada da Ford alcançou pela primeira vez a terceira colocação na lista dos mais vendidos, sendo a maior surpresa da lista de maio, com 8.347 unidades vendidas.

Ford Ka 2015

4 – Chevrolet Onix:

Não muito distante, o Chevrolet Onix ocupa o quarto lugar dessa lista com 8.212 unidades vendidas no mês de maio, marca que leva o veículo a ficar em segundo lugar dos mais vendidos no ano, perdendo apenas para o novo Fiat Palio.

Chevrolet Onix 2015

5 – Gol:

O carro que por muitos anos liderou essa lista aparece em quinto lugar no mês de maio com 7.986 unidades vendidas em todo o Brasil. Enquanto alcançar o terceiro lugar é uma marca impressionante para o Ford Ka, para o Gol é uma significativa queda perante o potencial de vendas que o carro já teve há alguns anos.

Volkswagen Gol

Fotos: Divulgação

Por Tom Vitor de Freitas


Setor automobilístico apresentou alta de 26,2% nas vendas em março

Se tem um setor que se destaca em vendas e participação na economia nacional, é o setor automobilístico. Os lançamentos das grandes montadoras, as atualizações de modelos já conhecidos e grandes eventos – como o Salão do Automóvel de São Paulo – são marcas registradas do segmento. Além dos consumidores regulares e dos apaixonados por carros, os empresários e funcionários do ramo também acompanham o ritmo do mercado de automóveis, que ora acelera e ora coloca o pé no freio.

A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos (Anfavea) divulgou – na última terça-feira, 7 de abril – alguns números relativos às oscilações do setor no primeiro trimestre deste ano. Em março, as vendas registraram uma alta de 26,2% em comparação ao mês anterior, fevereiro. Ainda em março, foram licenciados 234,6 mil carros, um número consideravelmente melhor diante dos 185,9 mil veículos comercializados no mês do carnaval. Aliás, o esfriamento do segmento no período se deu justamente por conta do feriado.

Porém, o desempenho positivo do mês de março não compensa o marasmo do primeiro trimestre de 2015. Ainda de acordo com os dados levantados pela Anfavea, nestes três meses, o comércio de automóveis alcançou uma queda de 17%. Se formos comparar com o mesmo período em 2014, saímos de 812.750 carros vendidos ano passado, para 674.380 vendidos neste ano.

Com a queda nas vendas, a produção também recua. A entidade revelou um recuo de 16% no trimestre. Mais uma vez, comparamos os números de 2014 com os de 2015: de janeira a março do ano passado foram 791.670 carros produzidos; já este ano, o número reduziu para 663.100 unidades.

Com as oscilações tanto no comércio quanto na produção do ramo automobilístico, as vagas de trabalho nas montadoras também são influenciadas. A Anfavea informou que foram registrados 140.841 funcionários empregados no mês passado. Já em março de 2014, o número era 155. 511. Os dados traduzem uma queda de 9,4% se compararmos 2015 e 2014. 

Por Clarissa Souza

Venda de carros

Foto: Divulgação


Vendas mundiais da montadora não atingiram bons resultados, registrando queda de 1,6%

O balanço divulgado pela Volkswagen em relação aos dois primeiros meses de 2015 só chegaram mesmo para deixar bem claro que este ano não será fácil para as fabricantes do início ao fim. De acordo com as informações contidas no balanço das vendas da companhia a montadora conseguiu comercializar um total de 920.700 unidades no mundo todo. Olhando apenas os números tudo parece bem, entretanto, ao fazermos uma simples comparação com o mesmo período do ano passado vamos ver uma queda de 1,6%.

Para compreendermos melhor um pouco sobre a atual situação vejamos alguns números:

O maior mercado para a marca que atualmente é região da Ásia-Pacífico não tem trazido bons resultados, na realidade o desapontamento é mais do que evidente. Por lá, o crescimento de fevereiro em relação ao mês de janeiro é de apenas 0,5%. A marca conseguiu vender somente 475.200. A título de curiosidade desse número de carros a maior parte, representando 441.600, foi destinada para a China.

Mudando de lugar no planeta vamos para a Europa onde o número de vendas chegou somente a 246.800 unidades. Claro, que nesse caso o problema também é agravado pela crise interna. A Alemanha também merece destaque na história já que foi responsável por um crescimento de 3,8%.

Outros mercados acabaram fechando em alta também. Mas isso não significa que de forma alguma a Volks pode “baixar a guarda”. Neste caso podemos citar como exemplo a América do Norte e América o Sul. Apenas o mercado de automóveis dos Estados Unidos ficou responsável por 2,8%.

O que vem por aí?

De acordo com o economista da LCA Consultores, Rodrigo Nishida, 2015 começou drasticamente ruim para o setor de automóveis. Os motivos são os mais variados possíveis como, por exemplo, o ajuste fiscal,  falta de crédito, aumento do IPI em janeiro e até mesmo a queda de confiança dos consumidores.

Ainda segundo as projeções da LCA para o ano todo a previsão é de que a queda nas vendas possa chegar até 8%.

Por Denisson Soares

Queda nas vendas da Volkswagen

Foto: Divulgação





CONTINUE NAVEGANDO: