Projeto aguarda votação na Câmara dos Deputados.

Nos últimos dias, sabe-se que no Brasil tem acontecido situações que vem causando muita polêmica. A última, se deve ao novo trâmite que foi proposto na Câmara dos Deputados recentemente. A proposta é que os agentes de trânsito tenham a permissão de multar condutores, apenas se eles conseguirem provar que a infração realmente aconteceu.

O atual Código de Trânsito permite que se perpetue a lei tácita chamada de ''fé pública'', em que o condutor do veículo ou até mesmo o proprietário precisam coletar provas para provarem que estão de acordo com a lei.

Dessa forma o Projeto de Lei, que ainda será julgado no Congresso Nacional, pretende alterar totalmente esse método utilizado pelos agentes de trânsito. Dessa forma, deve ocorrer o contrário: as autoridades de trânsito, responsáveis por identificar as infrações nas vias, precisam comprovar por meio de equipamentos, tanto eletrônicos quanto audiovisuais, que a infração realmente existiu e portanto, é totalmente justificável a aplicação da penalidade.

Nos dias de hoje, os agentes de trânsito já possuem a obrigação de agir dessa forma quando acontecem casos em que o condutor comete a infração por excesso de velocidade . Em situações como essas, os agentes precisam encaminhar fotos para a comprovação.

No entanto, a maior parte das infrações que são cometidas o trânsito, não cabe ao agente buscar provas e indícios a fim de mostrar às autoridades superiores sobre o motivo da multa. Isso porque já existem outros dispositivos que possibilitam que sejam feitos os registros eletrônicos em casos de avanço de sinal. Vale ressaltar ainda que as autuações em que o agente está presente tem a mesma validade que as demais.

Sendo assim, o maior intuito do PL é colocar um fim em em todos os registros de infração que não podem ser comprovados através dos recursos tecnológicos disponibilizados no momento, isto é, equipamentos de uso eletrônico ou então audiovisual.

Os autores do projeto de lei possuem boas justificativas para que ele tramite no Congresso Nacional. A primeira justificativa baseia-se no fato de que na Constituição Federal está estabelecido princípios, tanto da defesa quanto da contradição. .Além disso, foi considerado que a atual legislação pode prejudicar o cidadão que, neste caso, pode ser inferiorizado sob o poder que o Estado exerce.

Já o segundo argumento lançado para justificar o PL faz ainda mais sentido , uma vez que reflete a fragilidade do atual sistema de punição brasileira. Com isso, pode-se realçar que a certeza de que a multa foi realmente aplicada, na maioria das vezes, não é garantia de que ele não cometa novamente o mesmo erro. Isso porque, apenas multar não serve como medida educativa, que no fim das contas, é o meio mais eficaz para conscientizar e educar os condutores infratores.

A questão gera polêmica, principalmente entre os cidadãos brasileiros, uma vez que, no Brasil, não é surpresa para ninguém que os abusos de trânsito acontecem a todo momento e praticamente em todo lugar, o que resulta em um cenário, muitas vezes, desastroso. Para perceber isso, basta acompanhar os noticiários. Dessa forma, muitos afirmam que essa medida inverte os papeis de autoridade e fomenta o poder de motoristas infratores, que já estão acostumados a livrar-se de multas e flagrantes com muita facilidade.

Desse modo, é preciso pensar muito sobre o assunto para poder opinar sobre. Já que, apesar de realmente ser bastante difícil para o condutor provar que não estava errado e não cometeu determinado delito, esse projeto de lei também pode invalidar o poder dos agentes sobre o trânsito brasileiro e o que é pior, facilitar a vida de motoristas imprudentes e negligentes, que colocam a vida de outros veículos e passageiros em risco.

Ana Paula Oliveira Coimbra


Problema no Alternador do Motor atinge cerca de 15.500.

Geralmente quem compra um carro zero quilômetro sabe que por muito tempo estará livre das rotineiras manutenções que os carros usados comumente necessitam, sendo presenças marcantes nas oficinas, seja para uma troca de peças, manutenção, enfim, os carros com muitos quilômetros de rodagem sempre necessitam de mais cuidados.

Os carros novos retirados de concessionárias só vão mesmo às oficinas para realizarem manutenções rotineiras que as próprias concessionárias oferecem na hora da compra. Somente mesmo um check-up para verificar se tudo está bem, como deveria estar.

Porém, pode acontecer de carros novos apresentarem defeitos e necessitarem passar por reparos, a fim de impedir problemas maiores que envolvem a segurança de seus ocupantes.

Pode acontecer e acontece bem mais que se imagina de alguns modelos já saírem da fábrica com algum defeito e depois de um tempo quando este fato é descoberto, as marcas anunciam os recalls, que são convocações daqueles veículos que apresentam problemas ou que fazem parte daquele lote de carros que podem apresentar no futuro o problema.

E por falar em recall, a Fiat acaba de anunciar mais um. O anúncio aconteceu nesta sexta-feira, dia 09 do mês de março, e segundo as informações anunciadas, são 10 modelos da marca que estão convocados.

Dessa forma, se você é proprietário de uma veículo Fiat comprado a pouco tempo, fique atento às informações que seguem.

Os modelos que a Fiat anunciou são: Idea, Punto, Palio Fire1.0, Uno 1.0 e 1.4, Novo Palio, Siena 1.4, Grand Siena 1.4, Fiorino, Strada e Palio Weekend.

Na soma total dos modelos que precisarão passar pelo recall, são mais de 15.500 unidades.

A montadora italiana informou que em todos esses modelos existe um defeito de fabricação que pode levar a um desligamento repentino do motor, sendo que esse defeito é em decorrência de uma falha existente no alternador.

Todos esses modelos são do ano e modelo 2016/2017.

Dessa forma, se você possui um desses modelos cujo ano de fabricação é o informado, agende uma visita a uma concessionária da marca Fiat a partir da data do dia 12 do mês de março, próxima segunda-feira.

Não deixe de levar o seu veículo para a vistoria na concessionária, pois a assessoria de imprensa da Fiat informou que existe uma falha no alternador que pode ocasionar o mau funcionamento do motor, podendo causar o seu desligamento repentino, podendo então ocasionar o comprometimento das condições de dirigibilidade e que os riscos podem ser graves como de colisão, levando a danos materiais e principalmente físicos tanto no motorista quanto nos seus passageiros.

Os especialistas das marca afirmam que o reparo deve levar cerca de 60 minutos para ser realizado, por isso programe-se e não deixe de fazê-lo.

Nem todos os veículos que estão descritos apresentarão o problema , mas como pertencem ao mesmo ano de fabricação, todos devem passar pelo recall.

O defeito pode ser notado no caso da luz espia da bateria acender no quadro de instrumentos. Assim, caso isso ocorra, o veículo deve ser imediatamente levado a uma concessionária.

Se você possui dúvidas em relação ao recall, a Fiat disponibiliza um telefone para maiores informações. Dessa forma, ligue para 0800 707 100. Também no site oficial da marca é possível saber dessas e de outras informações.

O modelo que mais possui unidades que precisam passar pelo recall é o Novo Palio com 8.373 unidades, seguido pelo Strada com 2.731 e pelo Punto com 2.069 unidades. O modelo Siena possui apenas 2 unidades a serem reparadas.

Mas não importam os números, o importante é que se você possui algum desses veículos, esteja atento e não deixe de levá-lo para vistoria. Uma hora pode fazer total diferença para a sua segurança e de sua família.

Sirlene Montes


A segurança dos carros será reforçada no Brasil com a inclusão da obrigatoriedade de novos itens de segurança.

O Brasil tem um alto índice de acidentes no trânsito diariamente, e o número de acidentes fatais é cada dia maior, pensando nisso o Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN) divulgou a lista dos novos itens de equipamentos que serão regulamentados nos próximos 4 anos.

Segurança dos carros do Brasil ainda é muito atrasada

Já não é novidade que a segurança da maioria dos carros brasileiros é bem atrasada, se comparada aos modelos de carros importados de outros países. E infelizmente esses itens fazem muita diferença na hora de um acidente de trânsito, pois a maioria das causas da morte é por falta de equipamentos adequados. E com essa nova mudança, muitos carros vão ter novos equipamentos de segurança, que vão torná-los mais seguros.

Conheça os itens obrigatórios que estão em vigor

No momento os itens que são obrigatórios nos carros do Brasil são os freios ABS (antitravamento) e airbags dianteiros, fora as metas de emissão impostas pelo Inovar-Auto. Também já tem uma determinação que todos os veículos produzidos no Brasil tenham pontos de fixação para cadeirinhas infantis até 2020. Essa última determinação é visando ainda mais a segurança das crianças.

Negligência com a segurança das crianças nos carros no Brasil

Muitos pais não têm ideia do risco de vida que eles causam aos seus filhos, ao deixar a criança dentro do carro em movimento sem o uso da cadeirinha. Esse item é capaz de livrar a criança de um acidente fatal na maioria dos acidentes de trânsito. Por isso, esse item não pode faltar na nova regra de itens de segurança.

CONTRAN publicou no fim de novembro de 2017 a resolução 717

No fim de novembro de 2017 o COTRAN publicou a resolução 717, que mostra quais equipamentos de segurança serão regulamentados nos próximos 4 anos, contendo prazo para a publicação das resoluções que os transformarão em itens obrigatórios.

Vamos conhecer os 13 equipamentos de segurança (e a serventia de cada um) que serão regulamentados:

1- Sistema de visibilidade traseira

Esse item é a famosa câmera de ré e ele é um dos novos itens que será regulamentado. Esse item será regulamentado em até 6 meses.

2- Alerta de frenagem emergencial

Esse item avisa por meio de sinais sonoros/luminosos que está perto de tráfego lento à sua frente, evitando assim o risco de algum acidente, principalmente em ambientes com pouca iluminação. Modelos como: Ford Ranger e Chevrolet Equinox já possuem essa tecnologia. Esse item será regulamentado em até 6 meses.

3- Aviso para afivelar os cintos de segurança

Ele serve para avisar por meios luminosos/ou sonoros que os cintos de segurança não estão presos corretamente e é preciso afivelar os mesmos. Esse aviso é feito antes do carro entrar em movimento. Esse item será regulamentado em até 6 meses.

4- Atualização de normativo sobre dobradiças e fechaduras

Determinará padrões novos de acionamento e funcionamento das dobradiças e fechaduras das portas e porta-malas. Esse item será regulamentado em até 6 meses.

5- Atualização de normativos sobre retrovisores

Serão estabelecidos novos padrões de dimensionamento e acionamentos dos retrovisores. Esse item será regulamentado em até 6 meses.

6- Proteção para pedestre

Ainda não ficou claro se a regulamentação desse item será sobre a detecção preventiva de pedestres ou uma norma estrutural que vai reduzir as chances de sequelas em caso de atropelamento. Esse item será regulamentado em até 6 meses.

7- Impactos laterais

Ainda serão divulgadas duas resoluções a respeito desse novo item de segurança. A primeira é sobre os impactos laterais e a outra é a respeito das colisões contra postes. Nos dois casos aguarda-se a imposição de reforços estruturais nas portas e colunas laterais. Poderá haver também a obrigatoriedade de airbags laterais e de cortinas. Esse item será regulamentado em até 6 meses.

8- Atualização de normativos sobre buzinas

Serão estabelecidos novos padrões de acionamento e sonoridade das buzinas. Esse item será regulamentado em até 6 meses.

9- Frenagem automática emergencial

Esse item vai ajudar o motorista a realizar a frenagem com a pressão ideal. E em alguns casos ele vai agir sozinho para frear o carro e ajudar a evitar acidentes graves em caso de alguma colisão. Esse item será regulamentado em até 6 meses.

10- Aviso de manutenção em faixa

Esse item vai emitir um sinal sonoro ou visual, alertando o motorista a está explorando de forma involuntária os limites de sua faixa de rodagem. Esse item será regulamentado em até 18 meses.

11- Veículos com acessibilidade

Esse item estabelecerá a inclusão de equipamentos que facilitem o acesso das chamadas para pessoas com deficiência (PCD). Não se sabe ainda se essa regulamentação será geral ou apenas para carros adaptados. Esse item será regulamentado em até 18 meses.

12- Gravador de dados de acidentes de trânsito

Esse item será muito importante, pois vai funcionar como uma caixa preta (aquelas usadas em aviões), e ajudará a investigar em casos de acidentes. Esse item será regulamentado em até 36 meses.

13- Atualização de normativo sobre proteção ao ocupante incluindo impacto frontal e traseiro

Esse item vai estabelecer novos padrões de segurança, possivelmente ligados a reforços estruturais de carroceria. Esse item será regulamentado em até 6 meses.

Essas serão as mudanças nos itens de segurança dos carros do Brasil!

Por Cristiane Amaral

Cinto de segurança


A montadora anunciou que toda linha de produção destes veículos deverá passar por mudanças para que a segurança seja reforçada.

Os consumidores fiéis da marca Renault sempre tiveram a certeza de que estarão sempre levando para casa um dos automóveis mais seguros dentro da categoria de veículos de passeio leve.

Entretanto, conforme anunciado pela montadora nesta segunda-feira, dia 04 de dezembro, a partir de 2019, os automóveis Logan e o Sandero, ambos sucessos de vendas nas categorias Sedan e Hatch, respectivamente, deverão contar com um adicional de segurança a mais tanto para motorista quanto para os passageiros.

A montadora anunciou que toda linha de produção destes veículos deverá passar por mudanças para que a segurança seja reforçada.

Estas alterações deverão começar logo na escolha dos materiais utilizados para a fabricação das estruturas de cada veículo e também na nova montagem das carrocerias que deverão receber um reforço especial para se enquadrarem nos novos padrões de segurança incorporados pela empresa.

A decisão da mudança em todo o processo de montagem da Renault começou a mudar a partir dos testes feitos pela NCAP latina no qual tato o Sandero quanto o Logan ficaram com três estrelas após as baterias de testes.

Veja o que significa os testes feitos pela NCAP

Para quem ainda não conhece, o NCAP, que significa originalmente New Car Assessment Programme, é um programa feito para testar a segurança dos automóveis e que foi desenvolvido em 1997 no Reino Unido.

Devido à grande importância deste programa aplicado para todos os carros que são fabricados na Europa, pois todos os veículos são submetidos a rigorosos testes, principalmente os de impacto, os chamados crash testing, ele se tornou referência para as montadoras.

Pela sua confiabilidade, os especialistas fizeram uma adaptação dos padrões europeus de avaliação para os carros fabricados e utilizados nos países da América Latina. Daí surgiu o Latin NCAP.

Os parâmetros adotados para testes de segurança nos carros latinos tornaram-se também padrão de referência para a Renault Brasileira.

Os últimos resultados mostraram que os modelos tanto os Logan quanto o Sandero receberam três estrelas de classificação, a mesma de outro modelo a ser lançado pela montadora francesa, o Kwid.

Os padrões avaliados incluem não só o comportamento da lataria do veículo durante várias situações de colisões, mas também a outros requisitos básicos como dirigibilidade e estabilidade em condições as mais adversas possíveis.

Vale lembrar que os testes estão ficando a cada ano mais rigorosos e os veículos sempre são expostos a parâmetros cada vez mais pesados dentro de uma escala de exigência previamente estudada e cuidadosamente elaborada.

Com relação às modificações estruturais que deverão ser implantadas pela Renault em seus modelos, uma será a substituição do aço frio pelo aço quente a ser incorporado nas colunas dos carros fabricados.

Com uma propriedade mais resistente aos impactos, o novo material já faz parte de outros modelos fabricados pelas concorrentes como o Onix e Prisma.

Esta tendência têm tornado uma rotina comum adotada nas plataformas de fabricação de várias montadoras. Por exemplo, além da Chevrolet, a Ford anunciou também o uso de tal material nos seus modelos como o Ka e seu novo lançamento,o Ka Sedan já a partir de 2018.

Tanto nestes últimos quanto na demais linhas, o aço a ser utilizado deverá ser de alta resistência e proveniente de uma liga de vários materiais.

Segundo os especialistas ligados a Renault, esta progressiva evolução dos materiais utilizados está ocorrendo em virtude de uma verdadeira mudança nos padrões de tecnologia utilizados ao longo do tempo pelos principais fabricantes de veículos do mundo todo.

As empresas buscam cada vez mais a fabricação de veículos que, além de inteligentes e confortáveis, do ponto de vista tecnológico, possam oferecer também uma alta segurança e uma elevada dirigibilidade para seus consumidores.

Por Emmanoel Gomes

Renault Logan


Empresa desmente boato de que estaria suspendendo seus serviços no RJ.

Nos últimos dias, uma notícia vinculada pela imprensa nacional, sobretudo pelos meios de comunicação do Rio de Janeiro, pegou muitas pessoas de surpresa. Segundo os textos veiculados nos veículos de comunicação, a Tokio Marine teria encerrado suas atividades no setor de vendas de seguro para a cidade do Rio de Janeiro.

Considerada uma das principais organizações neste segmento de mercado, a Tokio Marine, por meio de sua assessoria de imprensa, tratou de negar este fato e disse que os seus serviços, que são conhecidos há tanto anos por diferentes indivíduos, estão sendo realizado da mesma forma de sempre.

Considerado um dos maiores grupos de seguradores dos mais diferentes veículos que atuam em todo o território mundial, a história da Tokio Marine começa no Japão, pois foi no país asiático que os primeiros passos para a criação da entidade foram dados há mais de 130 anos atrás.

Em mais de um século desde a sua criação, a Tokio Marine está presente por meio de suas sedes em mais de 30 países em diferentes continentes. Com mais de 25 mil funcionários, a empresa de origem japonesa atua oferecendo diferentes tipos de seguros para meios de transporte, sobretudo, para carros. A empresa está no Brasil há alguns anos e hoje figura na lista das principais seguradoras do país. Uma prova disso é que ela já foi premiada em diferentes oportunidades pelos serviços prestados a sociedade brasileira.

A entidade atua praticamente em todos os estados do território nacional oferecendo as melhores condições para que os donos de carros tenham todo o suporte necessário caso aconteça algo com o veículo que está em seu nome. Esse tipo de serviço é de extrema importância para qualquer pessoa que tenha um carro hoje em dia. Visto que qualquer um está sujeito a um tipo de imprevisibilidade.

Falando especificamente das últimas notícias que envolviam o nome da Tokio Marine. Muitos portais de comunicação informaram que a empresa estava suspendendo suas atividades na cidade do Rio de Janeiro. A capital carioca vem sofrendo nos últimos anos com alto índice de violência. Infelizmente, a população está sujeita a assaltos, roubos e tantos outros atos de violência. E nos últimos meses, se viu um tipo específico de crime ocorrer com uma freqüência maior, justamente o roubo de carros, caminhões e outros tipos de veículos automobilísticos. Visto que neste tipo de infração os ladrões usam o veículo para diferentes finalidades, desde usá-los de fato como meio de transporte, vender as peças do carro ou outras finalidades. Devido a isso, surgiu essas informações que a Tokio Marine estaria suspendo o seu serviço de seguro na cidade do Rio de Janeiro.

Como dito acima neste texto, a empresa asiática negou essas informações e confirmou que o seu serviço está disponível tanto para a capital carioca quanto para qualquer outra cidade brasileira. A empresa vai além e ainda reitera que nos últimos anos, uma cidade que tem apresentado um bom número de negócios fechados entre a seguradora e os clientes é justamente o Rio de Janeiro. Prova disso, que graças aos a essa informação a Tokio Marine está entre as três principais empresas de seguro da cidade. Visto que nos últimos anos, o número de veículos adquiridos pelas pessoas no Brasil se tornou muito maior graças às facilidades apresentadas pelas concessionárias para que as pessoas consigam realizar o sonho do carro próprio. Consequentemente, isso faz com as empresas de seguro tenham um número maior de clientes.

Se você possui um automóvel no seu nome e quer conhecer um pouco mais sobre os trabalhos que a Tokio Marine tem a oferecer, acesse agora mesmo o endereço eletrônico da empresa, através di seguinte link: http://www.tokiomarine.com.br/. A empresa sempre tem as melhores opções para oferecer aos seus clientes. Você não vai se arrepender de escolher o grupo asiático. Boa sorte!

Isabela Castro.


Confira aqui quais foram os carros mais roubados em SP 2017.

Com as facilidades impostas pelo Governo Federal e pelo crescimento econômico do país, hoje qualquer pessoa que possua renda fixa pode adquirir um bem, como um carro. Entretanto, ao comprar um objeto com um custo tão elevado, infelizmente, corre-se o risco dele ser roubado. E em uma reportagem realizada pelo portal iCarros, foi feito uma lista em que aparecem os modelos de carros mais roubados até o mês de agosto de 2017. Conheça agora os automóveis que estão presentes na lista.

Esses carros entraram na lista pois são os que tiveram mais de 10.000 unidades fabricadas. A lista foi construída através dos dados divulgados pela Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo. Só neste ano, mais de 100.000 veículos foram roubados na cidade de São Paulo e os motoristas que tinham contrato com uma seguradora de carros tiveram que acionar o serviço para rever o prejuízo. Na lista feita pelo iCarros, estão os seguintes veículos:

  • Kia Picanto.
  • Toyota Etios
  • Honda CR-V
  • Nissan March
  • Renault Clio
  • Chevrolet Corsa (acima de 1.0)
  • Nissan Tiida
  • Renault Fluence
  • Nissan Sentra
  • Honda Fit
  • Chevrolet Corsa
  • Hyundai Azera
  • Chevrolet Spin
  • Volkswagen Polo
  • Mitsubishi Pajero
  • Hyundai Tucson
  • Nissan Versa
  • Volkswagen up!
  • Ford Ka
  • Ford Ka (acima de 1.0)
  • Toyota Corolla
  • Peugeot 207
  • Hyundai Santa Fe
  • Chevrolet Astra
  • Renault Duster
  • Citroën Aircross
  • Renault Logan
  • Ford Focus
  • Fiat Doblò
  • Chevrolet Prisma
  • Chevrolet Meriva
  • Chevrolet Cobalt
  • Citroën C3
  • Citroën Xsara
  • Renault Sandero
  • Volkswagen CrossFox
  • Chevrolet Cruze
  • Chevrolet Vectra
  • Renault Mégane
  • Ford Fiesta 1.0
  • Fiat Uno Vivace
  • Hyundai i30 / ix35
  • Ford Fiesta (acima de 1.0)
  • Chevrolet S10
  • Ford EcoSport
  • Chevrolet Zafira
  • Toyota Hilux
  • Volkswagen Kombi
  • Volkswagen Jetta
  • Peugeot 206
  • Kia Sportage
  • Volkswagen Fox 1.0
  • Chevrolet Montana
  • Ford Fusion
  • Volkswagen Spacefox
  • Chevrolet Onix
  • Volkswagen Parati (acima de 1.0)
  • Honda Civic
  • Chevrolet Captiva
  • Fiat Uno 1.0
  • Fiat Punto
  • Fiat Uno (acima de 1.0)
  • Kia Cerato
  • Volkswagen Gol 1.0
  • Fiat Linea
  • Citroën C4
  • Ford Ranger
  • Fiat Fiorino
  • Volkswagen Golf
  • Fiat Grand Siena
  • Fiat Palio 1.0
  • Volkswagen Gol (acima de 1.0)
  • Fiat Idea
  • Peugeot 208
  • Volkswagen Fox (acima de 1.0)
  • Nissan Frontier
  • Fiat Palio (acima de 1.0)
  • Hyundai HR
  • Volkswagen Saveiro
  • Fiat Weekend
  • Fiat Strada
  • Peugeot 307
  • Volkswagen Voyage
  • Volkswagen Amarok
  • Fiat Siena 1.0
  • Fiat Siena (acima de 1.0)
  • Hyundai HB20
  • Chevrolet Celta 1.0

Esses foram os carros mais roubados na maior cidade do Brasil, em São Paulo. Se você possui um exemplar de um desses veículos e reside em São Paulo, redobre seus cuidados. Evite estacionar e andar em áreas perigosas, ruas desertas e sem policiamento. Também evite rodar com o carro em horários que a rua estiver mais deserta. Se tiver condições, inclua itens de segurança a mais em seu veículo, como: bloqueadores, rastreadores, travas para volantes e para os pedais, câmera de ré, alarmes, câmeras traseiras, trava elétrica, dentre outros itens. Ainda existem outras dicas para evitar o roubo de veículos, mas a dica é sempre preste atenção enquanto estiver dirigindo. E claro, não reaja a um assalto, sua vida é mais importante que um bem material. Lembre-se de fazer um contrato de seguros para qualquer eventualidade, isso é muito importante e em qualquer sinal de perigo acione a Polícia. Boa sorte!

Isabela Castro.


Confira aqui os principais modelos de Carros com Sistema Isofix para Cadeirinhas de Criança.

Aprovado pelo Inmetro no mês de outubro de 2014, o Isofix sistema de fixação de cadeirinhas passará a ser obrigatório nos veículos novos projetados a partir de 2018. Ao publicar a elaborada Resolução 518 do Contran (Conselho Nacional de Trânsito), no entanto, os legisladores do Brasil determinaram certas especificidades. A começar pelo fato de dar à empresa fabricante à chance de adotar o padrão Isofix de fato, o qual é utilizado na Europa, ou então o seu correlato, comum nos Estados Unidos, o Latch. A segunda é a exigência de um ponto superior para ancoragem, independente do sistema escolhido. E a última, que foi um erro grande, é considerar fixação obrigatória em somente um assento do carro, isto é, apenas para uma criança. Mas, enfim, como funciona e o que é esse sistemas?

CINTO: Desde o ano de 2010, os DRCs (dispositivos de retenção de crianças, sendo até 1 ano o bebê conforto, de 1 a 4 anos a cadeirinha e de 4 a 7,5 anos o booster ou assento de elevação) são obrigatórios no Brasil. E para tal equipamento ficar firme no banco do veículo é utilizado um mecanismo através do qual o mesmo é preso ao cinto de segurança e assim a criança é presa ao cinto do dispositivo. A operação não pode ter folgas, pelo risco de deslocamento.

ISOFIX: Através da evolução da tecnologia, principalmente na Ásia e Europa Ocidental, as empresas contam com um sistema mais seguro e mais prático para fixar as cadeirinhas e outros dispositivos: como o Isofix. Este sistema trabalha com terminais de engate, os quais são soldados de forma direta à carroceria do veículo. E por meio da base do banco ou então por uma abertura encontrada no estofamento, pode-se acessar estes dois terminais, para fixar as laterais da cadeira e encaixar o DRC. Em certos casos, é visível este encaixe, já em outros, há uma indicação através de uma etiqueta no banco e é necessário colocar a mão entre o encosto e o assento para pegar tais terminais. A cadeirinha conta com duas garras, sendo uma em cada extremidade, as quais encaixam nos terminais de engate.

Veja abaixo quais os principais veículos possuem Isofix ou Latch:

Carros com Isofix

Tabela do Jornal Estado de Minas

Confira agora uma matéria e saiba como instalar a cadeirinha no Isofix:

FILIPE R SILVA


Conheça aqui um pouco mais sobre os serviços ofertados pela Sascar.

Trabalhar com transporte de cargas no Brasil é um grande desafio que as empresas enfrentam todos os dias. Muitas são as adversidades que surgem pelo caminho. Entre as mais comuns estão o desvio, roubo e furtos de cargas e veículos, atraso nas entregas, rotas mais longas e prejuízo financeiro. Pensando nisso, a Sascar é uma renomada empresa que de forma inteligente e inovadora oferece serviços de monitoramento. Com esse serviço, os veículos em todo o trajeto da viagem são monitorados com a mais alta tecnologia e podem ser acessados de qualquer dispositivo que esteja conectado a internet. Garantindo assim muito mais segurança e proteção. Sem falar da eficiência no momento em que é necessário ajuda na localização e recuperação de veículos e cargas.

Para isso, a Sascar conta uma gestão que envolve controle, inovação e eficiência. É a única empresa de monitoramentos do Brasil que trabalha com uma moderna estrutura de tecnologia de informação. Os monitoramentos são realizados por meio de GSM, Tecnologia Satelital e Rádio Frequência Nacional, que possibilitam a conectividade 24 horas por dia, durante 7 dias na semana. O que garante cobertura em todo território Nacional.

Os diversos sensores instalados no veículo possibiltam o controle do motorista e da carga, pois fornece a posição no exato momento da busca, além de fornecer um histório com todos os pontos pelos quais passou ou fez parada o veículo. É mais que monitorar o trânsito das cargas, são soluções inteligentes que permitem:

  • Controle de níveis de combustível;
  • Desgaste dos pneus;
  • Controle dos locais visitados;
  • Controle da velocidade;
  • Programar manutenções;
  • Alertas de velocidade;
  • Melhores rotas;
  • Controle de data, horário e local de entregas;
  • Emissão de relatórios para tomadas de medidas preventivas.

É tudo que uma empresa de transportes necessita para aumentar a sua produtividade, reduzir custos e atender melhor seus clientes. A Sascar também oferece serviços especializados pois atende Revendedoras de gás, Usinas de agronegócios e veículos de Linha amarela.

No Brasil já existem mais de 18.000 clientes, aproximadamente 225.000 veículos monitorados por mês e 10.000 cargas.

Conte com as soluções Sascar e faça sua empresa ter excelência em transportes!

Ligue para 0300 789 6004 e conheça mais.

Sirlene Montes


O sistema apresentado entra em atividade no momento em que as portas de trás do veículo são abertas em um espaço de tempo de dez minutos antes da partida ou mesmo depois que o motor for ligado. Modelo 2017 do SUV Acadia já contará com recurso.

Já acompanhamos vários casos dramáticos e alguns até fatais sobre pais que esqueceram crianças nos carros. Recentemente a General Motors resolveu apresentar uma medida preventiva contra a situação e lançou nos Estados Unidos um recurso que alerta aos pais e condutores em geral sobre o risco de deixar alguma criança no banco de trás, presa dentro do carro.

O sistema apresentado entra em atividade no momento em que as portas de trás do veículo são abertas em um espaço de tempo de dez minutos antes da partida ou mesmo depois que o motor for ligado.

Para entender melhor, o sistema entra em ação, por exemplo, quando o motor for desligado e as portas destravadas. Com isso, ele vai emitir um sinal sonoro 5 vezes e ainda deixa um alerta no painel de instrumentos para que o motorista do veículo verifique os bancos de trás.

De acordo com as informações divulgadas até o momento a previsão é de que o recurso seja lançado já na linha 2017 do SUV Acadia, pertencente à marca GMC, que por sua vez pertence a GM. O modelo em questão não é comercializado em terras nacionais.

Segurança x Crianças:

Nos Estados Unidos, de acordo com alguns levantamentos feitos sobre esse tema, cerca de metade dos casos de morte que aconteceram por hipertermia e que ocorreram com crianças menores de 14 anos surgem principalmente pelo fator “esquecimento”.

O que acontece nesse processo de hipertermia é basicamente o seguinte: Com o veículo trancado haverá um aumento da temperatura corporal. Quando isso acontece a vítima pode sofrer convulsões, perda de consciência, asfixia e em casos extremos, pode levar a morte.

Nos EUA o tema é tão preocupante que a agência de segurança (NHTSA) resolveu fazer uma campanha esta semana para alertar aos pais e responsáveis sobre os riscos iminentes de se esquecer uma criança no veículo.

A NHTSA ainda chama a atenção para a questão apresentado quadros que a primeira vista não são tão preocupantes, mas que se revelam fatais. Um dos cenários é um carro em um dia de temperatura de 26°C. De acordo com a agência em um período de apenas 10 minutos as temperaturas dentro do veículo podem se tornas mortais. Além disso, há o fator “idade”. Nas crianças a temperatura corporal costuma aumentar cerca de 3 a 5 vezes mais rápido do nos adultos.

Por Denisson Soares

SUV Acadia 2017

Foto: Divulgação


Confira aqui o significado das letras e números presentes no Chassi do Carro.

Você já se deparou com alguma situação em que era necessário saber a chassi, sequência alfanumérica, de seu veículo? Se sua resposta é “sim”, saiba que isso é muito comum e saber como identificar tais números pode te ajudar bastante. Para te auxiliar a decifrar tal sequência de 17 números reunimos algumas dicas que irão te auxiliar:

O VIN VIN (Vehicle Identification Number) ou número de identificação do veículo é como se fosse o RG de um automóvel. Nele contém informações importantes, como o local de fabricação, ano, modelo e outros dados. Com o número do chassi em mãos, podemos identificar a procedência do veículo e até mesmo verifica-la, o que auxilia no controle de fraudes e na realização de recall pelas montadoras.

AS TRÊS PARTES DO CHASSI

A sequência alfanumérica VIN segue uma norma chamada NBR 6066, tais informações são divididas em três blocos de números e letras: WMI, VDS E VIS.

WMI

No primeiro bloco numérico se identifica a localidade da fabricação do veículo, o primeiro dígito corresponde ao continente, o segundo o país e o terceiro a montadora.

– Exemplos de países (1º e 2º caracteres):

  • Brasil: 9A a 9E e 93 a 99;

Argentina: 8A a 8E;

– Exemplo de montadoras (3 dígito):

  • General Motors: G;
  • Ford: F;

Grupo VDS:

No segundo bloco da sequência numérica há informações sobre o modelo, versão, tipo de carroceria e motorização. Confira alguns exemplos de tradução:

– Para o exemplo acima, a tradução é a seguinte: (4º ao 9º dígito):

  • R: Modelo do veículo (Celta)
  • D: Versão do veículo (LTZ)
  • 08: Carroceria Hatchback
  • X: Motorização (1.4)
  • 0: Número constante

Já no terceiro e último grupo de caracteres, são encontradas informação acerca da produção do veículo, como ano, número de série e local da fabricação.

– Para o exemplo acima, (10º ao 17º dígito):

  • 4: ano de fabricação do modelo (2004)
  • G: indica o local da fabricação do veículo (Gravataí – RS)
  • 117974: corresponde ao número de série do automóvel

VIS

A sequência numérica gravada nos vidros é do grupo VIS e corresponde ao ano, local de fabricação do veículo e o número de série. Tal número deve sempre ser igual ao chassi.

A norma NBR 6066 (2001) diz que as letras O, I e Q não podem ser usadas na sequência numérica de chassi, devido à probabilidade em confundir as letras com outros caracteres.

Miriã Marconi


Levar um animal solto no carro além de ser perigoso configura um crime. Por isso, algumas dicas podem ser seguidas para transportar seu animal de estimação em segurança.

Adora levar seu bichinho para passear? Acha lindo quando ele coloca a cabecinha para fora do carro para tomar um ventinho? Saiba que você pode estar colocando a vida de seu pet em risco sem querer! Por se movimentarem muito os bichinhos podem sem querer cair da janela de seu veículo, ou atrapalhando a sua direção e um segundo de distração no trânsito pode significar um desastre. Pets soltos, seja no banco de trás ou do carona são um risco não só a si mesmos mas aos seus donos.

Levar um pet solto no carro além de ser perigoso configura um crime. A lei prevê, no código de trânsito em seu artigo 252 que é infração grave dirigir transportando pessoas, animais ou volume à sua esquerda ou entre os braços e pernas e ainda no artigo 235 a lei prevê proibição de carregar animais ou carga do lado externo do veículo, salvo se autorizado.

Alguns cuidados são necessários para que seu pet tenha um passeio tranquilo e seguro. Saiba como evitar acidentes com seu pet:

Para animais pequenos existem três opções: o cinto de segurança para cães que é um peitoral para ser adaptado ao cinto do carro, o adaptador de cinto de segurança, que prende a coleira de seu animal ao cinto e a cadeirinha, semelhante àquela usada pelas crianças.

Já para os animais maiores devem ser transportados dentro de uma caixa de transporte adaptada ao seu tamanho. Se estiverem soltos dentro do carro podem se ferir e se forem presos em corda ou corrente podem se enforcar ou sofrer traumas.

Se você possui um carro Hatch, aqueles modelos que possuem porta malas sem a tampa traseira, pode também adquirir alguns tipos de grades específicas, que permitem o transporte de seu animalzinho nesse espaço com a maior segurança.

Atenção especial deve ser dada aos gatos, já que estes são territorialistas e odeiam sair de casa. Para evitar maiores estresses ao seu bichano sempre transporte-o dentro  da caixa de transporte.

A melhor opção para seu animal deve ser avaliada de acordo com o tamanho de seu carro e de seu pet. Os pet shops possuem inúmeras opções para o transporte seguro de seu animal.

Sempre é preciso reforçar que nunca se deve deixar um animal sozinho dentro do carro, mesmo que seja por alguns instantes. Evite também lugares abafados ou sob o sol, para que seu bichinho não sufoque ou tenha algum problema.

Por Patrícia Generoso

Transportar seu pet com segurança

Transportar seu pet com segurança

Fotos: Divulgação


Nova ferramenta de segurança faz a leitura da sinalização fazendo com que a velocidade do carro fique de acordo com a estabelecida pela via

O surgimento de novas tecnologias automobilísticas está proporcionando inovações surpreendentes em segurança.

A cada  dia ou a cada lançamento de um novo carro, seus acessórios vêm surpreendendo o público, gerando uma confiabilidade ainda maior na compra de  um carro moderno que oferece mais segurança.

Uma tecnologia chamada “Cruise Control”, que  reduz a  velocidade ou controla  a velocidade do automóvel de acordo com o trânsito.

É isso que a montadora Ford apresentou na segunda-feira, 23 de março, na Alemanha, um limitador de velocidade inteligente que reconhece placas de  trânsito e  identifica a velocidade máxima da pista.

O sistema é equipado com uma câmera na dianteira do veículo, responsável pela leitura da sinalização, assim fazendo com que o a velocidade do carro seja de acordo com a estabelecida pela via.

Essa  redução ou desaceleração ocorre  com a  diminuição da alimentação  do  combustível, os  freios não são acionados, o que  garante  a  suavização da  redução. Se o trecho  for em  descida, um alarme é disparado.

O sistema limitador inteligente de velocidade terá sua estreia no novo S-MAX europeu, que  também oferece outras tecnologias avançadas.

Outras características adaptativas do novo sistema é a reprogramação que acontece automaticamente, isto é, se o veículo entra em uma via cujo limite é menor do que aquela que ele estavam, procede-se com a  redução. E se ele entrar em uma via cujo limite é maior do que ele estava é também estipulado o aumento (neste  caso a  aceleração é feita pelo próprio motorista).

O sistema de  navegação GPS também é integrado ao novo equipamento, em vias onde são mapeadas as  velocidades máximas o veículo automaticamente ajusta os parâmetros do limitador de  velocidade.

Caso o motorista deseja desativar momentaneamente o sistema, basta pisar firmemente no acelerador. O dispositivo também se comunica com o controle eletrônico de aceleração (cruise control) e ajusta os  valores programados dentro dos limites de velocidades reconhecidos.

Esta tecnologia deverá ser empregada em  breve em  outros modelos da  Ford, inclusive podendo chegar ao Brasil em versões mais caras de alguns veículos.

Por André Escobar

Limitador de velocidade da Ford

Foto: Divulgação


Portaria publicada pelo Inmetro obriga fabricantes e revendedores a colocar etiqueta informativa em pneus vendidos no Brasil.

Através da Portaria 544/12 do Inmetro, os pneus completos comercializados no território brasileiro, a partir de outubro do próximo ano, sendo produzidos no país ou importados, irão precisar ser etiquetados com três especificações de eficácia, sendo de resistência ao rolamento (que interfere na eficácia no consumo de combustível), aderência no molhado e ruído externo. A adoção poderá auxiliar o consumidor a solucionar prováveis questões no momento de escolher o pneu mais apropriado para o veículo.

O Programa Brasileiro de Etiquetagem (PBE) possui regulamentação pelo Inmetro, que faz padronização da implementação de etiquetas com a finalidade de oferecer detalhes a respeito da performance dos pneus, tendo como base os atributos, onde pode-se citar eficácia energética, segurança e impacto ambiental, que têm a possibilidade de interferir na opção do consumidor, permitindo possuir determinações de compra mais conscientes.

Entre as três especificações consideradas pelo INMETRO, a Resistência ao Rolamento possui como base a eficácia energética e o consumo de combustível de automóveis. Isto significa que quanto menor for o consumo, menor será a influência no meio ambiente, pois haverá uma diminuição na emissão de CO2. A aderência ao piso molhado, por sua vez, aponta a performance de segurança de um pneu e oferece detalhes sobre a aderência em pisos molhados. O Ruído Externo, avaliado em decibéis, possui detalhes significativos a respeito do nível de influência no ambiente.

A etiqueta será adota nos pneus completos de construção radial para veículos, utilitários esportivos, picapes, vans e caminhonetas, assim como para caminhões e ônibus para adoção nos serviços Regional, Rodoviário, Regional Severo, Misto e Urbano.

Para as medidas de resistência ao rolamento e aderência no molhado, serão implementadas graduações de A a G, conforme a eficácia nos experimentos para a aferição do barulho, terá três ondas. Uma onda negritada consistirá o menor nível de ruído externo e as três ondas negritadas irão significar a maior medida de ruído externo.

Felipe Couto de Oliveira


Nos Estados Unidos, um garoto de 14 anos hackeou com facilidade o sistema de segurança de um automóvel, durante uma convenção de segurança da informação. O menino usou apenas equipamentos comprados em uma loja de departamentos que custou pouco mais de 14 dólares. O jovem destravou o carro e deu a partida utilizando a placa que ele mesmo construiu. A identidade do garoto e a marca do veículo hackeado não foram divulgadas.

O menino afirmou que construiu a placa de circuito durante uma madrugada e no dia seguinte invadiu o sistema do carro com facilidade. Ele destravou as portas e acionou remotamente a ignição do veículo. Além disso, ele também acionou os limpadores de para-brisas e o sistema de áudio.

Tudo aconteceu em uma competição de ciber-segurança realizada por uma entidade de pesquisa em tecnologia da informação Battelle. O cientista que auxiliou a organização do evento, Anuja Sonalker, afirmou que esse foi um "momento chave" para a indústria automotiva. 

Sonalker ainda afirmou que os principais desafios para os carros conectados são invasões, "sequestros", malwares e roubos de dados. Ele considera que é quase uma missão impossível prevenir as invasões e que minimizar os danos é de grande importância para o segmento. Para isso, sistemas e padrões de detecção de invasões mais adequados e a cooperação entre governos e montadoras são de grande importância.

A invasão do garoto acontece em um momento em que a indústria automotiva investe em veículos conectados e a questão da segurança é um ponto chave.

Em Janeiro, a Ford abriu um centro de pesquisas no Vale do Silício. O Google já firmou que está criando um carro autônomo e até mesmo a Apple já se mostrou interessada no segmento. 

Por Ana Rosa Martins Rocha

Foto: divulgação





CONTINUE NAVEGANDO: