Os interessados em obter a CNH Digital devem seguir 4 passos. Confira quais são.

A CNH Digital já está em vigor em todo o país, mas a cobrança desta novidade irá ficar a cargo de cada estado, entretanto, muitos são os motoristas que já demonstram interesse em usá-la, porém, não sabem como é feito o cadastro e muito menos como devem utilizar o documento no celular.

A previsão é que a partir do próximo mês de julho a CNH Digital seja oferecida, só que vários estados resolveram se antecipar e já contam com este sistema. Na prática não muda nada, a CNH-e, como vem sendo chamada, tem o mesmo valor jurídico que a CNH impressa e esta, inclusive, continuará sendo emitida por prazo indeterminado.

Os interessados em obter a CNH Digital devem seguir 4 passos:

01º) É importante saber quem pode tirar este documento, sendo que se faz necessário ter a CNH impressa com o QR code. Na versão antiga não tem a imagem do QR code, então é preciso pedir uma segunda via, ou então renovar a carteira de habilitação, para que só aí possa solicitar a CNH digital. Vale lembrar que para renovar a CNH não é preciso esperar que ela vença.

02º) O passo seguinte é efetuar o cadastro no site do Denatran. Acesse o portal (portalservicos.denatran.serpro.gov.br) e vá até a opção 'Cadastro' que fica no menu localizado à esquerda da página. Ao concluir o cadastro, o site informa que foi enviado um link para ativação. É preciso consultar o e-mail e clicar no link enviado para que o cadastro possa ser ativado.

03º) O próximo passo é ir até o Detran onde a CNH impressa foi emitida e confirmar todos os dados, mas é possível usar um certificado digital e fazer todo esse processo pela internet, só que aí é preciso pagar uma taxa. No caso da CNH Digital, cada Detran irá decidir se ela será cobrada ou não e caso seja, estipular o valor a ser pago.

04º) Por último, é preciso baixar o aplicativo da CNH Digital, que é gratuito e encontra-se disponível tanto para o sistema operacional Android como também iOS. É importante ficar atento para não baixar aplicativos falsos, pois os criminosos estão fazendo de tudo para enganar os motoristas. O acesso ao APP oficial é através do código de ativação que o Denatran envia para o e-mail do condutor. Agora é só criar uma senha com 4 dígitos para ter acesso ao documento através do smartphone.

A CNH Digital tem a mesma validade que a versão física. Ninguém precisa ter certificado digital para obter a versão digital, porém, quem tiver pode realizar uma etapa pela internet, não precisando ir até o Detran de sua cidade. O certificado digital só pode ser oferecido por entidades credenciadas e o pacote de 1 ano custa hoje R$ 164,00. Nos Correios é possível obter o serviço ao preço de R$ 267,00 pelo prazo de 36 meses.

O Serpro – Serviço Federal de Processamento de Dados, responsável pelo desenvolvimento da CNH Digital, também oferece certificado digital, o valor é de R$ 145,00 por um ano e para 36 meses o valor é de R$ 220,00.

O aplicativo da CNH Digital irá informar também a pontuação do condutor e irá avisar quando a carteira estiver próxima do vencimento, evitando assim que ele esqueça de providenciar a renovação da mesma. O Ministério das Cidades garante que o sistema criptográfico garante total segurança à CNH-e. Caso o smartphone do condutor seja roubado, ele consegue bloquear o documento no site de serviços do Denatran, caso tenha certificado digital. Quem não tiver, deve ir a um posto do Detran solicitar o bloqueio.

Importante ressaltar que a multa para quem dirige sem a CNH é de R$ 88,38 mais 3 pontos na carteira, sendo que o veículo permanece retido até que o condutor busque o documento ou peça que alguém leve até o local onde se encontra.

Por Russel

CNH Digital


Confira como dirigir carros automáticos e principais dicas.

O carro automático tem conquistado cada vez mais os motoristas brasileiros, principalmente pelo fato de deixarem o ato de dirigir menos cansativo. Afinal, com esse modelo, ao parar no congestionamento, você pode dar uma folga para o seu pé esquerdo. O automóvel automático pode ser encontrado em versões mais sofisticadas e também nas mais populares.

Você pretende trocar de carro e quer deixar de lado o modelo manual e dar preferência para um veículo automático? Para quem não está acostumado, é comum sentir diferença e até certa dificuldade para começar a dirigir esse último tipo de automóvel. Porém, com algumas dicas simples é possível se tornar craque na direção.

Entenda a posição das marchas

Ao dirigir um carro automático, provavelmente a primeira diferença sentida diz respeito à posição das marchas. Ao contrário do modelo manual, as marchas não ficam em H, pois estão alinhadas e os números de 1 a 5 substituem as letras. Na versão manual, a troca de marchas tem que ser feita por meio do comando do motorista, que tem que puxar a alavanca de câmbio, enquanto que no automático, a mudança ocorre automaticamente, basta frear ou acelerar o carro.

As posições das marchas do veículo automático possuem os seguintes significados:

P – Parking (estacionado), é usada quando o carro está totalmente parado;

R – Ré, é usada para movimentar o automóvel para trás;

N – Neutro, é o ponto morto e pode ser usado quando houver a necessidade de locomover o veículo com o motor desligado em distâncias curtas;

D – Drive (dirigir), é usada para andar com o veículo;

4-3-2-1 (L), são posições que variam em cada modelo de carro, sendo necessário consultar o manual.

Não use o pé esquerdo

Quem dirige carro manual está acostumado a usar o pé esquerdo para pisar no pedal da embreagem. Ao começar a usar um modelo automático, é normal que inicialmente os motoristas pisem por acidente no pedal de freio, que geralmente é maior nessa versão.

Por falta de costume, o condutor pode pensar que como há dois pedais, o ideal é usar os dois pés enquanto dirige. Mas, o pé esquerdo está acostumado a fazer um tipo de pressão na embreagem, o que faz com que ao frear, o carro sofra um impacto maior. Por isso, não use o pé esquerdo até que esteja habituado com a direção do veículo automático.

Deixe na posição correta para ligar

Muitos automóveis em versão automática, especialmente os mais antigos, necessitam que o motorista pise nos freios para que a ignição seja acionada. Mesmo que isso não seja uma regra, o mais indicado é que o câmbio esteja sempre disposto na posição ‘’P’’ ou ‘’N’’. Também é necessário pisar no freio antes de alterar a posição do câmbio para ‘’R’’ ou ‘’D’’.

Cuidado ao engatar a ré

Quando se engata a ré no carro automático, é imprescindível que ele esteja totalmente imobilizado, do contrário pode haver avarias graves. A maior parte dos sistemas possui um botão-trava, que impede que as marchas sejam mudadas de ‘’D’’ e ‘’N’’ para ‘’R’’ ou ‘’P’’, que tem a intenção evitar que o condutor faça essa ação acidentalmente.

Use marchas reduzidas em decidas longas

Na maioria dos modelos automáticos, o sistema de câmbio solta o carro para reduzir o RPM do motor. Dessa forma, ao passar por declives, o automóvel vai ficar mais veloz, exigindo a necessidade de pressionar os freios, que tendem a ficar superaquecidos.

Nesse tipo de situação, o mais recomendado é optar pela posição 2 ou ‘’L’’ para que o veículo fique mais preso enquanto estiver andando, diminuindo a exigência do uso dos freios. Indica-se que isso seja realizado antes de passar pelo declive, assim você impede que o sistema seja forçado e contribua para que o óleo da caixa de marchas fique superaquecido.

Por Simone Leal

Câmbio automático


Para que o motorista infrator receba o desconto, ele precisa estar cadastrado no aplicativo e opte por gerar a multa, sem precisar marcar apresentação de recurso ou defesa prévia, assumindo assim ter feito a infração.

Já está disponível para motoristas de todo o Brasil, o download do SNE, Sistema de Notificação Eletrônica, que é um aplicativo que oferece aos motoristas cadastrados descontos de 40% em multas interestaduais, recebidas em trânsito.

O aplicativo foi desenvolvido a pedido do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito) com a finalidade de estabelecer uma comunicação entre os órgãos de trânsito e motoristas com mais agilidade e eficiência no recebimento das notificações de infrações.

Os motoristas que desejam o acesso a essas informações devem baixar o aplicativo SNE e assim fazer uma conta pessoal, de forma que os dados do automóvel sejam cadastrados, como a placa e o código Renavam do veículo.

Após o cadastramento o motorista terá acesso a informações de todas as multas recebidas, podendo assim fazer a cópia do código de pagamento, fazer o reconhecimento da infração, e até mesmo realizar o download do formulário que indica o condutor responsável pela infração, em casos em que seja necessário.

Em relação ao desconto de 40% abatido no valor das multas, era um benefício já previsto por uma lei que foi publicada no mês de maio deste ano. A Lei 13.281 entrou em vigor no último dia 1º de novembro, mesma data em que passam a valer os valores atualizados das multas de trânsito.

Para que o motorista infrator receba o desconto, ele precisa estar cadastrado no aplicativo e opte por gerar a multa, sem precisar marcar apresentação de recurso ou defesa prévia, assumindo assim ter feito a infração.

Segundo oDenatran outras funcionalidades ainda serão disponibilizadas para aprimorar o sistema. Já na próxima semana o aplicativo será disponibilizado para aparelhos IOS.

Já são adeptos do sistema o equivalente a mais de 1,6 mil órgãos de autuação de todo o Brasil. Além dos Órgãos do Detran de todos os estados, inclusive do Distrito Federal, Polícia Rodoviária Federal (PRF), órgãos municipais e o DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes). A inclusão desses órgãos no sistema permite que eles enviem as notificações de multas em estradas interestaduais, por meio do aplicativo. Assim, as multas e suas informações chegarão mais rápido ao conhecimento dos motoristas, permitindo assim que eles quitem e recebam o desconto.

Para saber mais informações sobre o aplicativo e deu download acesse servicos.serpro.gov.br/sne.

Por Sirlene Montes

 

Aplicativo SNE





CONTINUE NAVEGANDO: