Modelo sairá de linha em 2017 e terá a fábrica responsável por sua fabricação fechada devido ao baixo índice de vendas.

Popularmente conhecido como víbora, o Dodge Viper em breve pode perder seu “veneno”. Isso porque já em 2017 sua produção deverá ser interrompida e a fábrica responsável será fechada devido ao baixo índice de vendas do modelo.

A crise não é tão recente: ainda no ano passado, a fábrica parou por 2 vezes a sua produção devido aos poucos pedidos. Como tentativa de mudar o cenário, o valor de mercado do modelo foi reduzido em US$ 15 mil (equivalente a R$ 58 mil), porém mesmo como o desconto de 20%, o valor continuou bem elevado (aproximadamente R$ 330 mil) e a medida surtiu apenas um efeito positivo temporário nas vendas.

Só para ter uma ideia da decadência do esportivo, os meses de janeiro e setembro tiveram uma queda de 8% nas vendas em comparação ao mesmo período do ano passado. Assim, entre esses meses deste ano, apenas 503 unidades foram vendidas.

Outras medidas foram tomadas a fim de reverter esse quadro negativo como o lançamento de promoções de itens de personalização e a produção da versão projetada para pistas, a ACR.

A concorrência como o Corvette, modelo mais popular entre os consumidores, pode ter sido outro fator que contribuiu de forma decisiva para o Viper não emplacar no mercado.

Apesar de ser um modelo de renome e grande eficiência (com seu motor 8.4 V10 aspirado, potência de 645 cavalos e 82,8 kgfm de torque), tudo indica que o que realmente vale para FCA (Fiat Chrysler Automobiles), conglomerado de marcas automobilísticas europeias, são as taxas de vendas dos modelos propriamente ditas.

Além de deixar de ser produzido, outra notícia bem desanimadora aos amantes do carro: a marca não está preocupada em lançar um sucessor para o modelo, que se despedirá do mercado sem deixar qualquer modelo a altura na categoria dos esportivos da marca.  

Por Raquel Maciel

Dodge Viper

Foto: Divulgação


Novo modelo terá motor 8.4 V10 e potência de 645 cv.

A montadora e fabricante de veículos automotores Dodge apresentou oficialmente o seu mais novo lançamento o Viper ACR versão 2016, este veículo, apesar de não possuir potência extra, será o mais rápido já fabricado pela empresa até hoje. Este veículo será equipado com o mesmo motor dos outros Viper, ou seja, o motor 8.4 V10, o qual tem a capacidade de produzir uma potência de aproximadamente 645 cv que será conjugado com um câmbio manual de seis marchas. A tração desse veículo será traseira.

A montadora desenvolveu especialmente para esse veículo um aerofólio traseiro que tem a capacidade de gerar uma pressão aerodinâmica de até 1.000 Kg quando o carro estiver em uma velocidade de 285 Km/h, adereço este que terá como principal finalidade ajudar na estabilidade. Ainda conforme informações da fabricante, nas curvas este carro pode chegar a uma aceleração lateral de 1.5G.

O pacote aerodinâmico deste carro foi desenvolvido pela equipe de engenharia da Dodge, a qual teve a oportunidade de analisar todos os detalhes da aerodinâmica desse carro na participação do Viper GTS-R na temporada da Le Mans nos Estados Unidos, momento no qual os engenheiros decidiram incluir neste veículo a asa traseira, novo capô e difusres. O carbono foi utilizado no freio Brembo.

Como este carro foi projetado exclusivamente para as pistas a sua suspensão teve de ser totalmente refeita com a utilização de alumínio ajustável duplamente. E as reformulações também foram realizadas no sistema de estabilidade eletrônico que dessa vez pode ser desligado integralmente.  

Para não deixar a sofisticação de lado, a Dodge fez um complemento nesse novo Viper com revestimentos do console central, painel e portas feitos em Alcântara, nos assentos será utilizado o mesmo revestimento, contudo os clientes terão a opção de fazer a escolha de costuras nas cor vermelha ou prateada.

Os principais rivais desse veículo no mercado serão os seguintes: Chevrolet Corvet Z06, Porsche 911 GT3 RS e Nissan GT-R, sendo que exatamente pelo motivo de já ter estes rivais ele terá a sua produção com início estimado para ocorrer no segundo semestre do ano de 2015, a fim de duelar com os seus principais rivais citados acima.

Por Adriano Oliveira

Dodge Viper ACR 2016

Dodge Viper ACR 2016

Dodge Viper ACR 2016

Fotos: Divulgação


Novo modelo conta com novidades estéticas e mecânicas

A Dodge divulgou um novo pacote estético para o Durango versão R/T. O objetivo agora conta com assentos em couro Nappa na cor vermelha e rodas de liga leve de 20 polegadas entre outros detalhes. Anteriormente, o pacote era vislumbrado somente nos modelos Challenger e Charger.

Os bancos originais associados às rodas brilhantes saem por US$ 1.195. Enquanto, o remanescente da versão segue serena, com suspensão esportiva, carroceria monocromática com faróis pretos e luzes de LED. Já o console traz monitor touchscreen de 8,4 polegadas com aparelho multimídia. 

A motorização também conservar-se com 360 cv e 53,84 mkgf de torque, com bloco v8 5.7 litros. De combinação com a Dodge, o Challenger R/T é comercializado por US$ 39.795 (tração traseira) e US$ 42.295 para o 4X4.

A grande inovação do jipe mexicano não é compreensível aos ouvidos ou olhos, a não ser pelas três letras AWD apontadas logo abaixo do nome Journey da tampa traseira. A tração absoluta age exclusivamente quando cogente, para adequar melhor deslocamento em terrenos escorregadios e pistas tortuosas. Mas o desígnio não é modificar o crossover em um utilitário para trilhas. Perambulando pela cidade em baixas velocidades, sem cutucar o acelerador com vigor, não dá para notar o que um V6 se abriga embaixo do capô dianteiro. Ao encravar o pé com mais imponderação, o motor desperta e ruge alto, sem impacientar. As trocas de marchas feitas pelo câmbio são suaves, quase insignificantes.

Com centro de gravidade alto (são 1,75 m de altura até o rack no teto), basta adentrar em uma curva com mais ambição para abranger sua disposição de desgarrar de traseira. Atributo logo ajustado pelo aparelho de tração integral AWD. Em categorias adversas, como um terreno molhado, pista de areia ou em curvas acentuadas, a força é difundida entre os dois eixos. Até 60% do torque pode ser correspondente para a traseira, apesar normalmente 85% da força sejam repassadas somente para as rodas dianteiras. Para dar uma força e unir ainda mais ao chão, foram aproveitadas rodas de liga leve aro 19 polegadas e pneus de perfil 225/55. Em todo acontecimento, a recomendação é não abusar da sorte.

Por Lorena de Oliveira

Dodge Durango R/T

Dodge Durango R/T

Dodge Durango R/T

Fotos: Divulgação





CONTINUE NAVEGANDO: