Os interessados em obter a CNH Digital devem seguir 4 passos. Confira quais são.

A CNH Digital já está em vigor em todo o país, mas a cobrança desta novidade irá ficar a cargo de cada estado, entretanto, muitos são os motoristas que já demonstram interesse em usá-la, porém, não sabem como é feito o cadastro e muito menos como devem utilizar o documento no celular.

A previsão é que a partir do próximo mês de julho a CNH Digital seja oferecida, só que vários estados resolveram se antecipar e já contam com este sistema. Na prática não muda nada, a CNH-e, como vem sendo chamada, tem o mesmo valor jurídico que a CNH impressa e esta, inclusive, continuará sendo emitida por prazo indeterminado.

Os interessados em obter a CNH Digital devem seguir 4 passos:

01º) É importante saber quem pode tirar este documento, sendo que se faz necessário ter a CNH impressa com o QR code. Na versão antiga não tem a imagem do QR code, então é preciso pedir uma segunda via, ou então renovar a carteira de habilitação, para que só aí possa solicitar a CNH digital. Vale lembrar que para renovar a CNH não é preciso esperar que ela vença.

02º) O passo seguinte é efetuar o cadastro no site do Denatran. Acesse o portal (portalservicos.denatran.serpro.gov.br) e vá até a opção 'Cadastro' que fica no menu localizado à esquerda da página. Ao concluir o cadastro, o site informa que foi enviado um link para ativação. É preciso consultar o e-mail e clicar no link enviado para que o cadastro possa ser ativado.

03º) O próximo passo é ir até o Detran onde a CNH impressa foi emitida e confirmar todos os dados, mas é possível usar um certificado digital e fazer todo esse processo pela internet, só que aí é preciso pagar uma taxa. No caso da CNH Digital, cada Detran irá decidir se ela será cobrada ou não e caso seja, estipular o valor a ser pago.

04º) Por último, é preciso baixar o aplicativo da CNH Digital, que é gratuito e encontra-se disponível tanto para o sistema operacional Android como também iOS. É importante ficar atento para não baixar aplicativos falsos, pois os criminosos estão fazendo de tudo para enganar os motoristas. O acesso ao APP oficial é através do código de ativação que o Denatran envia para o e-mail do condutor. Agora é só criar uma senha com 4 dígitos para ter acesso ao documento através do smartphone.

A CNH Digital tem a mesma validade que a versão física. Ninguém precisa ter certificado digital para obter a versão digital, porém, quem tiver pode realizar uma etapa pela internet, não precisando ir até o Detran de sua cidade. O certificado digital só pode ser oferecido por entidades credenciadas e o pacote de 1 ano custa hoje R$ 164,00. Nos Correios é possível obter o serviço ao preço de R$ 267,00 pelo prazo de 36 meses.

O Serpro – Serviço Federal de Processamento de Dados, responsável pelo desenvolvimento da CNH Digital, também oferece certificado digital, o valor é de R$ 145,00 por um ano e para 36 meses o valor é de R$ 220,00.

O aplicativo da CNH Digital irá informar também a pontuação do condutor e irá avisar quando a carteira estiver próxima do vencimento, evitando assim que ele esqueça de providenciar a renovação da mesma. O Ministério das Cidades garante que o sistema criptográfico garante total segurança à CNH-e. Caso o smartphone do condutor seja roubado, ele consegue bloquear o documento no site de serviços do Denatran, caso tenha certificado digital. Quem não tiver, deve ir a um posto do Detran solicitar o bloqueio.

Importante ressaltar que a multa para quem dirige sem a CNH é de R$ 88,38 mais 3 pontos na carteira, sendo que o veículo permanece retido até que o condutor busque o documento ou peça que alguém leve até o local onde se encontra.

Por Russel

CNH Digital


Ministro das Cidades veta resolução e obrigatoriedade do curso para renovação de carteira é cancelada.

Na última semana foi divulgado que os motoristas habilitados que precisassem renovar seus documentos de habilitação teriam que realizar um curso de 10 horas/ aula e em seguida uma prova, além de exames de aptidão. Essa mudança foi bastante comentada depois que uma Resolução foi publicada no Diário Oficial da União pelo Contran, que é o Conselho Nacional de Trânsito, no último dia 08 desse mês de março e a previsão era de que a partir do mês de junho deste ano já entrasse em vigor.

O assunto repercutiu em todo o país, muitos motoristas não gostaram da nova resolução, uma vez que teriam que dispor de tempo para realizar o curso e a prova, além dos valores que nem foram revelados. Seria praticamente o mesmo processo da primeira habilitação.

Alexandre Baldy, que é o ministro das Cidades, em razão de todos esses fatores resolveu determinar a revogação desta nova resolução publicada pelo Contran. Essa decisão foi tomada neste último fim de semana, contudo, nesta segunda-feira dia 19 de março, que está prevista a realização da revogação.

Desse modo, o documento que relata a decisão de cancelamento da nova resolução foi encaminhado diretamente para o diretor do Departamento Nacional de Trânsito, que é o Denatran e também para Maurício Alves, que é o presidente do Contran.

Através de uma nota emitida pelo Ministério das Cidades, foi informado que a gestão atual busca por medidas, como legislações e ações que atendam às necessidades da população, sempre com o objetivo de tornar a vida do brasileiro mais fácil e com menos gastos possíveis. O que torna essa resolução inviável.

Ainda de acordo com a nota emitida, tornar obrigatório a realização de um curso é inviável uma vez que os custos para os condutores não sairiam baratos, além de todo um processo burocrático que a maioria dos motoristas não possui tempo para enfrentar, o que pode prejudicá-los.

É claro que o Denatran, assim como todos os órgãos de trânsito do país, buscam sempre por medidas que promovam a segurança no trânsito, porém, é necessário que esse processo seja simplificado para os brasileiros, com custos menos elevados e sem que suas rotinas sejam afetadas, pois muitos dos condutores precisam de suas carteiras de habilitação em dias, pois trabalham com o documento.

Diante da discussão que se formou em torno do tema, o presidente do Contran, na última sexta-feira, chegou a informar que não seria cobrado nenhum valor pela realização do curso de renovação da CNH, que seria oferecido na modalidade presencial e também à distância. Que o intuito maior da realização do curso seria oferecer ao motorista que já possui 5 anos de habilitação ou mais, a oportunidade de se atualizar frente às muitas mudanças que ocorrem nas questões que envolvem o trânsito e assim estarem mais aptos para exercerem essa faculdade com segurança e conscientização.

O Motorista com sua CNH vencida, a partir do mês de junho, deveria procurar uma autoescola credenciada nos órgãos de trânsito estaduais e se inscrever para a realização do curso. Este poderia ser feito à distância ou presencialmente na própria autoescola e poderia ser realizado em um tempo mínimo de 5 dias. A partir da realização do curso o condutor poderia marcar a prova que seria objetiva de múltipla escolha, composta por 30 questões.

Para ter o seu documento de habilitação renovado seria necessário que o motorista alcançasse a pontuação mínima de 21 pontos na prova. Em seguida realizaria exames de aptidão física e psicológica.

Mesmo sendo o curso gratuito, além da questão financeira está a questão de disponibilidade de tempo, que muitos motoristas não possuem e que podem acarretar em um número maior de motoristas com documentos vencidos.

Sirlene Montes


Resolução do Contran obrigará motoristas a fazer curso para renovar a CNH.

Agora é lei. Os motoristas que quiserem renovar a sua Carteira Nacional de Habilitação, a CNH, precisarão fazer um curso teórico obrigatório com carga horária de 10 horas/aula e, ainda, realizar uma prova. Seguem valendo também os exames médicos que já são solicitados atualmente.

A resolução 726/18, que atualiza a já vigente lei publicada no Diário Oficial da União, foi divulgada no último dia 8 de março. Sendo assim, essa substitui a Resolução 168/04, sob responsabilidade do Conselho Nacional de Trânsito, o Contran.

O documento trata do processo da formação e da especialização dos condutores no Brasil. Com a alteração, a nova regra passa a ter validade já a partir de junho deste ano.

Vale lembrar que o curso para aperfeiçoamento precisará ser realizado de cinco em cinco anos, logo que a carteira de habilitação vencer. As aulas poderão ser feitas de forma presencial ou em modalidade EaD (a distância).

O que se torna obrigatório?

Segundo a nova regra aprovada, no momento da renovação da CNH, o condutor terá por obrigação realizar, primeiramente, um exame de aptidão física e mental, em caso de autorização para a condução de ciclomotor ou, ainda, estar habilitado nas seguintes categorias: A e/ou B. Quem for habilitado nas categorias C, D e/ou E precisará realizar o exame toxicológico de larga janela para detecção e um exame de aptidão mental e física.

Por fim, ainda será necessário ser aprovado em um curso para a atualização e aperfeiçoamento, como previsto na nova regulamentação.

Como funcionará o curso?

O curso será dividido em 10 aulas, podendo essas serem feitas a distância ou em entidades de ensino que sejam credenciadas pelo Detran. A hora/aula tem uma duração total de 50 minutos, sendo proibido que a pessoa realize mais de 5 horas de aula por dia.

Quem optar em fazer a distância, precisa concluir o curso em um período mínimo de cinco dias.

E o exame teórico?

Após a realização do curso, será aplicado um exame teórico que é similar ao realizado na primeira habilitação. A prova é composta por um total de 30 questões, tendo quatro alternativas cada. O tempo para a realização dela é de apenas uma hora.

Para a aprovação, o condutor precisa acertar, no mínimo, 21 perguntas. Se não conseguir, o motorista terá direito a fazer uma nova avaliação. Essa somente poderá ser feita três dias após o resultado ter sido divulgado.

Custos para a renovação

Com as novas exigências, a taxa de renovação de carteira de habilitação tendem a ficar mais caras. Porém, esses valores ainda não foram oficialmente divulgados.

Atualmente, sabe-se que o condutor gasta um valor, em média, de R$ 140 a R$ 170, dependendo de fatores como o Estado. Sendo assim, no Rio Grande do Sul o valor é de R$ 209; em São Paulo de R$ 138; no Rio de Janeiro de R$ 139 e em Santa Catarina de R$ 140.

Finalidade da nova proposta

Conforme o Departamento Naciona de Trânsito, o Denatran, a finalidade na exigência de curso teórico para a realização da renovação e aperfeiçoamento dos condutores é de atualizar informações pertinentes e conhecimentos acerca das legislações de trânsito. Entende-se que as atualizações e mudanças são contínuas, levando ao despreparo de motoristas. Por isso, é preciso que ele esteja ciente e, principalmente, consciente de determinações.

Além disso, o Denatran ainda publicou informações sobre o curso de atualização, com destino a motoristas que tenham a CNH vencida há, pelo menos, cinco anos, ou que não tenham recebido instrução sobre primeiros socorros e direção defensiva na formação de auto escola. Esse curso de atualização terá uma carga total de 15 horas/aula.

Kellen Kunz


Mudança na lei visa motivar mais atenção e responsabilidade dos motoristas.

Uma nova sanção altera a redação da Lei que rege a CNH, no sentido de elevar a suspensão, em caso de infrações, para seis meses. A penalidade, mais precisamente, será ministrada aos motoristas que incorrerem em vinte ou mais pontos, que configuram infrações. É uma mudança que visa motivar mais atenção e responsabilidade.

O critério adotado, para elevar a punição a seis meses de suspensão sobre a Carteira Nacional de Habilitação começou a valer a partir do dia primeiro de novembro de 2016, sobre os motoristas que imprudentemente juntem vinte ou até mais pontos negativos, nas infrações cometidas. A norma assim renovada tornou-se válida na data de sua publicação, em novembro do ano passado.

Esta alteração se deu por força da Lei Federal nº 13.281, a qual proporcionou as devidas renovações e mudanças no Código de Trânsito Brasileiro – CTB. Entretanto, a alteração que acrescentou mais cinco meses de penalidade define que este período configura, em realidade, o número de meses mínimo estabelecido, que proíbem o motorista de dirigir, sendo que o período máximo permanece com os 12 meses já impostos sobre o acúmulo de infrações.

A quantidade de tempo que define a longevidade ou não da suspensão, da Carteira Nacional de Habilitação, será avaliada pelo histórico de atos do motorista e da intensidade das infrações registradas no cadastro do mesmo. Portanto, esta nova sansão tem não apenas a força de advertência, mas, força punitiva maior. Assim, em caso de reincidência nas infrações, ou seja, se o motorista incorrer em nova violação das leis de trânsito e carteira do mesmo for inabilitada novamente, ou uma segunda vez, a suspensão, neste caso, estabelecerá punição mínima de 8 meses, podendo estender-se até a 24 meses, ou dois anos.

A partir do momento em que o infrator de trânsito atinge ou mesmo vai além de 20 pontos em violações na CNH, o motorista será autuado por meio do Detran-SP, recebendo comunicação de abertura de um processo, sendo que o mesmo possui direito de promover ampla defesa, de acordo com a Constituição Federal, nas diversas instâncias a que pode recorrer. É necessário estar atento a todas as etapas legais, sem as quais o infrator perde a oportunidade de apresentar defesa. O devido recurso também pode ser validado via online, por meio do portal do Detran: www.detran.sp.gov.br.

Na medida em que a suspensão sobre o infrator for decretada, o mesmo receberá uma carta convocatória, para comparecimento na unidade do Detran-SP, onde será obrigado a deixar a sua carteira de habilitação, como também assinar um termo que define a suspensão imputada a ele, e assim, iniciará o período de cumprimento da devida pena. Portanto, depois de realizado o procedimento legal, o motorista estará impedido, desde aquele momento, de dirigir, conforme o tempo estabelecido. Se o mesmo for flagrado na direção de qualquer veículo, correrá o risco de ter a sua carteira de habilitação detida por até dois anos. É importante que os motoristas que costumam ser imprudentes atentem para este novo rigor da lei, já que, além ter a carteira cassada por dois anos, haverá a obrigatoriedade de renovar todos os exames, desde o médico, o psicotécnico, o teórico e o prático em direção veicular.

De acordo com informações do Departamento Estadual do Trânsito do Estado de São Paulo, Detran-SP, existe um preocupante crescimento mensal da quantidade de suspensões, sendo que de 13,7% no ano de 2015, subiu para 50% no ano de 2017, em Santos, no mesmo Estado. Esta estatística abarca diversas situações, tais como, as suspensões devido à somatória de pontos negativos e também as suspensões consequentes de apenas uma infração, já que esta acarreta, por si, a suspensão do direito de dirigir veículos, mas, a mesma lei abrange infrações mais graves como a direção sob efeito de bebida alcoólica, ultrapassagem em mais de 50% da velocidade máxima que é permitida nas vias, entre outras práticas perigosas e, por conseguinte, delituosas.

Por Paulo Henrique dos Santos

Suspensão da CNH


A nova CNH contará com itens extras de segurança que visam dificultar a falsificação do documento.

Todas as CNHs (Carteira Nacional de Habilitação) que forem emitidas a partir de 2017 contarão com dispositivos extras de segurança e novas cores. Conforme determina uma resolução do Conselho Nacional de Trânsito – Conatran – de maio do ano passado as alterações serão válidas para todo território nacional.

É interessante observar que aqueles motoristas que possuem uma CNH antiga e dentro do prazo de validade não irão precisar fazer a troca antecipadamente. Outro fator importante é que mesmo com a nova CNH os valores tanto para renovar quanto para obter uma nova, assim como os procedimentos continuam os mesmos.

Mudanças

Uma das principais alterações que a CNH 2017 irá trazer é a troca das cores. Um exemplo é a tarja situada na parte superior do documento que agora passa a ser na cor preta e não mais na cor azul esverdeada.

O documento continua sendo impresso em alto relevo. O mapa do estado que fez a emissão da CNH passa a ser estampado na tarja logo à direita.

A nova CNH 2017 trará também dois números referentes à identificação nacional. O Número do Espelho da CNH e o Registro Nacional.

QR-Code

A implementação do QR-Code está prevista já a partir deste mês de maio de 2017. O código irá fazer a conexão direta entre a CNH e o Renach – Registro Nacional de Condutores Habilitados. Com isso, não haverá a necessidade de digitar informações.

Por sua vez, o Denatran irá disponibilizar o sistema eletrônico próprio para a leitura do código. Vale ressaltar que o QR-Code irá carregar informações importantes tais como todos os dados do motorista e até sua fotografia.

Tinta

Uma tinta especial desenvolvida especificamente para aumentar a segurança do documento também será usada. Ela será aplicada sob o brasão da República que estará situado do lado esquerdo na figura do mapa do Brasil. O principal objetivo aqui é dificultar ainda mais a falsificação do documento.

Várias outras alterações estruturais foram aplicadas. Teremos diversos itens impressos que somente serão vistos caso seja aplicada a luz negra. Em linhas gerais, os itens de controle irão incluir mais elementos tanto no que diz respeito ao relevo quanto à microimpressão.

Todos os documentos contarão com um código de validação. Por meio desse código numérico os próprios agentes de trânsito poderão validar a CNH através de um aplicativo do Denatran.

Para mais informações acesse o site www.denatran.gov.br.

Por Denisson Soares

Nova CNH


Suspensão mínima para quem atingir 20 pontos na carteira subiu de 1 mês para 6 meses.

Para os motoristas mais apressados ou aqueles que costumam sempre levar alguns pontos na carteira quando comentem alguma infração no trânsito, é bom sempre ficar atento. Está valendo desde novembro do ano passado, a nova lei do Código Brasileiro de Trânsito, publicada pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran) e que determina o aumento do tempo de suspensão para quem fizer vinte pontos.

Quem costuma dirigir distraidamente e depois é surpreendido pela notificação que recebe em casa, é bom ficar bastante em alerta, pois as distrações poderão levá-lo a ter a carteira suspensa temporariamente por mais tempo.

Posta em vigor na mesma época em que os valores das multas de trânsito foram reajustadas para que passem a pesar mais no bolso dos motoristas infratores, a nova resolução dá sinais de que deverá ser bem mais rigorosa com aqueles condutores que teimam em não se adequar às normas.

Desde novembro de 2016 ficou determinado que, para aqueles motoristas que atingirem 20 pontos na carteira, o tempo de suspensão do direito de dirigir subiu de 1 para 6 meses.

Apesar da nova resolução, os motoristas que possuem multas por infrações cometidas antes de primeiro de novembro de 2016, estão fora da nova decisão. Deste modo, se você é motorista ou entregou seu veículo para alguém a partir desta data e esta pessoa levou uma multa, tanto você quanto seu amigo só serão penalizados com um tempo de suspensão maior a partir do penúltimo mês do ano passado.

Mesmo com a nova determinação, ficarão mantidos os prazos máximos de um ano de suspensão, caso o motorista atinja os vinte pontos.

Também ficam alterados de seis para oito meses, o prazo de suspensão para o motorista que, dentro de um período de um ano após a primeira suspensão, atinja novamente os vinte pontos em nova contagem. Apesar disto, ficam mantidos para estes casos, um período máximo de dois anos de suspensão.

Ainda segundo nota divulgada pelo Departamento Nacional de Trânsito (DENATRAN), apesar da mudança, muitos motoristas deverão escapar da nova regra, visto que demanda um certo prazo entre o cometimento da infração e a aplicação da punição estipulada pelo órgão.

Emmanoel Gomes


A Carteira Nacional de Habilitação pode ser retirada após testes teóricos e práticos.

A primeira habilitação não é um documento difícil de ser adquirido, porém, é necessária muita atenção e responsabilidade em cada fase do programa. A Carteira Nacional de Habilitação, ou CNH, é retirada após testes teóricos e práticos, e se o aluno for bem em todas as fases, o processo acontece bem rápido.

Para começar, o candidato deve atender a algumas exigências simples: ser maior de idade (18 anos ou mais), possuir RG e CPF, saber ler e escrever e possuir comprovante de residência atualizado.

O início do processo se dá com o agendamento, que deve ser realizado no Detran ou Ciretran da sua cidade. No momento de se cadastrar é preciso estar munido com todos os documentos exigidos. Essa é a hora de escolher a categoria pretendida, entre A (moto ou veículos de três rodas) e B (automóveis para até oito pessoas), ou as duas.

Depois de se cadastrar o candidato precisa registrar as suas digitais e pagar as taxas para realização dos exames médico e psicológico, que averiguam a capacidade cardíaca, respiratória, óptica, muscular e saúde psicológica.

Para começar as aulas basta escolher um CFC (Centro de Formação de Condutores). É importante escolher bem o local onde as aulas serão ministradas, pois é onde ocorrerão todas as instruções iniciais sobre como proceder no trânsito.

Teoria:

Na parte teórica o futuro condutor deve concluir 45 horas de informações sobre primeiros socorros, leis de trânsito, infrações, entre outros. O candidato só pode passar para a próxima fase depois de realizar a prova teórica e acertar pelo menos 70% das questões. Se não for aprovado, é possível agendar no CFC um novo teste após 15 dias.

Prática:

Antes de ir para as provas, o candidato deve realizar 25 horas de aula, divididas em 16 horas de aulas durante o dia e quatro horas durante a noite. As cinco horas restantes são realizadas em simuladores de direção veicular, onde deve haver ao menos uma hora de simulação noturna.

Se o candidato escolheu tanto a categoria A quanto a B, ele deve concluir primeiro a carga horária com um veículo para depois passar para o outro. Após treinar todas as horas, o candidato já pode fazer as provas práticas com carro ou moto. No caso de ambas as categorias, normalmente o teste é feito em dias diferentes. Se não for aprovado, o futuro condutor pode reagendar outros testes, mediante pagamento da taxa.

Com aprovação em todas as fases, é hora de receber a carteira provisória, ou PPD – Permissão para Dirigir. A carteira definitiva é entregue ao condutor após um ano, se este não tiver nenhuma multa grave ou gravíssima, ou mais de uma multa média nesse período. Não só pela CNH, mas pela segurança é importante sempre dirigir com respeito, atenção e reponsabilidade.

Por Fábio Santos

CNH


O processo de consulta pode ser realizado de duas maneiras: indo pessoalmente ao Detran ou acessando a área virtual do próprio órgão.

O ano de 2017 chegou e junto com ele muitas novidades para os brasileiros. Entre as novidades, uma que deixou muitas pessoas com dúvidas: a nova Carteira Nacional de Habilitação (CNH), que ganhou novas cores e diversos dispositivos de segurança.

Segundo informações do órgão responsável, Contran (Conselho Nacional de Trânsito), as medidas, válidas para todo território nacional, foram tomadas para impedir a tentativa de falsificação. Entretanto, as dúvidas cercam os motoristas. Dentre elas, como consultar os pontos na CNH.

Visando eliminar a questão, vamos auxiliar os indivíduos de como realizar a consulta dos pontos na carteira de motorista. Acompanhe!

Como saber a pontuação da CNH:

O processo para a consulta de pontos ainda é o mesmo, sendo realizado de duas maneiras: indo pessoalmente ao Detran ou acessando a área virtual do próprio órgão. Vale informar que é possível consultar pontos da CNH através de algum órgão de atendimento rápido do seu estado. Por exemplo, no estado de São Paulo, tem o Poupatempo.

Para aqueles motoristas sem tempo, podem acessar a página virtual do Detran para analisarem a situação da carteira de trabalho. Abaixo listamos o endereço eletrônico de cada estado. Identifique o seu e faça agora mesmo a consulta. Veja:

  • Detran Acre – www.detran.ac.gov.br
  • Detran Bahia – www.detran.ba.gov.br
  • Detran Alagoas – www.detran.al.gov.br
  • Detran Ceará – www.detran.ce.gov.br
  • Detran Amapá – www.detran.ap.gov.br/index.html
  • Detran Distrito Federal – www.detran.df.gov.br
  • Detran Amazonas – www.detran.am.gov.br
  • Detran Goiás – www.detran.go.gov.br/psw
  • Detran Espírito Santo – www.detran.es.gov.br
  • Detran Pará – www.detran.pa.gov.br
  • Detran Mato Grosso – www.detran.mt.gov.br
  • Detran Paraná – www.detran.pr.gov.br
  • Detran Maranhão – www.detran.ma.gov.br
  • Detran Paraíba – www.detran.pb.gov.br
  • Detran Mato Grosso do Sul – www.detran.ms.gov.br
  • Detran Pernambuco – www.detran.pe.gov.br
  • Detran Minas Gerais – www.detran.mg.gov.br
  • Detran Tocantins – http://detran.to.gov.br
  • Detran Piauí – www.detran.pi.gov.br
  • Detran Sergipe – www.detran.se.gov.br
  • Detran Rio de Janeiro – www.detran.rj.gov.br
  • Detran São Paulo – www.detran.sp.gov.br
  • Detran Rio Grande do Norte – www.detran.rn.gov.br
  • Detran Santa Catarina – www.detran.sc.gov.br
  • Detran Rio Grande do Sul – www.detran.rs.gov.br
  • Detran Roraima – www.rr.getran.com.br/site
  • Detran Rondônia – www.detran.ro.gov.br

Acesse o site do seu estado e veja como está a situação do CNH perante ao Detran. Aém das opções citadas, o motorista pode analisar a situação da carteira através do aplicativo Autocheck Detran. Na própria área virtual, você encontra mais informações sobre o aplicativo. Vale lembrar que se houver irregularidade, procure o órgão com suma urgência e regularize a situação.

Por Fábio Santos

CNH


Contram determinou que as autoescolas devem ter o simulador virtual de direção para as habilitações do tipo B. No mínimo, 5 horas devem ser realizadas no simulador.

Cada dia mais a preocupação com a segurança ao volante tem deixado a retirada da Carteira Nacional de Habilitação mais difícil. O aumento das horas de aula ao volante (5 horas a mais desde o ano passado) e o acréscimo de aulas à noite (mínimo de 4 horas), por exemplo, são alguns exemplos de como a preocupação com o treinamento dos motoristas aumentou.

Para treinar melhor seus alunos, sem a necessidade de aumentar bruscamente a mensalidade, algumas autoescolas optaram por instalar simuladores virtuais de direção. O sistema é o mesmo de um veículo, e simula as mais diferentes situações para o aluno em treinamento. Dessa forma, têm-se mais horas de contato com o volante, sem a necessidade de encarecer o pacote de formação. Só que agora, segundo a resolução nº 543 anunciada na última segunda-feira (dia 20) pelo Contram (Conselho Nacional de Trânsito), o simulador de direção veicular é item obrigatório nos centros de formação de condutores. O pedido da obrigatoriedade veio dos Detrans pelo país.

A resolução já foi publicada no Diário Oficial da União e descreve detalhadamente o conteúdo obrigatório das aulas no simulador. As autoescolas terão o prazo de até 31 de dezembro para instalar o aparelho em suas unidades. Inicialmente a medida só engloba as habilitações do tipo B, que são para os motoristas que desejam dirigir carros de passeio.

Numa expansão da obrigatoriedade, o simulador será também exigido para quem deseja dirigir veículos comerciais, ônibus, caminhões e até motos. Agora o candidato a motorista tem que completar 25 horas ao volante, sendo que no mínimo 5 horas devem ser realizadas no simulador, com uma hora de conteúdo noturno.

As aulas no simulador devem ser feitas antes do aluno começar a pratica nas ruas. Até agora somente os estados do Rio Grande do Sul, Acre e Paraíba haviam adotado o sistema obrigatório com os simuladores. A obrigatoriedade nacional deveria ter sido exigida desde o ano de 2013, mas a data de validade foi adiada para o ano de 2014, onde o uso passou a ser opcional. Agora não há mais desculpas nem adiamentos: o simulador passa a ser obrigatório em todo o país.

Por Patrícia Generoso

Simulador de direção

Foto: Divulgação





CONTINUE NAVEGANDO: