Confira como dirigir carros automáticos e principais dicas.

O carro automático tem conquistado cada vez mais os motoristas brasileiros, principalmente pelo fato de deixarem o ato de dirigir menos cansativo. Afinal, com esse modelo, ao parar no congestionamento, você pode dar uma folga para o seu pé esquerdo. O automóvel automático pode ser encontrado em versões mais sofisticadas e também nas mais populares.

Você pretende trocar de carro e quer deixar de lado o modelo manual e dar preferência para um veículo automático? Para quem não está acostumado, é comum sentir diferença e até certa dificuldade para começar a dirigir esse último tipo de automóvel. Porém, com algumas dicas simples é possível se tornar craque na direção.

Entenda a posição das marchas

Ao dirigir um carro automático, provavelmente a primeira diferença sentida diz respeito à posição das marchas. Ao contrário do modelo manual, as marchas não ficam em H, pois estão alinhadas e os números de 1 a 5 substituem as letras. Na versão manual, a troca de marchas tem que ser feita por meio do comando do motorista, que tem que puxar a alavanca de câmbio, enquanto que no automático, a mudança ocorre automaticamente, basta frear ou acelerar o carro.

As posições das marchas do veículo automático possuem os seguintes significados:

P – Parking (estacionado), é usada quando o carro está totalmente parado;

R – Ré, é usada para movimentar o automóvel para trás;

N – Neutro, é o ponto morto e pode ser usado quando houver a necessidade de locomover o veículo com o motor desligado em distâncias curtas;

D – Drive (dirigir), é usada para andar com o veículo;

4-3-2-1 (L), são posições que variam em cada modelo de carro, sendo necessário consultar o manual.

Não use o pé esquerdo

Quem dirige carro manual está acostumado a usar o pé esquerdo para pisar no pedal da embreagem. Ao começar a usar um modelo automático, é normal que inicialmente os motoristas pisem por acidente no pedal de freio, que geralmente é maior nessa versão.

Por falta de costume, o condutor pode pensar que como há dois pedais, o ideal é usar os dois pés enquanto dirige. Mas, o pé esquerdo está acostumado a fazer um tipo de pressão na embreagem, o que faz com que ao frear, o carro sofra um impacto maior. Por isso, não use o pé esquerdo até que esteja habituado com a direção do veículo automático.

Deixe na posição correta para ligar

Muitos automóveis em versão automática, especialmente os mais antigos, necessitam que o motorista pise nos freios para que a ignição seja acionada. Mesmo que isso não seja uma regra, o mais indicado é que o câmbio esteja sempre disposto na posição ‘’P’’ ou ‘’N’’. Também é necessário pisar no freio antes de alterar a posição do câmbio para ‘’R’’ ou ‘’D’’.

Cuidado ao engatar a ré

Quando se engata a ré no carro automático, é imprescindível que ele esteja totalmente imobilizado, do contrário pode haver avarias graves. A maior parte dos sistemas possui um botão-trava, que impede que as marchas sejam mudadas de ‘’D’’ e ‘’N’’ para ‘’R’’ ou ‘’P’’, que tem a intenção evitar que o condutor faça essa ação acidentalmente.

Use marchas reduzidas em decidas longas

Na maioria dos modelos automáticos, o sistema de câmbio solta o carro para reduzir o RPM do motor. Dessa forma, ao passar por declives, o automóvel vai ficar mais veloz, exigindo a necessidade de pressionar os freios, que tendem a ficar superaquecidos.

Nesse tipo de situação, o mais recomendado é optar pela posição 2 ou ‘’L’’ para que o veículo fique mais preso enquanto estiver andando, diminuindo a exigência do uso dos freios. Indica-se que isso seja realizado antes de passar pelo declive, assim você impede que o sistema seja forçado e contribua para que o óleo da caixa de marchas fique superaquecido.

Por Simone Leal

Câmbio automático





CONTINUE NAVEGANDO: