Modelo conta com novo desenho e valores a partir de R$ 121.500.

A montadora norte-americana Ford lançou na terça-feira, dia 20 de dezembro deste ano, a linha 2017 do modelo Fusion, com algumas alterações em sua estética. Ao todo, são quatro versões, onde a opção de entrada é a única que conta com um motor flex de 2.5 litros, que gera uma potência de 175 cavalos. Esta versão é comercializada por R$ 121,5 mil. Nas outras, a motorização é o 2.0 Ecoboost, que recebeu mais 8 cavalos e entre a partir de agora 248 cavalos. Os seus valores estão entre R$ 125 mil e R$ 154 mil.

O primeiro redesenho desta nova geração do Ford Fusion foi exposto no Salão da cidade de Detroit, no começo do ano, no mês de janeiro. O novo veículo conta com faróis um pouco mais esguios que o anterior, além de uma grade levemente mais estreitada, porém ainda faz uso do mesmo no formato hexagonal. Há também novas tomadas de ar e os faróis auxiliares receberam novas molduras.

Na parte de trás, as lanternas receberam uma barra cromada que conecta as duas extremidades. Na parte superior da tampa do porta malas foi instalado um novo spoiler, dando uma outra aparência para a traseira do carro.

A cabine do novo Ford Fusion recebeu a troca da alavanca de câmbio tradicional por um seletor, da mesma forma que a Jaguar Land Rover já utiliza em seus veículos.

O grande sedan é o segundo modelo da marca que irá oferecer uma central multimídia Sync 3. Possui uma tela com tamanho de 8 polegadas, e proporciona a possibilidade do usuário fazer uma espelhamento de seu smartphone com as tecnologias Apple CarPlay e Android Auto.

Na lista dos itens de série, são oito airbags distribuídos ao redor do veículo, monitoramento de ponto cego, bancos de couro que contam com aquecimento e ajustes elétricos, além de sistemas que realizam a detecção de cansaço e também permanência na faixa de rolagem. Por fim, irá contar com sistema de frenagem automática ao detectar a transição de pedestres na parte frontal do carro.

Por Filipe Silva

Ford Fusion 2017

Ford Fusion 2017

Fotos: Divulgação


O modelo traz faróis novos na dianteira e modernização dos para-choques.

O termo “facelift” foi incorporado ao vocabulário dos automóveis para denominar as pequenas mudanças na aparência já conhecida dos veículos de uma determinada linha, e está chegando a vez do novo Ford Fusion 2017. Há dez anos no Brasil, um dos grandes Sedans, prometido pela Ford ainda neste ano de 2016 nos Estados Unidos e em rede nacional, o Fusion investe sua novidade na aparência da carroceria.

O facelift elaborou mudanças por dentro e por fora do veículo, trazendo faróis novos na dianteira e modernização dos para-choques. Com cromado e novas lanternas, a traseira também não ficou para trás nas mudanças. Se por fora há valorização da aparência, por dentro a Ford apostou em entretenimento trazendo o sistema SYNC 3, presente pela primeira vez no Brasil. O sistema SYNC 3 foi atualizado para se parecer, em termos de interface, com o Smartphone, facilitando o entendimento do motorista que já está familiarizado com o celular, além do alto desempenho para o comando de voz, tendo em vista a segurança de quem dirige. O Ford Fusion dará o estopim para o lançamento do sistema e em seguida estará disponível para toda a linha local. Para substituir a alavanca, o SYNC 3 ainda conta com um botão giratório que seleciona as marchas do câmbio!

Apesar do alarde da novidade, datas e preços fixos não foram divulgadas ainda, só estima-se que o Fusion chegue ao mercado agora, no segundo semestre de 2016. Estima-se que os preços variem entre R$ 114.400 para o 2.5 16V iVCT Flex, R$ 129.400 para o 2.0 16V GTDi Titanium, R$ 145.400 para o 2.0 16V AWD GTDi Titanium e R$ 149.900 para o 2.0 16V Hybrid Titanium, o que cabe na faixa de preço do consumidor local atual. A opinião geral de quem já teve o 2008, 2010 ou tem o Titanium 2016 é de que na faixa de preço não há outro carro que se iguale no mercado. Consumidores em potencial aguardam a pré-venda e se sentem felizes de terem a oportunidade de adquirir um veículo importado por um preço acessível, não só pela vaidade, mas também pela demanda globalizada.

Por Jean Carlos Weber Andrades

Ford Fusion 2017

Ford Fusion 2017





CONTINUE NAVEGANDO: