A Ford convocou para Recall 1,4 milhão de unidades do Fusion com ano de produção de 2013 a 2015 por problemas no volante de direção.

Quem compra um carro novo, recém-tirado de uma concessionária sabe que por muito tempo ficará livre das constantes idas a oficinas mecânicas, como é bastante comum de acontecer com carro com mais rodagens. Afinal, as manutenções nesses carros novos são na maioria das vezes oferecidas pelas próprias concessionárias, como bônus na hora da compra.

Mas ao contrário do que muita gente acha, carros novos podem apresentar defeitos até mesmo graves, colocando em risco a segurança e a vida de seus ocupantes e de terceiros. É o que ocorre quando eles trazem um defeito originado em sua fabricação.

Há alguns dias uma marca divulgou no Brasil um recall para 10 de seus modelos, sendo mais de 15 mil unidades de veículos a serem reparados.

Agora quem comunicou um recall foi a Ford, porém o reparo se dará em seus carros que foram vendidos nos Estados Unidos, no modelo Fusion da marca.

Segundo a montadora o defeito de fabricação está localizado em seu volante de direção, que corre o risco de cair.

Os profissionais da montadora afirmaram que o defeito na fixação do volante se dá porque seus parafusos estão se afrouxando antes do tempo.

Os números apontam que está envolvido no recall um total de 1,4 milhão de unidades do Ford Fusion cujos anos de produção são de 2013 até 2015.

Até agora o que se sabe é que o recall será realizado somente nos Estados Unidos, a Ford do Brasil ainda não se manifestou se existem unidades comercializadas aqui que podem apresentar o defeito. No entanto, o que se sabe até o momento é que veículos cuja produção ocorreu na fábrica Ford localizada em Hermosillo, no México, também estão incluídos no recall realizado nos Estados Unidos. O que preocupa é que esta é a mesma planta que abastece o nosso mercado.

Ainda de acordo com a fabricante, foram registrados dois acidentes em decorrência do problema no volante, um deles por sinal, com uma pessoa ferida.

Na realidade esse defeito vem sendo investigado desde o mês de outubro do ano passado, por órgãos norte-americanos de regulação. Os parafusos não funcionam como deveriam e em pouco tempo de uso podem afrouxar, o que pode fazer com que o volante de direção se solte de forma repentina, deixando o motorista sem nem uma possibilidade de dirigibilidade, tornando possível, colisões e acidentes em que não se pode prever as consequências.

Além do Ford Fusion estão envolvidos no recall norte-americanos os modelos Lincoln MKZ que apresentam o mesmo problema.

Assim, o recall é para os seguintes modelos:

Ford Fusion e Lincoln MKZ, cuja fabricação ocorreu entre os anos de 2013 e 2018 em Hermosillo, município do México;

Ford Fusion e Lincoln MKZ, cuja fabricação ocorreu também entre os anos de 2013 e 2016 em Flat Rock, cidade dos Estados Unidos.

Embora as consequências deste defeito possam ser graves o seu reparo é bastante simples. Trata-se da troca dos parafusos por outros que são mais longos e que possuem roscas mais fortes e robustas, além de possuírem acabamento de nylon que oferece retenção de torque.

Em 2017, foram emplacados no Brasil 4.401 unidades do Ford Fusion. Sendo ele considerado um dos modelos de sedan médio mais vendidos no país.

A Ford, que é conhecida mundialmente através de seus veículos, não tem passado por uma boa fase em termos de qualidade, principalmente em relação aos seus veículos produzidos para os dos Estados Unidos. Não faz muito tempo outros modelos apresentaram defeitos nas maçanetas, sendo necessária a realização de um recall que custou para a marca mais de USS600 milhões.

Contudo, é muito importante a realização do recall, pois envolve vidas de milhares de pessoas. Resta agora aguardarmos se a Ford do Brasil vai se pronunciar sobre essa possibilidade de defeitos nas unidades comercializadas aqui.

Por Sirlene Montes

Ford Fusion


Neste ano a queda registrada é de 56%, tendo o Ford Fusion em 1º lugar no ranking de vendas, seguido do Hyundai Azera e do Kia Optima.

Como é de conhecimento geral, a crise econômica vivida pelo país neste ano de 2015 está assolando vários setores do comércio nacional e, como não poderia ser diferente, um dos setores que mais vem sofrendo com este cenário em que o país se encontra é o automobilístico.

É nessa perspectiva que os veículos classificados como sedans de grande porte, segundo os dados da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (FENABRAVE), registraram uma queda nas vendas de lastimáveis 56% em relação ao ano de 2014, sendo que nem mesmo o líder da categoria, o Ford Fusion, conseguiu escapar desse momento difícil, haja vista que no mês de novembro de 2015 apenas 454 unidades do veículo foram emplacadas, com este número de vendas o modelo está amargando um decréscimo de mais 53% nas vendas. O único dado estatístico que pode animar a Ford com relação a este seguimento é o fato de que com o total de veículos emplacados mencionados acima, o modelo conseguiu garantir um percentual de 82% de participação neste mercado, percentual este que foi o maior obtido dentre todos os demais segmentos.

Apesar de ter obtido um recuo nas vendas um pouco menor de 42,7% nas vendas, o Hyundai Azera conseguiu se manter na vice-liderança nos meses anteriores, sendo que foram comercializadas apenas 59 unidades, número este que representa o pior resultado deste veículo sul-coreano desde o mês de agosto. A boa novidade para a Hyundai é que, mesmo diante desse cenário ruim, o Azera conseguiu uma redução na desvantagem em relação ao Fusion para menos de 400 unidades.

Já a terceira posição deste segmento ficou com o Kia Optima, o qual teve apenas 11 unidades comercializadas, seguido pelo Honda Accord que conseguiu registrar o dobro de vendas no mês de outubro e subiu para a quarta colocação desse ranking.

O Chrysler modelo 300C e o Subaru Legacy ficaram dividindo a quinta colocação com a venda de apenas sete veículos cada.

A expectativa das montadoras é que este setor volte a se aquecer, contudo o consumidor está buscando cada vez mais a economia em todos os âmbitos. Logo, o momento é de muita cautela para os fabricantes de veículos deste segmento.

Por Adriano Oliveira

Ford Fusion

Foto: Divulgação





CONTINUE NAVEGANDO: