Os carros que perdem menos valor em 1 ano de uso são o Chevrolet Onix e o Hyundai HB20. Já, os que mais desvalorizam são o JAC J6, Geely EC7 e o JAC J3.

Ao comprar um novo carro, vários fatores devem ser levados em conta. Além das funcionalidades e atrativos do modelo, uma característica cada vez mais tem sido procurada pelos motoristas nos últimos anos: a capacidade do modelo se manter com um valor razoável para a revenda, ou seja, a sua capacidade de não-desvalorização ao sair da concessionária.

Um levantamento, que atualmente está em sua segunda edição, feita pela agência AutoInforme, ajuda os motoristas a fugirem dos modelos com alta desvalorização. Os dados mostram a depreciação de valor após a compra dos 140 veículos que são mais vendidos atualmente no Brasil. O resultado final é obtido através de comparação do preço de venda do veículo zero-quilômetro no mês de agosto do ano passado e seu valor de venda, como seminovo em agosto deste ano. Os preços utilizados são os da tabela Molicar, que são os valores utilizados no mercado.

Os modelos que tiveram uma variação muito alta, pela falta de disponibilidade no mercado ou pelos descontos repassados ao consumidor não foram incluídos na pesquisa, para evitar distorções em seu resultado final.

A pesquisa final mostrou que o JAC J6 é o veículo com maior desvalorização após um ano de uso. Seguido do Geely EC7 e do JAC J3 modelo 2014. Na outra ponta do ranking, entre os carros que menos perdem valor estão o Chevrolet Onix, com apenas 7,6% de desvalorização e o Hyundai HB20, que se desvaloriza apenas 8% ao ano. A explicação está no fato desses modelos serem mais populares e vendidos com mais facilidade.

Fatores para a desvalorização:

A perda do valor de um carro tem relação direta com a sua demanda no mercado. Quanto menor sua procura, menor o preço repassado ao consumidor. Por essa lógica, os modelos que mais irão perder valor são os luxuosos, pois após seu lançamento, poucos consumidores se interessarão por eles.

Mas a desvalorização também acontece com os mais populares. Nesse caso, as vendas totais do veículo não são suficientes para absorver sua oferta no mercado. Com mais modelos disponíveis, o preço acaba caindo.

Se a intenção é comprar um carro zero, o índice pode ajudar o consumidor a escapar dos modelos que perdem valor de revenda, pois em um cenário de crise, essa possibilidade tem que ser sempre considerada. Por outro lado, se a intenção do consumidor é conseguir compra um seminovo, o índice pode ajudar a encontrar um bom modelo, a um preço bem mais acessível do que o encontrado nas concessionárias.

Por Patrícia Generoso

Chevrolet Onix

Hyundai HB20

Fotos: Divulgação


Alguns cuidados podem ser realizados para que, no momento que for vender o carro, a desvalorização não seja tão grande.

Dificilmente alguém vai ficar com o carro a vida toda, pelo contrário, estamos sempre querendo vender o nosso carro para comprar um 0 km ou um modelo mais novo, mas para atingirmos esta nossa meta com maior facilidade, precisamos ficar atentos a alguns detalhes importantes que vão ajudar seu veículo a não desvalorizar tanto.

Claro que com o passar dos anos, os carros que já estão rodando vão se desvalorizando, disso não resta dúvidas, mas podemos conseguir fazer com que esta redução seja bem menor e este cuidado começa na hora que vamos comprar nosso automóvel. Ficando atento à popularidade do modelou e até mesmo à marca, podemos fazer um bom negócio na revenda deste carro, já que muitos modelos não são tão valorizados, assim como algumas marcas não são bem vistas e isso ajuda na desvalorização do veículo na hora da venda. Se você comprar um carro muito caro ou que seja mais difícil de conseguir peças para reposição, com certeza ele terá uma maior desvalorização, então a dica é preferir os modelos mais populares, aqueles que contam com assistência técnica por todo o Brasil e que são de marcas já consagradas.
A conservação do carro é outro fator importantíssimo, pois se você não tomar os devidos cuidados com seu veículo, a desvalorização será enorme. A aparência conta muito, por isso tome sempre muito cuidado com a pintura do veículo, mas só isso não é suficiente, é preciso tomar cuidado também com o interior do carro, os bancos, painel e também com a parte mecânica.

A cada 10 mil km ou menos, leve o carro para o alinhamento e balanceamento, aproveitando para pedir uma revisão completa para ver se tem algo que precisa ser feito com mais urgência.

Fique atento também à conservação do motor, providenciando a troca do óleo no tempo correto, ficando atento ao filtro de combustível, velas do motor e toda a parte elétrica.

Evite deixar o carro exposto ao sol ou ao sereno.

Não deixe também que sujeiras fiquem presas à lataria do veículo, removendo-a sempre, limpando o local e utilize uma cera adequada para dar maior proteção à pintura.

E no mais, é manter os bancos sempre limpos, se preciso até utilize capas para bancos, assim na hora da venda é só retirar estas capas que o carro estará com um ótimo aspecto também na parte interna.

Por Russel





CONTINUE NAVEGANDO: