Jeep Renegade 4xe é versão elétrica do Renegade do futuro


Jeep Renegade 4xe será elétrico e já tem proposta de visual elaborada.

Carros elétricos são uma tendência cada vez mais adotada pela indústria automobilística mundo afora, e cada vez teremos mais contato com marcas e modelos que prezam pela sustentabilidade ao mesmo tempo que tentam manter as características às quais se propõem.


O novo Jeep Renegade 4xe, com simulação de visual feita pelo profissional Dejan Hristov, resgata os valores e estilo da Jeep, mas é um SUV com propulsão totalmente elétrica.


O substituto do Renagade atual vem com a ideia de manter aspectos como os faróis circulares em LED e também a grade composta por sete barras que já conhecemos, usando a plataforma STLA Small.


Também é possível perceber molduras pretas nas laterais do capô, faróis de neblina em formato circular encaixados sobre a peça frontal que leva o nome da Jeep, assim como um pára-choque acentuado com barra superior, skid plate e barras horizontais no teto.


O Jeep Renegade 4xe contaria com uma barra auxiliar de luz e volumosas molduras nas portas com a sigla do modelo. O espaço também foi ampliado, com espaço para cinco pessoas e um porta malas de 400 litros de capacidade.

O desempenho também não ficaria para trás com um total de um ou de dois motores de 300 cavalos e uma autonomia por volta de 400 km a 500 km, prometendo um bom desempenho tanto para estradas como fora de estradas.

A TENDÊNCIA DOS CARROS ELÉTRICOS

Sem dúvidas existem outras opções de carros mais acessíveis que os elétricos no mercado. Enquanto a menor faixa de preço de um carro elétrico fico por volta dos R$150 mil reais, um carro mais comum pode ser adquirido por menos de R$30 mil reais.

Isso acontece porque o processo de fabricação de um carro movido a energia renovável é mais caro de se produzir, e aqui no Brasil ainda não há autonomia na indústria para a fabricação nacional de todos os insumos e equipamentos necessários, o que força a importação de muito material de países da Europa e da Ásia.

Mas então, afinal, por que o uso dos carros elétricos é incentivado?

No Brasil, cerca de 80% da matriz energética do país vem de fontes renováveis — isto é, energia eólica, biomassa e também de hidrelétricas. No caso dos carros não elétricos, cujos motores funcionam à combustão, a fonte de energia para fazer esses automóveis andarem é o combustível fóssil. Esse tipo de combustível é obtido a partir da decomposição de seres vivos; é o caso do petróleo, do gás natural e do carvão mineral.

Essas formas de combustível são extremamente prejudiciais ao meio ambiente, e alguns países (como na Europa e nos EUA) já estão proibindo a venda de novos carros híbridos ou movidos à combustão a partir de 2023. Os carros elétricos são inevitavelmente o futuro da indústria automobilística do mundo.

Há, inclusive, projetos de lei para tornar esse tipo de carro mais acessível. Em 2016 iniciou-se a isenção dos impostos de importação para para veículos 100% elétricos e também híbridos, e nesse ano de 2022 o Senador Irajá, do PSD (Partido Social Democrático) do estado de Tocantins, propôs um Projeto de Lei para retomar essa isenção, que visa incentivar a compra de automóveis mais sustentáveis.

Se aprovado, estima-se uma redução de 10% a 20% do valor dos carros elétricos e híbridos no Brasil, e a isenção vale até o dia trinta e um de dezembro de 2025.



Outros Conteúdos Interessantes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.