Como devolver um carro financiado?



A pandemia do Covid-19 é a responsável por mudar a rotina do mundo. Vários setores estão em crise, e o setor econômico está em colapso, afetando diretamente a vida financeira de muitas pessoas. No Brasil, isso não é diferente, muitas empresas e compercios precisaram fechar e trouxeram inúmeras consequências.

Muitos cidadãos tiveram seus salários reduzidos e outros chegaram a perder seus empregos. Como consequência, muitos precisam repensar os seus gastos.



O financiamento de veículos se tornou um dos investimentos mais caros da atualidade. Os juros são altos e as multas por inadimplência podem aumentar ainda mais os valores.

Por isso, com a crise atual, muitos ficam sem saber como devolver seu carro financiado sem ter muitas perdas financeiras. Veja algumas dicas a seguir.



Planejamento financeiro

Em meio à crise, é preciso pensar em um bom planejamento financeiro. Especialistas afirmam que a compra por impulso é responsável pelo descontrole com as finanças.

Como os financiamentos de veículos são bem caros, acabam comprometendo a renda futura.

Sendo assim, mesmo que tenha feito um bom planejamento financeiro, nessa situação atual de crise, pode ter que rever seus planos e eliminar gastos mais supérfluos.

Se o financiamento de seu veículo está nessa lista, vamos ajudá-lo (a) a saber com devolver seu carro financiado sem ter muitos prejuízos.

O que acontece seu eu deixar de pagar?

O financiamento é um empréstimo que os bancos fazem aos consumidores para que estes possam comprar algo. A garantia para a quitação dos débitos e justamente o bem adquirido.

Algumas pessoas pensam que ‘sumir do mapa’ é uma opção e deixam de pagar as parcelas do financiamento. Na verdade, essa é uma péssima ideia. Deixar de pagar só vai aumentar a dívida por causa dos juros e multas acrescidos às parcelas.

Leia também:  Terceira geração do Citroen C3 será lançada em outubro

E quando menos esperar, estará com uma dívida imensa acumulada.

Fazer um acordo é uma boa opção?

Como deixar de pagar e ficar acumulando débitos não é uma boa ideia, a melhor opção é buscar uma solução amigável com o banco ou financeira. Fazendo um acordo, você evitará as constantes cobranças, os juros altos, multas por inadimplência e a restrição do seu CPF.

Ou ainda o que é mais constrangedor, sofrer um processo de busca e apreensão do veículo.

Mesmo assim, você ainda terá prejuízos, pois perderá o que pagou e ainda ficará sem o veículo.

É possível vender o veículo e “repassar” o financiamento?

Na verdade, enquanto não tiver quitado a dívida, você não será dono do veículo, portanto, não poderá vendê-lo.

Uma opção, seria fazer um acordo com o banco, vender o veículo por determinado valor, quitar a dívida com a instituição financeira e assim, repassar o veículo devidamente quitado.

Repassar o financiamento não há meios legais de fazer, pois o contrato com o banco ou financeira estará em seu nome.

Revisão do contrato

Outra opção, é pedir uma revisão do contrato, mas para isso, é preciso contratar um advogado. E é uma medida apenas para casos de juros abusivos.

Nesse caso, poderá pedir a suspensão das parcelas.

Negociar com a instituição financeira

Em alguns casos, o cliente não pode desfazer-se do veículo, portanto fazer um acordo de devolução não é possível. Como é o caso de motoristas de aplicativos, taxistas que precisam do veículo para obter o seu sustento.

Para esses casos, a opção para se livrar de um financiamento de veículo em meio à crise é negociando com a própria instituição financeira.

Devido à pandemia, muitos bancos estão oferecendo opções de renegociação de dívidas online. Por isso, busque saber se o banco que financiou o seu veículo possui alguma condição especial de negociação.

Leia também:  Novo Volkswagen Golf 8 - Rumores sobre o Lançamento no Brasil em 2020

Alguns bancos com Bradesco, Banco do Brasil, e Itaú oferecem opção de renegociação de dívidas até mesmo pelo aplicativo ou portais de atendimento telefônico.

Outros Conteúdos Interessantes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *