Carros Elétricos e Híbridos terão Redução no IPI



Medida tenta aumentar a popularidade dos modelos no país.

Os carros elétricos e híbridos vão sendo cada vez apontados como os modelos do futuro, mas não são todos os países que têm investido nestes modelos, no Brasil por exemplo, estes projetos caminham a passos curtos. Mas a partir de novembro, os carros elétricos e híbridos terão o valor do IPI reduzido, o que já é um importante incentivo. Atualmente, a alíquota varia de 7% a 25%, mas a partir de novembro ficará entre 7% e 20%, tudo irá depender do quanto é eficiente o veículo e também de seu peso.

A notícia de que carros elétricos e híbridos pagarão menos Imposto sobre Produtos Industrializados animou um pouco o mercado e também os consumidores interessados em adquirir um destes modelos. A medida foi publicada nesta sexta-feira (06), no Diário Oficial e quem estava pensando em comprar um carro desse por agora, deverá esperar até o final do ano para ver se consegue adquirir um com menor preço.



A redução do IPI para este tipo de veículo vinha sendo aguardada desde o início deste ano, quando o Governo fez tal promessa, pois é um projeto que faz parte do "novo regime automotivo", conhecido por Rota 2030 Mobilidade e Logística. Atualmente, enquanto um carro elétrico paga 25% de IPI, o mesmo imposto para veículos híbridos fica entre 7% e 25%. Em novembro estas alíquotas sofrerão alterações, assim como os critérios utilizados, pois será levado em consideração o peso e também a eficiência energética do carro.

Confira como ficou definido as novas faixas do IPI:

Para os carros híbridos que têm eficiência energética menor ou igual a 1,10 MJ/Km, a porcentagem é a seguinte:

  • 9% para peso de até 1.400 quilos.
  • 10% para peso que varia entre 1.401 a 1.700 quilos.
  • 11% será para os carros com peso superior a 1.701 quilos.

Para os veículos que tenham eficiência energética que vai de 1,11 MJ/km e 1,68 MJ/km



  • 12% para aqueles que pesam no máximo 1.400 quilos.
  • 13% para os que tiverem peso entre 1.401 a 1.700 quilos.
  • 15% se for maior que 1.701 quilos.

Quando o híbrido oferecer eficiência energética superior a 1,68 MJ/km:

  • 17% se for peso de até 1.400 quilos.
  • 19% quando o peso ficar entre 1.401 e 1700 quilos.
  • 20% no caso do peso ficar acima de 1.701 quilos.

Para os elétricos, cuja eficiência energética fica abaixo ou igual a 0,66 MJ/km

  • 7% para peso de no máximo 1.400 quilos.
  • 8%¨para peso que varia de 1.401 a 1.700 quilos.
  • 9% se o peso ficar acima de 1.701 quilos.

Elétricos que contam com eficiência energética entre 0,67 MJ/km e 1,35 MJ/km:

  • 10% se for peso de no máximo 1.400 quilos.
  • 12% se o peso ficar entre 1.401 a 1.700 quilos.
  • 14% no caso do peso ser acima de 1.701 quilos.

Elétricos cuja eficiência energética ultrapasse 1,35 MJ/km:

  • 14% para peso de até 1.400 quilos.
  • 16% para peso que fica entre 1.401 a 1.700 quilos.
  • 18% para quando o peso for acima de 1.701 quilos.

Vale ressaltar ainda que os híbridos de motor a combustão flex, ou seja, aqueles que podem ser abastecidos tanto com gasolina como também etanol, receberão dois pontos percentuais de redução no IPI, de forma que o imposto para eles fiquem de 7% a 18%, o problema é que até hoje o Brasil não tem nenhum veículo que oferece esta tecnologia. A Toyota começo a testar um Prius flex, mas o projeto ainda não foi confirmado, não tendo a menor perspectiva de quando este modelo chegará ao mercado nacional.

Com estas reduções no IPI, o preço dos carros híbridos e elétricos começarão a cair a partir de novembro e isto poderá aumentar a procura, que fará crescer a produção e o preço cai ainda mais à medida que o veículo vai se popularizando e isto trará grandes benefícios para o país.

Por Russel



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *