Vendas de carros registraram alta em março





Setor automobilístico apresentou alta de 26,2% nas vendas em março

Se tem um setor que se destaca em vendas e participação na economia nacional, é o setor automobilístico. Os lançamentos das grandes montadoras, as atualizações de modelos já conhecidos e grandes eventos – como o Salão do Automóvel de São Paulo – são marcas registradas do segmento. Além dos consumidores regulares e dos apaixonados por carros, os empresários e funcionários do ramo também acompanham o ritmo do mercado de automóveis, que ora acelera e ora coloca o pé no freio.

A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos (Anfavea) divulgou – na última terça-feira, 7 de abril – alguns números relativos às oscilações do setor no primeiro trimestre deste ano. Em março, as vendas registraram uma alta de 26,2% em comparação ao mês anterior, fevereiro. Ainda em março, foram licenciados 234,6 mil carros, um número consideravelmente melhor diante dos 185,9 mil veículos comercializados no mês do carnaval. Aliás, o esfriamento do segmento no período se deu justamente por conta do feriado.




Porém, o desempenho positivo do mês de março não compensa o marasmo do primeiro trimestre de 2015. Ainda de acordo com os dados levantados pela Anfavea, nestes três meses, o comércio de automóveis alcançou uma queda de 17%. Se formos comparar com o mesmo período em 2014, saímos de 812.750 carros vendidos ano passado, para 674.380 vendidos neste ano.

Com a queda nas vendas, a produção também recua. A entidade revelou um recuo de 16% no trimestre. Mais uma vez, comparamos os números de 2014 com os de 2015: de janeira a março do ano passado foram 791.670 carros produzidos; já este ano, o número reduziu para 663.100 unidades.


Com as oscilações tanto no comércio quanto na produção do ramo automobilístico, as vagas de trabalho nas montadoras também são influenciadas. A Anfavea informou que foram registrados 140.841 funcionários empregados no mês passado. Já em março de 2014, o número era 155. 511. Os dados traduzem uma queda de 9,4% se compararmos 2015 e 2014. 

Por Clarissa Souza

Venda de carros

Foto: Divulgação



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *