Como Checar se o Carro teve a Quilometragem Adulterada


  

Veja algumas dicas para conferir se o carro que pretende comprar teve a quilometragem adulterada.

Ao cogitar comprar um carro usado, uma das suas primeiras preocupações deve ser checar a sua quilometragem. Infelizmente, a adulteração da km é uma prática recorrente entre pessoas de má fé que tentam vender um veículo de segunda mão. Para não cair nesse tipo de cilada, é imprescindível verificar se a informação dada pelo vendedor é verdadeira.

Embora a maioria dos carros apresente uma tecnologia eficiente para rodar centenas de milhares de quilômetros sem apresentar problemas significativos, é importante descobrir a quilometragem do automóvel, pois quanto mais rodado ele for, consequentemente haverá decréscimo no seu valor de mercado.

Descubra abaixo como identificar se o carro teve a quilometragem adulterada!

1. Confira o manual do carro

Pegue o manual do carro do proprietário e confira se contém todos os carimbos das revisões realizadas em concessionárias, analisando o período de intervalos entre elas para comparar com a quilometragem e confirmar se bate com o dado mostrado no painel do veículo.

Caso o automóvel não tenha sido revisado na concessionária, o comprador tem que exigir a nota fiscal dos serviços executados em oficinas particulares, ou até mesmo adesivos de trocas de óleo, que também permitem checar a km e datas. Fuja de carros que não têm esse histórico, pois não possibilitam a comprovação de que a quilometragem não está adulterada.

2. Verifique se há marcas no plástico do painel do automóvel

Uma dica simples para descobrir se a quilometragem do carro foi adulterada é verificar se há marcas no plástico do painel, pois isso pode indicar que ele foi desmontado. Ao identificar a presença de várias marcas, isso pode ser um indício de adulteração do hodômetro.

3. Analise os desgastes do veículo

Considerando que o motorista é a pessoa que fica por mais tempo no interior do veículo, recomenda-se analisar os desgastes no volante, banco, manopla do câmbio e pedais. Geralmente, em um carro que tem até 50.000 km, os sinais de desgaste são poucos, logo os itens checados devem parecer novos.




Em se tratando de automóveis com até 100.000 km, o desgaste ainda tende a ser pequeno, mas você já pode notar marcas em algumas peças. Nesse caso, é provável que o volante esteja liso, tenha um pedal com parte metálica aparente e espuma do banco com pouco volume.

Porém, é importante ressaltar que o acabamento do carro costuma variar de um modelo para o outro, bem como a maneira que o motorista o dirige. Por exemplo, quem transpira muito ou usa anéis pode gerar um desgaste maior e em menor tempo no volante, ou uma pessoa mais pesada desgasta rapidamente a densidade da espuma do banco. É importante fazer uma análise meticulosa, estando ciente de que um carro muito desgastado deve ter uma km mais alta.

4. Averigue a parte externa do carro

Além da área interna, a parte externa do carro também é um fator a ser levado em consideração na hora de checar a quilometragem. Se o veículo tiver uma km baixa, possivelmente a sua superfície e peças externas estarão bem preservadas. Um automóvel com a pintura queimada ou com faróis amarelados, provavelmente já rodou muito.

5. Observe os pneus

Os pneus são ótimos sensores para descobrir como o automóvel foi usado. Em média, um jogo de pneus jura entre 40.000 km e 60.000 km, ou cinco anos. A variação é alta porque há motoristas que costumam cuidar muito bem deles, mantendo-os sempre calibrados, fazendo o alinhamento, balanceamento e o rodízio com a frequência apropriada, o que aumenta a durabilidade dos pneus.

Tendo isso como base, saiba que um carro que tem em torno de 50.000 km ainda deve estar com os pneus que foram instalados na fábrica, ou pelo menos com o segundo jogo. Se o carro já teve vários jogos de pneus, trata-se de um veículo mais usado e com km alta.

Por Simone Leal

Quilometragem do carro






Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *