Renault Sandero – Nova Geração estreia em 2019


  

Modelo deverá utilizar nova plataforma modular CMF.

No Brasil os lançamentos de novos modelos de veículos, ou de relançamentos mais incrementados, estão sempre entre os mais aguardados pelos consumidores. Recentemente foi anunciada uma remodelagem do Renault Sandero no país, conhecida como facelift, que estava previsto para estreia a partir do 1º semestre do ano de 2018. Durante esse período, a unidade intitulada Dacia, que é um dos departamentos romenos da companhia, estava trabalhando intensamente na elaboração e no lançamento da nova geração da série de Hatchback, prevista para o ano de 2019, de acordo com o anúncio publicado pela alemã Auto Bild. O centro das mudanças está na troca de plataforma, novo procedimento adotado pela empresa, em que a velha base do Clio foi aposentada, sendo substituída pela nova plataforma da CMF-B, fruto da Aliança Renault-Nissan.

Portanto, a notícia fica confirmada, dando consistência à história de que a companhia automotiva da Dacia, situada em Mioveni, na Romênia, anunciou oficialmente que iniciará a produção de novos veículos por meio da nova plataforma modular CMF, cujo processo de fabricação está programado a partir do ano de 2020; esta situação abre mais possibilidades de futuros lançamentos promovidos pela empresa, para o modelo Sandero, sendo que há probabilidade de lançamento direto no Salão de Paris, no mês de outubro, chegando em seguida às lojas em 2020. A comunhão entre Renault e Nissan está gerando excelentes produtos dentro da área automobilística, enquadrando-se em todas as necessidades dos consumidores, proporcionando mais conforto, segurança e estilo.

Até o presente momento, conforme as informações fornecidas, o Sandero ainda estava sendo produzido, de modo contínuo, por meio da antiga estrutura de base B0, também usada para a fabricação da segunda geração do modelo Clio – já que se trata da mesma base estrutural em que foi produzida esta série do Clio, já referida, no Brasil até o ano de 2016. Este mesmo tipo de plataforma também é utilizado para a produção da série do modelo Duster e do modelo Captur, pois em ambos os casos são modelos mais emergentes, ou seja, surgidos em determinado momento, porque o veículo europeu foi estruturado conforme a arquitetura elaborada para o novo Clio. Assim, não apenas o modelo da Sandero será afetado positivamente, mas todas essas metamorfoses certamente atingirão outros modelos como o Aventureiro Stepway e também o sedã Logan. Essas estratégias de produção não são apenas um investimento em cima do design, da aparência, mas são transformações operadas em conformidade com a vida moderna dos consumidores. Os carros de hoje necessitam de uma série de atributos que os tornem mais eficientes, mais rápidos, seguros, atraentes, confortáveis, econômicos e dentro dos padrões da lei.




De acordo com o que foi divulgado pela mídia alemã, a notícia descreve que o novo Sandero será munido e muito bem equipado com um tipo de motor com potência de 1.0 de 76CV ou o de potência na escala de 0.9 turbo de 96 CV, sendo que estas duas variações são, em verdade, padrões de mecânica muito utilizados na atualidade. Portanto, a opção que pode ser abastecida com diesel, na escala de 1.5 de 96 CV, provavelmente será ampliada, tornando-se muito mais espaçosa, atingindo mais ou menos as dimensões de 4,1 metros em comprimento, pois o modelo atual ainda mede os seus 4,06 metros. Deste modo, tal como ocorreu no seio da nova série gerada do modelo Duster, o chamado Hatchback também não será brindado com um design mais revolucionário, ou seja, não se apostará nesse procedimento, mas de fato a produção se conformará em investir na evolução a aparência atual. Mesmo assim, as expectativas dos consumidores são positivas, tanto nesse, como em outros sentidos.

Paulo Henrique dos Santos






Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *