Comprar Carro Usado – Dicas e Cuidados


  

Confira aqui algumas dicas e cuidados na hora de comprar um carro usado.

O povo brasileiro é apaixonado por carros, já dizia um dos comerciais bem humorados que o Posto Ipiranga lançou em 1994.

A campanha fortaleceu ainda mais a marca do Posto focando em algo que muitos brasileiros têm em comum: a paixão por carros.

Mas afinal, você é apaixonado por carros?

Neste artigo vamos mostrar o que você pode fazer na hora de trocar seu carro por um outro modelo seminovo e descobrir quais atitudes de segurança deve tomar para não ser surpreendido por dívidas ou danos que o veículo tenha sofrido.

Se interessou pelo assunto? Continue lendo o texto e veja quais são os primeiros passos para garantir um bom negócio na hora de comprar um novo carro.

Verificação Prévia

Existem inúmeras vantagens em comprar um veículo seminovo como o preço, o emplacamento, entre outros.

Porém, é preciso estar atento para algumas verificações prévias que são necessárias para garantir uma boa negociação sem problemas.

Se você acredita que a compra de um seminovo é mais vantajoso em relação a um veículo zero quilômetro, tenha em mente que existe um histórico deste automotivo que deve ser analisado.

Quais são as verificações necessárias?

Muitas pessoas são enganadas e envolvidas em táticas de persuasão por alguns vendedores de carros. Na hora de fechar um negócio e antes de ser envolvido na boa conversa do vendedor, é essencial realizar verificações previas de toda a documentação do veículo.

Além da documentação, faça um levantamento do histórico de multas, impostos e algumas taxas para evitar problemas futuros. Sempre é bom prevenir antes de tomar qualquer decisão por impulso.

Como fazer as verificações?

A Associação Brasileira de Defesa do Consumidor, Proteste, elaborou algumas dicas para que as pessoas antes de comprar seu novo veículo faça e não seja surpreendido, veja a seguir:

1. Consulta ao Detran

Uma consulta prévia ao site do Detran é uma das verificações. Tenha em mãos os dados do veículo como a placa e o Renavam, que neste caso é o registro nacional que permite a consulta de débitos e restrições.

No site do Detran é possível levantar as informações sobre pagamento de impostos como o IPVA, multas sofridas, se o veículo foi inspecionado, situação do licenciamento do ano, bloqueios por furto ou roubo, registros de guinchos e outras restrições.

2. Consulta ao Ministério da Justiça




Algumas montadores efetuam avaliações em lotes de veículos para identificar possíveis defeitos em peças, na qual é chamado de Recall. Através da consulta ao Ministério da Justiça é possível verificar se o veículo possui algum recall pendente junto à montadora.

Caso houver sido constatado a irregularidade, exija um documento que comprove que o reparo tenha sido executado ou consulte o serviço de atendimento ao consumidor, informando os dados do veículo como número de chassi e Renavam para verificar se realmente existe alguma pendência de recall deste veículo.

3. Evite venda casada

Existe um golpe que algumas lojas de veículos fazem, cobrando por alguns serviços, que no final é uma ação ilegal contra o consumidor.

Se você realmente pretende comprar um carro e negociar o seu veículo como parte do pagamento, fique atento, pois algumas revendedoras de veículos exigem que seja feito um check-up ou vistoria cautelar e com isso lucrar um pouco mais, cobram do consumidor este serviço, o que é uma prática ilegal.

Após fazer esse check-up e pagar, o seu veículo será subavaliado, ou seja, será reavaliado e dependendo das ressalvas da vistoria feita, vai desvalorizar ainda mais seu veículo.

Os próximos passos são piores, porque ou você será obrigado a cancelar o negócio e perder este dinheiro que foi pago pelo check-up ou dar continuidade e receber um valor ainda menor pelo seu veículo que foi usado como parte do pagamento. Fique esperto!

O indicado é você dar preferência para estabelecimentos que não usam deste artifício e sejam isentos desta cobrança.

4. Pesquise o vendedor

Muitas pessoas negociam seus veículos diretamente com o dono. E neste caso você não estará protegido pelo Código do Consumidor, ou seja, faça a negociação apenas se o preço for muito bom e se realmente conhecer o dono do veículo.

Se não conhecer o dono, peça um laudo de vistoria ou um documento homologado pelo Detran que vai mostrar todo o histórico do veículo e apontará todos os débitos pendentes e qualquer informação de sinistro, registro de ocorrências de furto ou roubo, além de envolvimento em acidentes e até a passagem por oficinas de seguradoras.

Neste último caso indicará se o veículo foi batido ou não.

Vai realmente negociar seu carro ou conhece alguém que possa fazer isso? Compartilhe estas informações de segurança com amigos nas redes sociais. Pequenas atitudes que geram grandes benefícios.

Marcio Ferraz






Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *