Saveiro x Strada – Qual Picape é Melhor


  

Confira aqui um comparativo entre as picapes e veja qual é a melhor.

Com a acirrada concorrência das picapes no Brasil, em que a Toro detém a medalha de ouro, indiscutivelmente, a polêmica de qual picape é mais merecedora do segundo lugar, está dando o que falar.

A briga pela medalha de prata está entre as picapes Strada e Saveiro. Na verdade a Strada sempre foi recordista de vendas no Brasil, mas quando a Toro foi lançada, em pouco mais de um ano de vida, abocanhou o lugar da sua irmã e pegou o posto da picape mais vendida do Brasil, deixando todos os concorrentes a ver navios.

Para se ter uma ideia, a Fiat Toro foi a picape mais vendida em abril de 2017, com 3.470 carros emplacados. Já a Strada teve 3.122 unidades emplacadas e sua concorrente Saveiro teve 2.895 emplacamentos. A picape Strada ainda faz mais sucesso que a concorrente alemã, a Saveiro, pelo menos nas vendas. Esse ano foram 15.391 unidades emplacadas do modelo italiano, contra 12.390 da Saveiro.

Mas será que toda essa diferença indica total superioridade da Strada? Se analisadas visualmente, o empate entre as duas picapes seria justo, pois estilo é algo muito pessoal e não cabe discutir aqui. A Saveiro passou por uma mudança de visual recentemente e a Strada tem mantido o seu visual já conhecido por todos.




Quanto ao preço, que é bem salgado, as concorrentes também empatam. A Saveiro Cross CD 1.6 chega nas lojas com preço sugerido de R$ 73.790,00, enquanto a Strada modelo Adventure 1.8 CD está com preço a partir de R$ 75.710,00.

Quanto a motorização, câmbio, acabamento interno e sistema de som multimídia, a Saveiro ganha de sua concorrente. Em contrapartida, a Strada é bem mais espaçosa e tem uma porta a mais e maior capacidade da caçamba, além de ter alguns apetrechos de seu estilo aventureiro.

Quanto a motorização, a Saveiro usa motor 1.6 flex de 120 cv e câmbio de 5 marchas, já sua rival tem o motor 1.8 flex e mais potente de 132 cv. As duas são bem parecidas em quase tudo. Difícil decisão…

Rodrigo Souza de Jesus






Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *