Marcopolo apresentou o modelo urbano MX 60 BRS


  

Nova linha foi lançada no México.

Diversos fabricantes de ônibus aqui do Brasil fizeram questão de marcar presença durante a realização da Expo Foro 2016. Para quem não conhece a feira basta destacar o fato de que ela é uma das principais na América Latina com o foco voltado exclusivamente para o transporte de passageiros. O evento aconteceu na Cidade do México na primeira semana deste mês.

A feira deste ano, que é organizada pela Câmara Nacional de Autotransporte de Passageiros e Turismo (Canapat), trouxe diversos destaques, um deles foi a comemoração dos 125 anos da Scania, data comemorada a nível mundial. A título de curiosidade vale ressaltar que o México fica em segundo lugar na escala mundial de produção de ônibus. Em primeiro, estamos nós, os brasileiros.

Entre os representantes nacionais na feira estava a Marcopolo, a empresa que é a principal encarroçadora de origem brasileira lançou em terras mexicanas a sua linha batizada de MP. Essa linha é composta por modelos rodoviários que contam agora com novos conjuntos óticos tendo como base a Geração 7. Esta última, por sua vez, produzida pela Polomex.

A linha apresentada é constituída por quatro modelos. Estes são originários (ou derivados) dos Paradiso e Viaggio que rodam por aqui. Além da linha em questão a Marcopolo também expôs o modelo urbano MX 60 BRS. Essa novidade nada mais é do que uma variação do Viale BRS brasileiro. O Torino, “produto” de maior sucesso da fabricante de Caxias do Sul (RS) no mercado local também apareceu na feira.

De acordo com a própria Marcopolo, a chegada  no mercado da linha MP representa também um novo foco para o mercado local. A fabricante também destaca o fato de que o modelo de negócio apresentado irá permitir que a empresa produza no México todos os veículos presentes em seu portfólio para outros mercados.




A Marcopolo destaca ainda que todos os ônibus urbanos terão como base de montagem a região de Monterrey. Já com relação aos rodoviários a informação é de que os modelos irão continuar a sair do Brasil, importados. Neste último caso irão seguir os sistemas CKD e PKD.

Por fim, a fabricante afirma que está encarando esse momento como o novo começo para a empresa no México. A expectativa da companhia brasileira é de que a demanda do mercado mexicano possa ser atendida através da estratégia de disponibilizar veículos com uma variedade de opções de chassis.

Por Denisson Soares

Marcopolo MX 60 BRS

Foto: Divulgação






Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *